Foi em 2001 que Carcassonne ganhou o prémio de melhor jogo do ano, e estamos a falar de um jogo de tabuleiro que se rege por ideias de estratégia, mas também por uma pontinha de sorte. Ideal para toda a família. Para quem não sabe, Carcassonne é uma cidade francesa que é bem conhecida pela sua incrível fortaleza medieval, e que envolve toda a parte antiga da cidade. E este jogo é bastante inspirado nisso, já que este se passa na época medieval e o nosso objectivo é criar caminhos, cidades, controlar campos e até mosteiros; tudo isto com diversas regras e peças, com as quais vamos jogando.

Chegou agora a vez de Carcassonne chegar à Nintendo Switch, uma consola bem conhecida por ser excelente para receber jogos de tabuleiro nas suas versões digitais, especialmente pela sua portabilidade, e por ter touch screen. O jogo é composto por 72 peças, sendo que o jogo começa imediatamente a partir do momento em que a primeira peça é colocada em cima da mesa, e onde cada jogador poderá jogar uma única peça por turno (das 71 que restam). Mas existem regras bastante simples, isto é, peças que contenham estradas devem ser colocadas de maneira a estender outras estradas, ou de forma a iniciar uma nova estrada; peças com campos devem ficar adjacentes a outros campos; peças com cidades devem ligar-se a peças adjacentes a cidades, ou num local pronto a iniciar uma nova cidade; e por fim, os mosteiros devem ser colocados em peças adjacentes a campos. Além disso, existem peças semelhantes a peões, que devem ser depois colocadas de forma a reivindicar uma cidade, assim como uma estrada, um campo, ou até um mosteiro.

É a pontuação que dita o vencedor do jogo quando acabam as 71 peças, mas antes, os jogadores podem ir ganhando pontos, e isto acontece quando completa uma cidade, uma estrada ou um mosteiro. No caso dos mosteiros é bem simples: são pontuados quando estão completamente cercados; no entanto, no que respeita às cidades, são pontuadas quando ficam completamente fechadas; por fim, no caso das estradas, é quando estas ficam completas de um ponto a outro. Quando acabam as 71 peças chega a hora de somar tudo o que está inacabado e os campos.

O jogo vai de 2 a 6 jogadores, e podem ser jogadores humanos, ou comandados pela inteligência artificial (IA). E falando da IA, existem quatro níveis de dificuldade (Easy Neighbor, Fierce Egoist, Risk-Taker, Conqueror). E começando pelo Easy Neighbor, tal como o nome indica, provavelmente pensarão que será fácil, porém, não será bem assim. Esta dificuldade já se mostra como um desafio assinalável, principalmente para os jogadores mais inexperientes.

Carcassonne – Trailer de lançamento (Nintendo Switch)

Além de tudo o que já enunciei acima, existem também expansões que mudam as regras e adicionam novas pontuações ao jogo (algo que acontece igualmente na versão física do jogo). Esta versão vem com duas expansões completamente gratuitas e outra que podem adquirir na eShop. O jogo vem também com um tutorial, que infelizmente é extremamente fraco para quem não conhece as regras do jogo, o que inevitavelmente vos fará visitar as opções e ler o How to Play, de modo a perceberem as regras do jogo.

Algo que também poderia existir, era uma opção online. Seria bastante interessante conseguir jogar com diversos jogadores espalhados pelo mundo e até com os nossos amigos. Para já, terão mesmo de se juntare em algum local com os vossos amigos ou familiares para competirem entre vocês.

Graficamente está razoável, mas não esperem grandes animações ou excelentes texturas; fica tudo no razoável. É possível fazer zoom in e zoom out de forma a conseguirem ter uma melhor percepção do mapa, e é também possível verem as peças que ainda faltam jogar; além da possibilidade de mudarem a câmera para uma visão vista por cima, ou para uma visão isométrica. Já a parte sonora, apresenta uma música bastante calma, bem ao estilo medieval, e neste campo o jogo está bastante competente.

Carcassonne é um jogo bastante interessante, tal como acontece na sua versão física. Provavelmente serão adicionadas ainda mais expansões como acontece com o jogo físico, já que tem imensas expansões. Se são fãs deste jogo na sua versão física provavelmente não se irão arrepender. Contudo, caso não sejam fãs deste tipo de jogo, provavelmente encontrarão melhores opções.

3.0

Sim

  • Bastante divertido para quem gosta deste género
  • Uma excelente maneira de joga-lo em qualquer lado

Não

  • Uma dificuldade mal nivelada
  • Falta de modo online
  • Um péssimo tutorial
Published
Categories Análises Nintendo
Views 39

Deixa um comentário