20 Anos de Playstation em memórias

Quem diria que uma briga de “irmãos” daria origem a uma marca que 20 anos mais tarde continua existir numa rivalidade até aos dias de hoje. Ao longo de 20 anos temos algumas recordações Playstation, estas são as que mais nos marcaram.

20 anos joao

  • João Gonçalves:

1998-1999 Antes de mais, as minhas desculpas, mas como Portugal que somos, eu era uma das pessoas que apoiava a marca de videojogos de todos os portugueses, portugal era conhecido como um pais SEGA, e como tal não tive uma PlayStation, mas sim uma SEGA Saturn, e talvez essa seja uma das minha primeiras memorias, o facto de não ter uma PlayStation. No entanto, como o meu primo que vivia do outro lado da rua tinha uma. e como as ferias eram 3 meses no verão, acho que vi pouca praia nalguns verões… Lembro-me perfeitamente de tardes infindáveis a jogar Tekken 3 em torneios organizados entre todos na rua. Isto até chegar a menina nova do bairro, a minha Playstation 2!

Lembro-me perfeitamente do dia em que comprei a minha Playstation 2, algures em julho de 2002, tinha ido com o meu pai e esse mesmo primo ao Colombo ver o Blade 2, e depois do filme uma viagem até à Toys’r’us, onde comprei um bundle com 2 comandos um sistema de som e o Gran Turismo 3, o primeiro jogo que rodou nessa consola! Depois desse muitos outros vieram, GTA’s, Final Fantasy’s entre outros! Durante alguns anos as sessões de estudo lá em casa tornaram-se em sessões de arcada, em que se faziam corridas em GT, ou provas seguidas em Tony Hawk Pro Skater 3, a ver quem tinha a maior pontuação! Alguns bons momentos também com o maravilhoso eyeToy, na altura era quase como magia como é que aquela pequena câmara conseguia ver “perfeitamente” em que zonas do ecrã limpávamos, ou agredíamos. Até 2006, esta foi a minha consola que tantas horas de diversão me deu, no entanto, nesta altura seria em parte substituída… Em 2006 e com o meu primeiro ordenado, a PSP chegava lá a casa, com GTA: Liberty City Stories como companhia.

E companhia era a palavra certa, a consola acompanhou-me para todo o lado durante os anos seguintes em combates de Dragon Ball Shin Budokai, horas de GTA, sessões de LocoRoco. A era PS3 aconteceu por acaso, numa visita a espanha a um primo meu, ele ofereceu-me uma PS3, sem jogos e com um Sixaxis, prontamente disse que sim! Ainda pra mais faltava um mês para sair o grande God of War 3, o primeiro jogo completo que comprei para a PS3, antes disso fui-me “alimentando” de demos da store. Killzone, Motorstorm, Little Big Planet, Red Dead Redemption, GTA IV e V, são talvez ao lado de Buzz os jogos que mais horas passaram dentro daquela consola. Guitar Hero foi sempre um delirio em familia, e Buzz uma rivalidade de Quizz, com o apoio de Jorge Gabriel. A PSVita, chegou e conquistou-me não tanto como consola, mas como gosto de lhe chamar “uma indie portable machine” os jogos indie são os que me fazem perder horas a fio na consola, ollie ollie, Hotline Miami, fez entre tantos outros encontraram aqui a consola que lhes pemite ir no bolso para qualquer lugar. E chegamos ao fim de 20 anos a era PS4,  que pra mim acaba por ser um encontro nocturno com alguns amigos, em que entre tiros no Destiny, assaltos no GTA, e exploração em Far Cry, permite manter a conversa em dia. Parabéns Playstation, continua assim a fazer parte da família a preencher o espaço só teu lá em casa.

reportagem guillaume

  • Pedro Moreira Dias: 

As minhas memórias envolvendo as consolas da Sony todas elas têm algo em comum, a partilha e a amizade que se criava à volta de uma consola. Lembro-me que eu, tal como o João Gonçalves, era um miúdo da SEGA, então tinha a Master System, a Mega Drive e a Saturn, só viria a ter PlayStation já muito tarde, só com a PS2, mas o envolvimento com a PS1 não deixou de existir, muito pelo contrário. Nunca senti necessidade de comprar porque basicamente “vivia” na casa de um amigo meu, o “Lecas” onde jogávamos horas e horas de Gran Turismo, lembro-me bem o que nos custava fazer as provas de endurance onde fazíamos turnos para acabar os circuitos.  A nível de memórias, tenho também que recordar o Metal Gear Solid, foi talvez das experiências que mais me vai ficar para sempre na memória. O facto de ter de trocar os comandos para Psycho Mantis não me ler a mente irá para sempre ser recordado com um sorriso na cara. Lembro-me também de jogar Tekken 3 em torneios de amigos, onde pagávamos 100 escudos para entrar e o vencedor recebia um prémio, aquilo era a loucura.

Talvez depois dessas aventuras, recordo-me que tive um hiato nas consolas, dedicando-me aos PC’s, portanto bastantes jogos que saíram para as consolas eu jogava em PC, mas um jogo chamado Pro Evolution Soccer viria a mudar tudo isso. Recordo-me que devo ter gravado mais de 200 DVD´s com patches para corrigir as equipas, colocar equipamentos, botas, caras etc no jogo. Atenção eu tinha a versão original dos jogos e tinha a PS2 crackada para poder jogar apenas o PES com todos estes detalhes, sim era completamente louco. Recordo-me bem que fiquei sem duas namoradas com esta história da edição, que não tinham paciência para o facto de eu perder tanto tempo com um jogo. Talvez tenha sido melhor assim. É claro que ficaria aqui uma eternidade a falar de todas as memórias que tenho, mas queria apenas destacar mais algumas, nomeadamente Onimusha, jogo que joguei exaustivamente com o meu grande amigo Lemos, passávamos as noites todas a jogar aquilo e tenho uma enorme pena que nunca mais se tenha investido no estilo e no franchise. Não posso deixar de referir a loucura que passei para arranjar o Rock Band para a PlayStation, mandei vir dos Estados Unidos e paguei uma fortuna na alfândega, mas curti com os meus amigos que nem um verdadeiro animal, em grandes noitadas com os vizinhos a chatearem no dia seguinte.

A nível de memórias mais recentes, e estou mesmo já no final, não me posso esquecer que foi a PlayStation Portugal que nos abriu as portas do sector, ajudando-nos no início a conhecer as pessoas e os meios, envolvendo-nos nos eventos, e tenho que destacar o primeiro, que foi o do Beyond: Two Souls, onde pudemos entrevistar Guillaume de Fondaumière, o Director Executivo da Quantic Dream. Por fim apenas um breve destaque a alguns títulos que me deixaram simplesmente colado à consola, como é o caso de Uncharted, eu até já joguei a série em 3D, os Gran Turismo ou até Resogun. A verdade é que não há dia que não ligue a PS4 e não jogue um pouco Destiny e encontre amigos, e por isso tenho que dar os parabéns à PlayStation porque sempre promoveu esse convívio e experiência. Faz parte da nossa história, da nossa memória e da nossa vida.

Estas são as nossas memórias Playstation quais são as tuas?

20th Anniversary Character Montage

Published
Categories Notícias
Views 62
Ir para a barra de ferramentas