Foi no dia 2 de Outubro que foi lançado mais um incrível e diferente jogo para o PlayStation VR (PS VR), Astro Bot: Rescue Mission. Digo isto porque ao contrário de outros jogos onde nós temos de incorporar o personagem principal do jogo, aqui é exactamente o contrário: nós somos nós próprios e o nosso objectivo é ajudar o robozinho. E acredito que este seja o caminho para grandes e melhores títulos do PS VR. Não que os outros jogos sejam maus, longe disso, mas a verdade é que muitos jogadores (tal como eu), muitas vezes ficam indispostos e enjoados depois de certas experiências VR, devido à velocidade ou movimentos bruscos que temos no ecrã e que o nosso corpo não os sente pois está imóvel. Aqui somos nós que comandamos todas as operações, e além disso sentimos que fazemos parte da experiência, o que se torna fantástico.

Provavelmente muitos de vocês estão a pensar de onde conhecem Astro Bot, pois bem este é conhecido do Playroom VR, e usado numa demonstração das potencialidades do DualShock 4, que decorreu no ano de 2013, e agora, além de mostrar todas as potencialidades do PS VR, volta outra vez a mostrar como tecnologicamente o comando da PlayStation 4 era extremamente avançado para quando foi lançado, e continua incrível mesmo nos tempos de hoje.

ASTRO BOT Rescue Mission | Trailer de Lançamento | PS VR

Astro Bot: Rescue Mission é um jogo de plataformas, cheio de cores, e com muito brilho à mistura. Tudo num estilo bastante cartoonish, mas que eleva a qualidade do PS VR a outro nível. Quando o começamos a jogar e percebemos o tipo de mecânicas que o jogo nos oferece, assim com a diversidade de cenários e maneiras de superar certos desafios, o jogo que imediatamente nos vem à cabeça é Super Mario da Nintendo. Não que tente ser uma cópia, ou algo do género, falo sim na qualidade e na disposição das coisas no cenário, e claro, na excelente jogabilidade que o jogo nos oferece.

A história deste jogo é bastante simples: estamos nós a viajar na nossa nave repleta de robots amigos, quando aparece uma nave alienígena e nos ataca, Nesse momento os nossos amigos são enviados para cinco planetas diferentes, e como seria de imaginar, somos nós que teremos de juntamente com Astro Bot os resgatar dos diversos planetas e perigos que neles existem. Como podem ver, simples como se quer, e divertimento garantido como deve de ser.

Como é fácil perceberem, a nossa missão principal passa-se nesses cinco planetas, e cada planeta tem cerca de cinco zonas que teremos de explorar muito bem para tentar encontrar os nossos amigos. A zona final terá sempre um Boss que teremos de derrotar, o que dependerá sempre de um número mínimo de robots encontrados para vocês conseguirem prosseguir. Daí ter dito que a exploração é essencial, e essa procura deve ser feita a partir do capacete VR, isto é, devem conseguir estar num local onde consigam movimentar-se para todos os ângulos, incluindo para trás. Provavelmente o melhor será jogarem num banco, de maneira a conseguirem girar e ao mesmo tempo estarem baixos o suficiente para procurarem em zonas mais escondidas.

ASTRO BOT Rescue Mission | Os Bosses | PS VR

Para quem teve a oportunidade de jogar Moss (outro fantástico jogo para PS VR), provavelmente já sabe como funcionam todas estas mecânicas, embora em Astro Bot: Rescue Mission diria que o cenário onde podemos andar com o personagem seja muito maior, e com locais mais escondidos, e que por vezes temos nos leva a andar e a “espreitar” os cantinhos mais obscuros. E vale mesmo a pena observar tudo com detalhe, visto que irão encontrar os mais variados locais, ou seja, debaixo de água, na praia, nas nuvens, em grutas, entre outros locais.

A verdade é que com todo o conteúdo que o jogo tem, seja a encontrar os nossos companheiros, seja a apanhar os coleccionaveis, ou mesmo a ultrapassar os desafios, têm umas 10 a 12 horas de jogo. Caso apenas se interessem pelo principal do jogo, então diria que entre 6 a 7 horas chegam para o finalizar. Embora deva confessar que pela qualidade do mesmo, merece bem ser totalmente explorado.

Se nos voltarmos para a jogabilidade, tenho a dizer que é espetacular. Primeiro porque aqui sentimos toda a tecnologia e potencialidade dos DualShock 4, desde os sensores do movimento, a termos de atirar e puxar coisas, e tudo enquanto controlamos o nosso Astro Bot, tudo é incrível. Será muito fácil perceberem como é importante tudo o que o comando da PS4 nos oferece quando tiverem de enviar objectos, como é o caso do boomerang, ou mesmo das estrelas-ninja que nos ajudarão a ultrapassar diversos obstáculos. Acredito que muitos jogadores irão ficar admirados com certas coisas que conseguirão fazer, e que nem imaginavam que o DualShock 4 permitisse.

ASTRO BOT Rescue Mission | A origem do jogo | PS VR

Explorando um pouco mais o grafismo, como disse anteriormente, o estilo é de desenho animado, mas as texturas são do melhor que podem encontrar no PS VR. A luz e as cores do jogo preenchem-nos por completo, elevando a fasquia do jogo, seja na água, no céu, nas nuvens, e nos diversos cenários que vamos ter oportunidade de explorar, já que o jogo é vasto em termos de locais onde se passam as missões. Tudo está fantástico. Nota-se claramente que a qualidade e a beleza foram fundamentais para os criadores do jogo. As animações, tanto do nosso robot, como do resto dos personagens que encontramos nos cenários, estão engraçadas e alegres.

Quanto à banda sonora, está igualmente muito boa, encaixando que nem uma luva em todos os níveis do jogo. Além disso, podem contar com uma vasta faixa de músicas, criando sempre um novo ambiente e sendo sempre agradável, sem que tenhamos a sensação de repetição que muitos jogos de plataforma costumam ter. Obviamente que falando de um jogo de plataformas, todos os pequenos sons relacionados com os personagens estão incluídos, e também com pormenores muito bons.

Concluindo, Astro Bot: Rescue Mission é sem dúvida nenhuma, a par de Moss, o que de melhor vão encontrar no PS VR. Um jogo incrível, divertido, com um grafismo e uma estética brilhante. A jogabilidade toda ela também é muito boa, e consegue transmitir-vos, como poucos jogos, toda a potencialidade do DualShock 4. Se já têm o PS VR ou se pretendem comprá-lo, então este jogo é uma excelente opção. Para mim será sempre mais um pequeno marco no que toca a esta tecnologia que ainda terá muito para oferecer aos jogadores.

4.5

Sim

  • Graficamente brilhante
  • Uma excelente jogabilidade
  • Mostra todo o potencial do PS VR com do DualShock 4

Não

  • Está tão bom, que as 10h de jogo sabem a pouco!
Published
Views 150