Super Lucky’s Tale é um exclusivo Windows e Xbox One que chega ao mesmo tempo que a Xbox One X, isso poderia querer dizer que teríamos um jogo de plataformas a puxar pela nova máquina da Microsoft, mas ao invés disso temos um jogo de plataformas 3D super polido, é verdade, mas que numa altura em que já jogámos Super Mario Odissey torna-se vulgar.

Dito isto, não quer dizer que não seja um jogo interessante, especialmente para os membros mais novos da família, até porque não há assim tantos jogos descomplexados no mundo da Microsoft. O jogo presta de alguma forma tributo a outros ícones das plataformas, como o caso de Banjo-Kazzoie, Conker, Viva Pinata ou Super Mario 64 e Crash Bandicoot, jogos que certamente serviram de inspiração à Playful naquela que é a sequela de Lucky Tale, um exclusivo, na altura do lançamento do Oculus Rift, aqui sem os óculos de realidade virtual a raposinha Lucky estreia-se nestas aventuras, ao contrário da irmã Lyra que é já uma habituée nestas andanças. Com o temível gato Jinx disposto a mergulhar o mundo no caos, é a vez de Lucky tentar resgatar a sua irmã, vencer os gigantescos inimigos e salvar o mundo das patas de Jinx.

A nossa raposa vai ter que saltar entre plataformas, saltar por cima dos adversários para os eliminar e ganhar moedas, ou saltar e rodopiar a nossa cauda para accionar algum mecanismo. É claro que vos saltaram também todas as referências que falámos neste momento, mas a Lucky tem ainda uma outra habilidade, a de cavar um pequeno buraco, como se fosse uma toupeira e romper o solo do outro lado, para ganhar algumas moedas, para passar determinado obstáculo ou até para surpreender algum inimigo. Os mundos em 3D e num formato “semi-aberto” estão super detalhados, polidos e os níveis são muito fluídos, com puzzles interessantes, sem ser o tradicional passar de uma área para a outra, mas sim usar a cabeça e ter capacidade de recordar os locais por onde passámos pois vão ter utilidade no futuro. Um bom desafio, usando lógicas e até ciência pondo à prova a nossa concentração. O objectivo apesar de redundante é o normal neste tipo de jogos, aqui temos que recolher o maior número de trevos possível para ganhar acesso a mais áreas de jogo até ao objectivo final.

Super Lucky’s Tale não sendo um jogo obrigatório e tendo alguma dificuldade em rivalizar com Super Mario Odissey nesta altura do campeonato, é uma boa aquisição tendo em conta a parca oferta que existe deste tipo de jogo no catálogo da Microsoft, e fazendo parte da iniciativa Play Anywhere podem sempre jogar em qualquer lado entre PC e Xbox One.

3.5

Sim

  • Faltava um jogo de plataformas no catálogo da Microsoft
  • Visual colorido, polido e divertido
  • Boa variedade de níveis e puzzles

Não

  • Chegou numa altura em que Super Mario Odissey é rei e senhor
  • Podia ser mais desafiante
  • Com a chegada da Xbox One X poderia ter um grafismo mais "avançado"
Published
Categories Análises Pc e Mac Xbox
Views 76

Leave a Reply

Ir para a barra de ferramentas