A força enfraqueceu…

Star Wars: The Force Awakens vai estrear mundialmente dia 16 de Dezembro, e todos os fãs (que são inúmeros) estão super entusiasmados com o novo filme. Enquanto isso, a Electronic Arts e a DICE fizeram uma jogada de mestre, lançar Star Wars Battlefront umas semanas antes da estreia do novo filme. Claro que isto criou expectativas altíssimas a todos os fãs, que tornou o jogo num dos mais desejados do ano.

Também não deixa de ser verdade que todos os vídeos que nos mostraram na E3 e na Gamescom foram surpreendentes, ficámos com aquela vontade louca de o jogar, experimentar tudo, e saber todos e quaisquer detalhes que este nos podia oferecer. Quando colocámos as mãos na versão Open Beta deu para perceber que este tinha um enorme potencial, mas sem a versão final era difícil antecipar tudo o que nos iria oferecer.

Infelizmente todos sabemos que não existe modo campanha, e parece que este tipo de decisões veio para ficar, olhando também o exemplo de Rainbow Six: Siege que não terá igualmente modo campanha. Se por um lado eu percebo que a produção do jogo é muito mais rápida se este se focar simplesmente no Multiplayer, por outro lado fica sempre a sensação que falta algo e fica incompleto. E é mesmo isso que sentimos após jogarmos Star Wars: Battlefront durante algum tempo.

Seja como for, o jogo tem bastantes modos, divididos entre Multiplayer e Single Player/Co-op. Um dos pontos fortes do jogo (e isto serve para qualquer modo) é a sua jogabilidade, o movimento do nosso personagem é solto, obedece rapidamente e sentimos ter completo controlo de tudo o que estamos a fazer, até quando pilotamos uma nave. O modo que achei mais dificuldade nos controlos foi as speeder bikes, e quando vamos à velocidade máxima por vezes fica muito complicado conseguirmos desviar de todos os obstáculos, mas nada que uma redução de velocidade não ajude.

O disparo das armas é bastante simples, apenas é necessário ter cautela com o seu aquecimento, pois se disparada constantemente sobreaquece e temos de esperar uns instantes para que volte a arrefecer. Existem armas para todos os gostos, umas que dão maior dano mas aquecem mais, outras que aquecem menos e outras que atingem alvos a uma maior distancia e consequentemente o dano é menor.

Graficamente o jogo está soberbo, algo que já é normal em qualquer jogo produzido pela DICE. É difícil jogar e não nos distrairmos com algumas paisagens ou mesmo certos pormenores deliciosos. A sensação de estarmos num ambiente de um filme de Star Wars é incrível e isso é algo que temos de enaltecer.

Quanto aos modos de jogo, vamos começar pelo modo Single Player/Cooperativo, e aqui podemos encontrar três tipos distintos, modo de Treino, modo Survival e o modo Batalhas.

Tal como o nome indica, o modo treino serve para aprendermos a usar todas as unidades disponíveis no jogo, e para isso existem 5 missões, cada uma delas com um objectivo específico. Aqui pilotamos as famosas X-wing, as speeder bikes, o airspeeder T-47, podemos também comandar um AT-ST, e mesmo tomar o controlo do Imperador Palpatine ou Darth Vader.

Já no modo Survival existem 4 missões e em todas elas o objectivo é conseguirmos sobreviver durante vários ataques inimigos. Isto é, existem quinze sequências, em cada uma delas irão aparecer grupos de soldados, e como é de esperar, de sequência para sequência a dificuldade aumenta. Depois de derrotar todos os grupos de soldados a missão fica concluída. A única diversidade que encontramos neste modo, passa pelo cenário e o tipo de soldados ou maquinas que temos de derrotar, porque de resto, cada um é uma repetição do outro, um modo que deixa muito a desejar.

Por último o modo Batalhas, neste modo cada vez que matamos um soldado este irá largar uma moeda que vale 2 pontos, e o objectivo é obter 100 pontos antes da equipa inimiga. Aqui existem oito missões, em quatro delas podemos usar um dos heróis do jogo e nas quatro restantes somos um mero soldado. Mais uma vez a repetição é a palavra de ordem, só mudando os cenários entre as oito missões.

Contudo, no modo Multiplayer as coisas são bem diferentes, e há bastante diversidade de conteúdos tanto como de objectivos. Nota-se claramente que é aqui que se encontra a “força” do jogo.

Existem nove modos de jogo Multiplayer, são eles Supremacia, Ataque dos Walkers, Esquadrão de Caça, Batalha, Captura de Carga, Zona de Impacto, Captura de Drones, Caça ao Herói e Heróis vs Vilões. Não irei falar de todos para não tornar o texto maçador, mas quero focar naqueles que me pareceram mais interessantes.

Começando pelo modo Supremacia, neste temos uma batalha de 20 vs 20 cujos jogadores podem apanhar veículos e naves assim como incorporar um herói e tem como objectivo capturar e defender pontos de controlo do inimigo. O jogo termina quando uma das equipas tiver conquistado todos os pontos de controlo, ou se o tempo de jogo se esgotar a equipa vencedora é aquela tiver o maior número pontos de controle conquistados.

O modo Ataque dos Walkers é novamente 20 vs 20 e podemos também usar veículos, naves e também transformamo-nos num herói, neste caso o objectivo é destruir os Walkers caso sejamos da equipa rebeldes e proteger os Walkers caso a nossa equipa pertença ao Império.

O modo Esquadrão de Caça é a famosa batalha de naves imperiais contra naves dos rebeldes, um modo bastante divertido e que nos ajuda a alternar um pouco o foco quando nos fartamos de andar simplesmente a matar soldados nos outros modos.

Por último gostava de destacar o modo Heróis vs Vilões, este modo é composto por 6 vs 6, em que 3 jogadores de cada equipa são um dos heróis de Star Wars, e o objectivo é uma equipa eliminar os 3 heróis da equipa adversária.

Resumindo, o modo Multiplayer tem muito por onde se escolher. Existem missões para todos os gostos, algumas com menos jogadores, outras com mais jogadores, e pelo que percebi os jogadores mais viciados em first person shooters preferem os modos com menos jogadores (5 vs 5 ou 6 vs 6), os outros jogadores costumam preferir os 20 vs 20. No entanto, vai da preferência de cada um, e nesse aspecto Star Wars está bastante completo.

Infelizmente qualquer um destes modos tem um problema que esperemos que seja melhorado, que é o respawn do jogador. Tal como tínhamos comentado na preview que fizemos do jogo, muitas vezes aparecemos e temos inimigos nas nossas costas, é chegar ver e morrer, embora se note que este problema já não acontece com tanta regularidade como na versão Beta que também testámos. Todavia ainda acontece e torna-se algo frustrante.

Outro dos problemas reside nos mapas, é verdade que estes são grandes, maravilhosos e magníficos graficamente, mas são poucos, dando mais uma vez a sensação de um jogo incompleto.

É fácil afirmar que Star Wars Battlefront é focado quase totalmente no modo Multiplayer, tendo o modo Single Player e Co-op ficado para um segundo plano. As missões são repetitivas e depois de as completarmos duas ou três vezes em cooperação ou mesmo sozinhos, talvez nunca mais joguemos este modo. Não significa porém que com os DLC que se adivinham não venha a ganhar nova vida, mas para o conteúdo inicial do jogo este deixa muito a desejar. Já o modo Multiplayer será onde os jogadores sem dúvida se irão focar, seja como for, até o modo multiplayer depois de jogado muitas vezes sente-se falta de algo, até porque a maioria dos jogadores estão mais interessados em matar tudo o que lhes aparece à frente do que propriamente fazer os objectivos de cada missão.

O jogo tem um sistema de ranking, e no fim de cada missão obtemos sempre uma pontuação, essa faz-nos ir subindo no ranking e com isso ganhar créditos que posteriormente podem ser usados para desbloquear novos itens, tal como novas customizações dos personagens e novas armas.

Algo que é absolutamente injusto para os jogadores que jogam em equipa é o sistema de pontuação. Os jogadores que apenas entram nas missões para andar a matar os inimigos são mais pontuados do que aqueles que tentam concluir os objectivos da missão. E isto origina que, quem se arrisca a tentar cumprir os objectivos sente-se altamente penalizado e no fim ainda tem menos pontuação do que quem apenas anda a passear pelo mapa para matar os inimigos. E claro isto irá reflectir-se nos itens desbloqueados, pois quanto mais pontos mais crédito.

Outro foco a necessitar ser melhorado está nos heróis. É óbvio que é óptimo apanhar cada um deles e matarmos um monte de oponentes e com isso abrir caminho para a nossa equipa a avançar bastante na missão que temos de fazer, mas a verdade é que depois de experimentar os heróis algumas vezes começamos a ter noção das suas falhas. A sensação de luta e de acertar nos adversários é quase nula, então quando estamos com Luke ou Vader e usamos o sabre de luz essa sensação torna-se ainda maior, isto porque nunca temos a sensação se acertámos ou não no adversário, ficamos com a sensação que falta algo, que falta de sentir o verdadeiro poder do personagem.

Em jeito de conclusão final, Star Wars Battlefront deixa muito a desejar e digo isto com muita pena minha porque depositei bastante esperança neste jogo. A sensação que temos é que está sempre a faltar algo, e desculpem lá mais uma vez, mas sem modo campanha a sensação de falta é gigante. Além disso sentimos em quase todo o jogo que este se encontra inacabado e que está feito para os jogadores serem quase obrigados a comprar os DLCs que serão lançados no futuro, seja como for, este será sempre um sucesso de vendas devido aos imensos fãs de Star Wars.

SimENaoStarWarsBattlefront

Published
Categories Análises
Views 76
Ir para a barra de ferramentas