Um mundo pós-apocalíptico é um cenário comum que se explora e cada vez mais nos video-jogos. Uns melhores, outros nem tanto, mas era uma questão de tempo que este tipo de cenário aparecesse no mundo de realidade virtual. Já existem alguns nomes para este tipo de realidade e agora, desenvolvido pela Fast Travel Games eis que surge Apex Construct.

A história do jogo é algo que já vimos em outros jogos e como tal não traz nenhuma novidade significativa aos jogadores, mas tudo o que envolve a parte técnica, Apex Construct é um exemplo de um jogo que soube explorar bem algo que é bastante cliché. O que quero dizer é que apesar do enredo do jogo ser algo banal, a equipa de produção de Apex Construct conseguiu dar a volta e trazer aos jogadores algo bastante diferente.

 

 

O mundo foi atacado e derrotado (ou aparentemente) por robôs e tu és o único sobrevivente da espécie humana no planeta. Neste mundo destruído terás como missão principal de exterminar estas máquinas e é claro fazer de tudo para puderes sobreviver. Neste FPS terás um único tipo de arma, o arco. Mas com o avanço na história conseguirás obter novos tipos de flechas que serão uma ajuda fundamental para o teu sucesso. Para além do arco e flechas estarás também equipado com um estudo que te vai proteger dos ataques inimigos.

Tal como grande parte dos jogos VR da Playstation, os PS Move transformarão a tua experiência virtual em algo quase real. A jogabilidade deste jogo é de fácil adaptação e no que toca aos comandos não te preocupes, o tutorial do jogo apesar de ser bastante simples explica-te muito bem o que tens de fazer. Se ficaste com a sensação que este título da Fast Travel Games é um mero FPS estás errado porque vais ter momentos no jogo que vais ter de dar uso à tua cabeça e não é por estares a usar os óculos VR mas sim porque vais ter de pensar como às-de ultrapassar alguns entraves encontras, tal como aconteceria se estivesses numa situação destas na vida real. Um aspecto que achei simplesmente genial é a interacção com os computadores que estão espalhados pelos cenários. Vais te familiarizar com uma janela de linha de comandos e que vais ter que escrever os comandos para abrires portas, saber códigos e mais algumas coisas para que possas avançar na história. Aqui encontrei o primeiro problema de Apex Construct, se não estiveres “colado” ao computador vais ter que esforçar um pouco para conseguires escreveres os comandos.

 

 

Este jogo é maravilhosamente imersivo e muito graças a todos os aspectos visuais. O grafismo do jogo é algo entre o real e a animação, o que quero dizer é que quando jogas não tens aquela sensação de estares perante um jogo com um grafismo realista mas sim um visual com ideias realistas mas com texturas fantasiadas. A profundidade dos cenários é outro aspecto visual que te leva para dentro deste mundo de destruição onde as máquinas dominaram e exterminaram a raça humana.

No que diz respeito ao audio do jogo perceberás que está bem conseguida e também contribui para a imersão do jogo, contudo a meu ver poderiam estar mais desenvolvidos. Isto é, os efeitos sonoros estão exagerados levando-te para um mundo de fantasia o que na realidade estamos a falar de um jogo igualmente sério. Independentemente de esse ponto que me desagradou um pouco, não significa que estraga o jogo, nada disso.

Concluindo esta análise estamos perante a um jogo maravilhoso que te vai prender seriamente aos óculos de Realidade Virtual. A componente técnica de Apex Construct é algo que foi levado bastante a sério pois está soberba. Apesar de algumas falhas não faz com percamos o interesse a jogá-lo, é um jogo que se joga muito bem, mesmo com os quebra-cabeças, alguns deles desafiantes. É um jogo bastante equilibrado e isso é outro ponto a favor. Um FPS quase obrigatório a jogar.

4.0

Sim

  • Um jogo bastante imersivo
  • Gráficos e efeitos visuais fantásticos
  • Jogabilidade simples mas muito eficaz

Não

  • Banda sonora sonora pouco desenvolvida
  • História cliché
Published
Views 146