A Blizzard é provavelmente uma das companhias que melhor trata dos seus jogadores, e digo isto por toda a qualidade que nos oferece, não só nos lançamentos dos jogos, mas especialmente após o seu lançamento. Se repararmos, são raros os jogos lançados que não recebem actualizações periodicamente, melhorando assim a qualidade do jogo através de novo conteúdo adicionado, mas também corrigindo problemas encontrados. Basta olhar para o sucesso de World of Warcraft e de StarCraft 2, que ainda hoje são jogados por imensos jogadores; e claro, para Diablo 3, que embora seja um jogo com cerca de 6 anos na versão PC, e outros tantos na versão PlayStation 4 e Xbox One, a verdade é que continua a ter uma comunidade enorme.

Com o sucesso que a Nintendo Switch tem demonstrado desde que foi lançada, a Blizzard decidiu brindar os jogadores com um dos seus melhores jogos de sempre: Diablo 3: Eternal Collection. Bem sei que sou suspeito para falar, já que sou um enorme fã dos jogos de Diablo, mas depois de tê-lo testado (numa versão de demonstração e agora na sua versão final), tenho de dizer que o jogo está simplesmente incrível na consola portátil da Nintendo! Acredito que quem tenha o jogo noutras plataformas esteja algo renitente em adquirir esta versão, mas caso decidam comprá-lo não se vão arrepender de maneira alguma.

Diablo III: Eternal Collection – Trailer de revelação (Nintendo Switch)

Mas vamos então ao jogo e ás novidades que esta versão da Nintendo Switch nos traz. Primeiro que tudo, existem algumas peças que podem encontrar e que estão ligadas ao universo de Legend of Zelda: como uma galinha que pode acompanhar-vos (a Cucco); uma frame do vosso personagem, baseada na Triforce; e, nada mais, nada menos, do que uma armadura inspirada no Ganondorf.

A outra grande novidade é a possibilidade de jogar em co-op localmente, e caso tenham outros amigos ao vosso lado com consolas Nintendo Switch, é possível jogar entre 2 a 4 jogadores. Como devem imaginar, é uma das melhores maneiras de usufruir de Diablo 3, e é sem dúvida um daqueles jogos que sabe bem jogar com companhia. Da minha experiência ao testá-lo, funcionou sempre sem problemas, bastante fluído e sem nunca falhar uma ligação.

Por último, podem todos os dias utilizar um amiibo para abrir um portal, de onde sairão aleatoriamente diversos monstros, ou mesmo um boss. Embora tanto esta opção do amiibo, como a frame, ou mesmo o fato do Ganondorf, não sejam adições fantásticas, a verdade é que sabe sempre bem sentir que a Blizzard simplesmente não pensou em fazer um port directo, sem se preocupar minimamente com os jogadores. Pequenos pormenores que mostram empenho e até um certo carinho por todos nós.

Para quem não está familiarizado com Diablo 3: Eternal Collection, trata-se de um dos melhores RPG’s de acção de todos os tempos. Esta versão oferece todos os conteúdos que foram lançados até hoje, quer a expansão Reaper of Souls, quer o DLC Rise of the Necromancer. Ficando o jogo ao todo com 7 classes (Barbarian, Cruzader, Demon Hunter, Monk, Necromancer, Witch Doctor e Wizard). Além disso, podem ainda escolher se a vossa personagem será Masculino ou Feminino.

Diablo III: Eternal Collection – Bem-vindo ao Inferno (Nintendo Switch)

Quanto ao modo história, terão 5 actos cheios de acção do princípio ao fim, sendo que os quatro primeiros, referentes ao jogo original, e o quinto referente à expansão Reaper of Souls. É importante referir que a história é bastante interessante, assim como os diálogos e até os diversos livros que podem e devem encontrar para vos enquadrar relativamente à história. Mesmo que não tenham jogado os anteriores, não há qualquer problema, visto que tudo é passado bastante tempo depois do 2º jogo. Além do modo história, também existe o modo aventura, e aqui provavelmente será o local onde rapidamente conseguirão melhores equipamentos, já que tem as caçadas, as fendas e ainda a procura da chave. Existem também as temporadas, que vos recompensam se conseguirem atingir os objectivos e os desafios que vos vão sendo propostos.

Como é fácil perceber, o que não falta neste jogo é conteúdo, e será daqueles que vos vai deixar imensas horas presos ao ecrã. No meu caso, e mesmo depois de tê-lo acabado diversas vezes na versão PC, quando agarrei na versão Switch passei igualmente bastantes horas a jogar, porque além do jogo em si ser excelente, esta versão da Nintendo Switch está incrível. Para começar, tem 60 fps estáveis, tanto em dock, como em modo portátil, e a única coisa que difere é mesmo a resolução de ecrã.  Algo que também não quero deixar de referir são as cutscenes, que ainda hoje conseguem impressionar, e embora não existam muitas, as que existem são excelentes e ilustram bem como em 2012 estas já estavam bem à frente do seu tempo.

Obviamente que, graficamente, esta versão não pode ser comparada com as restantes plataformas, mas a verdade é que tirando o PC, mais nenhuma das outras plataformas me deu tanta vontade de jogar Diablo 3, como na Nintendo Switch. Faz com que continue agarrado ao jogo em todos os períodos livres que tenho. A portabilidade ajuda, a velocidade em todos os menus também, a fluidez ainda mais, e claro, o jogo em si, que não me canso de dizer é incrível.

Diablo 3: Eternal Collection consegue ser mesmo um dos melhores títulos a chegar este ano à Nintendo Switch. Por tudo o que oferece, e por todo o trabalho que a Blizzard conseguiu, deixando o jogo incrivelmente fluido e graficamente apelativo. Caso sejam fãs deste tipo de jogos, este é sem dúvida um dos títulos a não perder.

4.5

Sim

  • Extremamente fluido!
  • Oferece todo o conteúdo lançado até hoje!
  • Continua a ser um jogo incrivelmente actual

Não

  • Preço exagerado em relação as outras plataformas
Published
Categories Análises Nintendo
Views 86

Deixa um comentário