A devastação que se esperava!

Não há como negar… Para mim Transformers: Devastation foi o hype do ano. Fã da série dos anos 80, seguidor relegioso das bandas desenhadas e com um ódio de estimação por Michael Bay e a destruição dos meus sonhos e dos Mute Math que fizeram a pior versão do tema original da série.

Dito isto, posso avançar para a análise do jogo da Platinium Games (Bayonetta ou Metal Gear Rising) que é um must have para todos os fãs como eu. Transformers: Devastation é tudo o que poderemos sonhar, gráficos em cell-shade, transformações idênticas, vozes originais, um típico hack and slash que utiliza os modos robot e veículo em combinações alucinantes, está lá tudo.

Mas no entanto não é um jogo que eu cegamente, como fã, vá dizer que está tudo bem, isso não seria honesto da minha parte. Os cenários, apesar de vasto é algo estático, sem uma grande preocupação no sistema de iluminação, todos os objectos que não sejam os próprios Transformers têm pouca definição e são um pouco quadrados. Também a sua duração é curta, umas 5 a 6 horas se forem fazendo as missões paralelas, será o tempo que vão demorar a acabar o jogo, mas pelo menos há coleccionáveis para recolher e isso fará os verdadeiros fãs gastar mais umas quantas horas.

Por outro lado a definição dos Transformers está óptima, as sombras poderiam estar um pouco melhores, é um facto, mas sentimos os desenhos animados dos anos 80 como se fossem agora, com aquele toque de modernidade na caracterização, mas sem a identidade da série. Para além disso, o uso da transformação em veículo não foi apenas concebida para passar de uma área para a outra, é utilizada nos combos que só pecam por não ter um contador de “hits”. A combinação de teclas é muito simples, duas para combinar golpes e depois uma terceira para um ataque especial e uma quarta tecla para o ataque no modo veículo. Puro e duro e com satisfação garantida.

Neste Transformers Devastation vamos poder escolher várias personagens, cada uma com uma maior destreza ou aptidão, por exemplo, Sideswipe será muito rápido e ágil, para além de estar munido com um lança-chamas, já o pequeno Bumblebee terá que usar a combinação de ataques, quase numa de “toca e foge” devido à sua debilidade “física”, já Grimlock será quase um “sempre a aviar”.

Transformers Devastation não complicou, deu uma versão arcade do que sempre imaginámos com os nossos brinquedos nos anos 80, a história poderia ser mais um episódio da série e para os fãs isso chega. Para os nascidos nos anos “00” por adiante que só conhecem os Transformers do Michael Bay ou do Panda Biggs vai ser muito díficil em encontrar interesse ou compreensão de toda esta nossa febre. Eu fico feliz mesmo que me venham dizer que é um jogo de velhos…

2015-11-03 (1)

Published
Categories Análises
Views 62
Ir para a barra de ferramentas