Todos nós temos aquele amigo que passa a vida a falar dos jogos do passado; aqueles que ainda hoje acham que PES 6 foi o melhor jogo de futebol de sempre; aqueles que têm imensas saudades de Need for Speed Underground; e também aqueles que ainda hoje amam incondicionalmente Diablo 2. Os exemplos são vários, e acho que não sairia daqui se tivesse de me lembrar todas as “lamúrias” quanto às saudades que certos jogos provocam. Provavelmente esse é um dos motivos que leva diversas empresas a apostarem cada vez mais em remasterizações dos jogos de maior sucesso.

Chega agora a vez de Burnout Paradise ter a sua versão remasterizada para a PlayStation 4 e Xbox One. Diria mesmo que Burnout Paradise Remastered é provavelmente aquele jogo de carros arcade que muitos procuravam, mas não sabiam muito bem onde. Pois bem, aqui está ele. Eu nem sou grande fã de remasterizações, no entanto, quando são bem feitas, certos jogos merecem levar estes pequenos melhoramentos e serem lançados novamente.

Em Burnout Paradise Remastered as palavras chaves são diversão e velocidade. E não existe qualquer história, apenas surgimos em Paradise City, num carro a cair aos bocados, e que serve para nos ensinarem como repará-lo. Tudo isto ao som de Paradise City, dos Guns N’ Roses (música lançada em 1987 no álbum Appetite for Destruction). O pequeno tutorial continua a mostrar-nos como entrar em corridas, como podemos destruir os carros adversários, entre outras coisas. É incrível como um jogo lançado no inicio de 2008 consegue ainda hoje ser tão brutal.

Sem grande esforço começamos logo a dominar facilmente o carro, e a perceber como podemos enviar os nossos adversários contra a parede, postes, e tudo o que encontramos espalhado pela cidade. A sensação de velocidade é bastante boa, e isso aliado à violência dos choques entre carros, faz disparar os níveis de adrenalina.

Para os mais novos que podem nunca ter jogado Burnout Paradise, posso começar por dizer que todo ele é em mundo aberto. Podem e convém explorá-lo à vontade. Existem as provas que podem encontrar no mapa (a maioria delas começa nos cruzamentos que vamos descobrindo na cidade), e com quatro tipo diferentes: Road Rage, Marked Man, Burning Route e os fantásticos takedowns. Outra das incríveis características de Burnout Paradise é não existirem circuitos, e somente têm de cumprir o objectivo. O que significa são vocês que escolhem o melhor caminho até ao destino.

Mas nem só de corridas o jogo é feito, já que conforme vão vencendo corridas vão aumentando o nível da vossa carta de condução, e com isso vão sendo desbloqueadas novas pistas e novos veículos. Além disso, existem corridas especificas que só serão capazes de entrar com determinado tipo de veículos. O caso das motas é um exemplo claro, onde vão sentir uma velocidade estrondosa, e onde a maioria das corridas são para andarem a uma velocidade alucinante. Mas claro, é preciso ter mãozinhas.

O jogo vem com os 8 DLC incluídos, por isso podem usufruir de toda a experiência que este tem para vos oferecer. Infelizmente nada de novo foi adicionado ao jogo, e tirando a parte gráfica (na qual falaremos a seguir), tudo o resto continuou igual, o que significa que para grandes fãs de Burnout Paradise não existirá nenhuma surpresa.

Quanto à parte gráfica, ao iniciarem o jogo notarão logo as diferenças. Basta dizer que os jogadores da PlayStation 4 Pro e Xbox One X podem jogá-lo em 4K. Vão também encontrar um jogo a rodar a 60 fps (o que faz toda a diferença). Obviamente não o podem comparar aos gráficos de um Forza Motorsport 7 ou de um GT Sport, afinal de contas estamos a falar de uma remasterização e não de um remake.

Algo que continua exactamente igual – e ainda bem – é a banda sonora. Se em 2008 era um dos jogos de carros com melhor banda sonora, passado 10 anos, podemos dizer o mesmo. As musicas são as mesmas do jogo original e continuam a ser um dos seus pontos fortes.

Concluindo, Burnout Paradise Remastered é uma excelente aquisição para todos aqueles que têm saudades de um verdadeiro jogo de corridas arcade. 10 anos depois o jogo continua extremamente divertido, e para quem nunca o jogou chega a ser obrigatório entrar em Paradise City para ter esta experiência única de velocidade e destruição. Eu cá diverti-me imenso a reviver um jogo que desfrutei imenso há 10 anos atrás.

4.0

Sim

  • Grandes melhoramentos gráficos
  • A sensação de velocidade e destruição é excelente
  • A banda sonora ainda hoje é incrível

Não

  • Nada de novo foi adicionado ao jogo
Publicado
Visualizações 107