Pancadaria! Uma palavra que todos conhecem o seu significado e que tão bem descreve rapidamente os sete títulos que vamos falar em seguida. Mas antes disso, quero falar sobre a empresa a que provavelmente melhor lida com tudo o que se trata de jogos do género: a Capcom. A empresa foi criada em 1983, e desde aí foi sempre a somar sucessos. Sejam Fighters ou Beat ‘Em Ups, a verdade é que se tiver o símbolo da Capcom é bom sinal. Basta ver o sucesso que Final Fight obteve quando foi lançado, e o peso que o Street Fighter ainda hoje tem.

Mas vamos então focar-nos neste bundle de Beat ‘Em Ups, lançado agora, e que permite aos jogadores terem acesso a alguns dos melhores jogos dos anos 90, e que os mais novos provavelmente nem conheciam, mas em bem conhecidos dos mais graúdos pelas diversas moedas que deixavam nos Salões de Jogos. Eu, por exemplo, lembro-me bem de entrar nos Salões de Jogos, fazer cara de mau, e encher o peito de ar, fingindo que já tinha 18 anos e poder assim gastar as minhas moedas em diversos destes jogos.

Por incrível que pareça, o titulo que mais nostálgico me deixou, foi também o mais antigo deles: Final Fight. Lançado no ano de 1989, foi provavelmente um dos jogos com mais sucesso nas máquinas de arcada, e claro, o objectivo é rebentar com tudo o que é rufias do gangue Mad Gear que raptou a filha de um dos personagens jogáveis, Mike Haggar, o Mayor da cidade. Como podem ver, a justiça pelas próprias mãos é um dos pontos altos de qualquer um dos jogos que vamos encontrar neste bundle, com o bónus de poder ser jogado por dois jogadores em simultâneo.

Capcom Beat 'Em Up Bundle – Launch Trailer

Dois anos depois, no ano de 1991, chegavam mais três fantásticos Beat ‘Em Ups da Capcom: Captain Commando, Knights of the RoundThe King of Dragons. E curiosamente, era também o ano de lançamento de Street Fighter II. Como devem imaginar, a empresa japonesa estava em grande, e o seu sucesso era tremendo. Captain Commando é provavelmente aquele do qual se lembram melhor; com lugar num meio futurista, e na mesma cidade de Final Fight, no ano de 2026. Aqui podemos jogar até três jogadores, sendo o personagem principal Captain Commando, e algo bastante interessante neste jogo é que foi dos primeiros a mostrar-nos uma espécie de mapa para sabermos quantos níveis faltavam até ao final. Como já é costume nestes jogos, sempre que chegávamos ao final de um nível tínhamos um boss para derrotar.

Saltando agora para Knights of the Round, como o nome indica, trata-se de um jogo de Rei Arthur e dos Cavaleiros da Távora Redonda. Aqui podemos comandar Arthur, Lancelot e Perceval, e mais uma vez o objectivo é dar porrada em tudo o que mexe, no entanto, com um pequeno aspecto que o diferencia dos outros: existe evolução dos personagens. Conforme vamos adquirindo pontos, vamos aumentado o nosso nível, alterando a imagem do nosso personagem, e melhorando a sua armadura. Algo que não podemos deixar de falar neste jogo é quando adquirimos um cavalo, por exemplo, ele ficará para sempre virado para a esquerda ou para a direita, logo, se o apanharem virado para a esquerda, então, sempre que avançarem no cenário, ele estará virado para trás. Aqui era possível jogar até 3 jogadores em co-op.

The King of Dragons segue o mesmo estilo de Knights of the Round. Um jogo da época medieval, mas onde agora teremos de lutar contra monstros, orcs, minotauros, etc. Também apresenta um sistema de evolução, onde podemos ir apanhando diversas armas pelo caminho, e também com um pequeno mapa que nos permite saber em que local do jogo estamos exactamente.

Chegamos então a 1992 e a Warriors of Fate. A ocorrer na china antiga, os jogadores de Dynasty Warriors facilmente reconheceram alguns dos nomes dos bosses que vamos enfrentar (Li Dian, Xiahou Dun, Xu Chu, Zhang Liao, Cao Ren, Xu Huang, Lu Bu e Cao Cao). O jogo permite até três jogadores em co-op e tem cinco personagens à escolha.

Em 1994 chega Armored Warriors, um jogo bastante diferente do habitual, e desta vez podemos escolher entre 4 soldados, e que têm a particularidade de lutar dentro de robots gigantes. Ao longo dos níveis vamos apanhado partes dos nossos inimigos que podemos substituir pelas nossas, criando robots bastante diferentes e com ataques distintos do nosso ataque inicial. Tem pequenas particularidades que hoje dão-nos vontade de rir, como apanhar disquetes ao longo do caminho. O jogo pode ser jogado até três jogadores em modo co-op.

Por último temos Battle Circuit, que chegou em 1997. E confesso que foi um jogo que na altura me passou completamente ao lado. É o único jogo do bundle que permite até quatro jogadores em simultâneo, e além de termos de bater em tudo o que mexe, teremos também de tentar apanhar o maior número de moedas possíveis, porque no final de cada nível temos a possibilidade de fazer upgrade ao nosso personagem, e aprender uma nova habilidade.

Acreditem ou não, qualquer um destes jogos ainda hoje é extremamente divertido, então se for possível jogar com amigos a diversão duplica. Por isso mesmo, além poderem jogar em co-op local, Capcom Beat ‘Em Up Bundle oferece agora a possibilidade de jogarem com outros jogadores espalhados pelo mundo. E acreditem, todas as vezes que testei (exceptuando quando um jogador está a entrar na sessão que o jogo pára), tudo acontece sem quaisquer problemas, e quase sem lag nenhum.

Dizer também que, como é natural, o grafismo não é nada de especial. É aquilo que podiam ver nas máquinas arcade dos anos 90, e além disso conseguem notar bastante diferença entre os diversos jogos com anos diferentes, sendo que a maior diferença é se jogarem Final Fight e depois decidirem jogar Battle Circuit, não é por acaso que os jogos têm 8 anos de diferença.

Quanto à jogabilidade, é exactamente aquela que existia na altura, para o bem e para o mal. Não esperem facilidades, porque qualquer um destes jogos é tudo menos fácil. Os primeiros níveis até são simples, mas a partir daí preparem-se para saber o que eram jogos com nível de dificuldade elevado. A parte boa é que podem estar sempre a fazer continue, o que significa que vão conseguir finalmente chegar ao fim daqueles jogos onde tinham de gastar uma fortuna nas máquinas para o conseguir.

Algo que também não pode passar ao lado é a galeria de imagens, aqui temos diversas ilustrações dos personagens como da interface com o utilizador que foram feitas na altura da criação dos diversos jogos, esta está dividida por os diversos jogos, e até aqui conseguimos ver a evolução dos tempos. Sem duvida nenhuma uma galeria bastante interessante que nos mostram como eram criados os video jogos nos anos 90.

Capcom Beat ‘Em Up Bundle é uma excelente e boa aposta da Capcom. Senti-me a reviver os meus tempos de criança, e a derrotar todos aqueles bosses que em tempos já conhecia os seus movimentos de trás para a frente, revisitando alguns dos jogos que marcaram uma época. Caso gostem de Beat ‘Em Ups este é sem dúvida um jogo a ter em casa, até porque vos leva aos primórdios e ao início de uma época onde estes jogos faziam a delícia dos jogadores.

4.0

Sim

  • Um excelente bundle com grandes sucessos dos anos 90
  • Embora alguns tenham quase 30 anos continuam super divertidos
  • O online é uma adição excelente que vai agradar a todos!

Não

  • Os erros de jogabilidade da altura continua todos lá!
Published
Views 115

Deixa um comentário