Análise: Agents of Mayhem

Podemos dizer que quando um jogo tão mamado da cabeça deixa de existir outro teria que vir. Pois bem depois de Saints Row alguém teria que inventar algo como este Agents of Mayhem, a questão é que foram os mesmos a inventar e isso provavelmente quer dizer que eles são mesmo mamados da cabeça.

Saints Row já tinha esgotado todas as possibilidades imaginárias ou não, portanto era preciso fazer um reboot, e em vez de andarmos para trás ou para a frente no tempo, como outros jogos, a Volition decidiu fazer um jogo de raíz. É claro que em qualquer decisão dos mesmos developers seria arriscada, ou tentar não esgotar uma franquia ou fazer outra teria sempre os seus riscos, e portanto é normal encontrarmos muitos clichés neste jogo. Desde logo a história não é assim tão original, nós fazemos parte de um grupo chamado os Agentes do Caos liderados pela organização Mayhem e teremos que derrubar a L.E.G.I.O.N. e as suas intenções maléficas lideradas por Morningstar. O humor está cá de novo, mas tal como abordagem gráfica, está mais perto de uma série de desenhos animados chamada Archer, do que propriamente de um GTA. Nesse campo vemos o jogo a seguir a linha de Overwatch ou Paladins na sua concepção gráfica mais vibrante e ao mesmo tempo mais perto de League of Legends.

Agents Of Mayhem – Launch Trailer

A jogabilidade também não traz assim nada de novo, seguindo as referências anteriores, por exemplo Overwatch, este Agents of Mayhem funciona com botões para miras, habilidades especiais que se recarregam com o tempo e uma habilidade em específico que é capaz de virar o jogo ao seu favor, como as Ultis de Overwatch. Saber gerenciar os poderes dos nossos heróis será o grande diferencial durante as missões e conforme avançarmos, podemos ainda encontrar mais 9 personagens diferentes, incluindo Gat, de Saints Row. Os nossos Agents of Mayhem não são nada convencionais e por isso alguns destes personagens são DLCs pagos, outros fazem parte do jogo e podemos desbloquear em missões paralelas.

Quanto às missões elas são bastante lineares e o seu percurso no mundo aberto também. Esse mundo aberto é muito vazio em termos de NPC’s e de coisas para fazer, geralmente é ir de um lugar A para um lugar B, ou para uma base dos inimigos que são sempre iguais, e esse é um ponto a desfavor no jogo. Apenas temos como um verdadeiro objectivo secundários encontrar os Cristais de poder que dão melhorias de habilidades e que apenas podem ser desbloqueadas com isso.

Sempre que chegamos ao fim de uma missão, temos um pequeno resumo de tudo o que conquistamos, e quase sempre vamos ganhando uma habilidade diferente para uma das 3 personagens com que estamos a jogar, ou até para todos eles. O nosso nível vai aumentando conforme vamos jogando, ao chegar ao nível 10 , por exemplo, desbloqueamos uma habilidade permanente para a nossa personagem. Mas há várias formas de ganharmos “slots” de habilidades, seja Slots para instalação de novos golpes, que substituem os que seu personagem tinha antes, dando mais vida, mais ataque, mais dano, mais velocidade e tantas outras possibilidades, além de efeitos como raio de actuação de uma bomba ou algo semelhante, que exigem uma certa estratégia para serem gerenciados. Nem sempre o que é novo é melhor do que você tinha antes.

Agents Of Mayhem – Agent Progression [PEGI]

3 Melhorias de habilidades através dos Cristais de poder, adquiridos ao encontrarmos os fragmentos de Cristais espalhados no cenário do game. Para evoluir tudo e todas os personagens, Agents of Mayhem vai exigir um bom tempo de dedicação, fazendo com que voltemos ao jogo várias vezes.

Agents of Mayhem não é uma autêntica novidade, é divertido, empolgante pelas suas personagens e pelo seu visual meio Overwatch, meio League of Legends, e oferece especialmente ao fãs de Saints Row a dose de loucura habitual e o over the top que estamos habituados. É uma forma muito mais ligeira e se calhar mais adaptada aos mais novos de um GTA ou Watch Dogs. Simplicidade pode ser algo bom, mas também faz com que peque na repetitividade das missões ou dos ambientes que vamos encontrar. A skill tree faz com que o jogo seja viciante, assim como as várias formas de jogar devido à variedade de personagens e da sua abordagem faz com que Agents of Mayhem seja um jogo bastante interessante.

Published
Views 329