As caras emblemáticas de uma das séries de jogos mais conhecidas do mundo juntaram-se para trazer horas e horas de divertimento. Estou a falar de Final Fantasy um dos nomes mais conhecidos no mundo dos RPGs. Mas ao contrário dos títulos desta franquia, este é um jogo completamente diferente do que os jogadores estão habituados. Mas para os mais distraídos Dissidia não é novo nestas andanças porque em 2009 e 2011 os detentores de uma PlayStation Portable puderam “partir” os botões desta consola portátil a jogar Dissidia Final Fantasy e Dissidia 012 Final Fantasy, respectivamente.

Mais uma vez e como é lógico Dissidia Final Fantasy NT saiu primeiramente no Japão nas máquinas de Arcada em 2015. Passado este tempo, finalmente os jogadores ocidentais podem jogar este título desenvolvido pela Team Ninja. Neste jogo de combates em que fazes equipa com mais dois elementos quer seja IA (Inteligência Artificial) ou outros jogadores, tens que provar quem é o melhor mas ao mesmo tempo zelar pelos teus companheiros, porque nestes combates 3×3 algo que é muito importante é o trabalho em equipa.

O palco destas batalhas fantásticas é, nada mais, nada menos que cenários que ficaram marcados na história dos vários Final Fantasy. Tens 15 arenas, uma de cada episódio principal da franquia. No que diz respeito a personagens jogáveis, por enquanto tens uma lista de 28 personagens, que caso algumas excepções, cada episódio tem a personagem principal e o seu arqui-inimigo, dando o exemplo da rivalidade de FFVII, Cloud e Sephiroth.

Cada personagem está muito bem trabalhada principalmente no que toca às movimentações e às suas habilidades especiais, nota-se o excelente trabalho para replicarem os personagens originais. Dificilmente vais ver ataques iguais de personagens diferentes, porque cada um tem a sua identidade e o seu estilo de luta distinto. Ainda falando dos nossos guerreiros, não é só os movimentos que estão fantásticos, a indumentária e as armas estão algo de outro mundo. O trabalho para recriarem estas personagens e as colocarem num jogo totalmente diferente salta à vista de tão bom que está.

 

 

Estas personagens podem ser jogadas em 3 modos diferentes, o modo offline, o modo online e o modo história. O primeiro modo será certamente um que te roubará algum tempo, isto porque vais ter de jogá-lo para conseguir evoluir os teus personagens principais para quando quiseres entrar no modo online. Isto porque quanto mais alto for o nível, mais magias aprendes e podendo assim fazeres a tua táctica (cada personagem tem uma habilidade especial e dois slots para magias) para vencer a equipa adversária. Outro motivo de seres forçado a jogar localmente offline é o desenvolvimento do modo história.

Aqui entra um capítulo que achei muito agri-doce porque não é um modo história convencional. Normalmente nos jogos de combates os jogadores combatem e assistem a uma cinemática e assim por diante. Em Dissidia Final Fantasy NT, este modo é praticamente todo desenvolvido em cinemáticas e que lá pelo meio tens uns combates para ganhares. No que diz respeito aos momentos cinematográficos nada a apontar, bem pelo contrário, mas já explico melhor o motivo. Nas batalhas que encontras pelo meio da história tens uma equipa já preparada para lutar. Se te calham personagens que não te adaptas tão bem vais encontrar algumas dificuldades pois deverão estar pouco evoluídas e com o desenrolar da história os inimigos vão ficando mais fortes. Outro motivo de dependência do modo offline para a progressão do Story Mode é devido a precisares de pontos para poderes chegares ao fim da narrativa.

Outro modo de jogo que é muito importante dares uma vista de olhos e o Tutorial, e sendo o mais honesto possível aqui vais encontrar a chave do teu sucesso. O tutorial é extremamente completo, explica-te como se faz determinadas coisas, e como tens de as pôr em prática.

Durante a tua evolução em Dissidia Final Fantasy NT podes abrir tesouros que te dá três itens. Estes itens podem ser de vários tipos, podem ser Avatares para pores na tua conta do jogo, roupas, armas, músicas entre outros itens. Para usares estes itens tens uma área de customização que podes mudar o visual e as armas das personagens mas estes componentes não passam exclusivamente de elementos estéticos com que façam que o lutador tenha uma apresentação de outro nível.

 

 

Graficamente o jogo está num patamar acima de muitos outros. Tudo o que vês no jogo está simplesmente fantástico. Tudo trabalhado ao mínimo pormenor e este trabalho nota-se desde o primeiro instante do jogo, quando és brindado com o video de apresentação. As restantes cinemáticas estão igualmente espectaculares com muito detalhe de um nível de excelência juntamente com uns efeitos visuais soberbos que deixam qualquer um rendido. Até em jogo o grafismo está impecável, praticamente imaculado.

A banda sonora do jogo está fora de série, tal como o aspecto visual. As músicas que ouves durante os combates são as já conhecidas dos vários episódios da saga Final Fantasy mas re-orquestradas, dando assim aquela emoção dos velhos tempos mas numa qualidade superior.

Já a jogabilidade, não está no mesmo nível dos gráficos e da banda sonora, nem de perto, porque é neste tópico que encontramos os maiores problemas deste jogo. Começando pela câmara que muitas vezes deixas de ver o adversário porque este saltou e tu estás junto de uma parede ou de algum obstáculo e a tua câmara simplesmente bloqueia e só o voltas a ver quando ele já está a atacar. Em relação aos comandos é fácil decorar os botões, os analógicos para movimentar e ajustar a câmara, um botão para os ataques básicos, outro para o ataque de finalização, um para usar magias e as habilidades especial e outro para saltar. Os ataques básicos diferem mediante a combinação de teclas. Por exemplo se carregares no Círculo (Tecla do ataque básico) com o analógico para cima a tua personagem faz um tipo de ataque, mas se for com o analógico para baixo já faz outro. Não podia deixar de falar na invocação dos Summons, estas bestas são invocadas quando uma barra ficar completamente preenchida. Após isso eles são invocados e podemos deliciar-nos ou temer (dependendo qual a equipa o invocar) a aparição do Summon. Cada um deles tem habilidades que influenciam antes da invocação e depois da invocação. Mas uma coisa é certa a invocação destas criaturas podem virar o resultado do combate. Quando estás a jogar offline o Summon que escolheres é o que vais invocar, caso estejas a jogar no modo online, a escolha e tomada por votos, quem tiver mais é o escolhido. Podes escolher um dos sete Summons: Ifrit, Shiva, Ramuh, Leviathan, Odin, Alexander e Bahamuth.

De um modo geral Dissidia Final Fantasy NT está num nível superior na parte técnica porque quer na parte gráfica quer na parte sonora estão excelentes. Mas os pontos menos bons apesar de não destruírem a reputação do jogo, causam um valente rombo na avaliação. Mas independentemente disso é sem dúvida um jogo super desafiante e interessante de se jogar. É um jogo que prova que Final Fantasy pode dar cartas no que toca a jogos de luta e ser jogado em equipa.

3.5

Sim

  • Os gráficos estão maravilhosos.
  • As músicas re-orquestrados fazem com que dê um toque mais moderno às originais.
  • Um jogo super divertido para ser jogado com os amigos.

Não

  • Sensação de sermos forçados a jogar o modo offline para termos sucessos nos outros.
  • Alguns problemas na jogabilidade.
Published
Views 339