A Iron Galaxy já mostrou que sabe fazer bons trabalhos, e temos o caso de Killer Instinct ou de Marvel vs. Capcom Origins. Agora, o mais recente jogo da companhia é Extinction, um jogo que foi apresentado na E3 de 2017 e que parecia ter um enorme potencial.

Para quem não conhece, Extinction é um jogo de acção na terceira pessoa, e totalmente virado para o combate. Pode ser facilmente comparado a Attack on Titan, mas toda a sua história e mecânica de combate é muito mais simples e facilitada.

Neste jogo somos o último sentinela, Avil, cujo objectivo é defender as cidades que estão a ser atacadas pelos Ravenii (Orcs extremamente gigantes), e por outros orcs mais comuns. O objectivo destes é matar todos os humanos que encontram pelo caminho, enquanto os Ravenii tentam destruir todas as construções que encontrarão nas cidades. Mas não estamos sozinhos, dado que vamos sendo auxiliados por Xandra, com diversas diversas ajudas e indicações. O modo campanha é dividido por capítulos, e no fim de cada capítulo vamos tendo acesso a um bocadinho da história.

O combate está bastante interessante, e a agilidade do nosso personagem permite-lhe mover-se com bastante facilidade, conseguindo desviar-se dos ataques sem grande dificuldade; sobe quaisquer edifícios aos saltinhos, e também tem a opção de lançar um gancho para se agarrarem a certos locais, o que facilita as nossas deslocações. Algo que é bastante importante, pelo menos nas primeiras missões, é matar bastantes orcs e salvar o maior número de humanos que conseguirem, porque dessa maneira a barra de SP irá encher de modo a poderem ir combater os Ravenii que irão surgindo.

Os Ravenii servem essencialmente para destruir todos os edifícios da cidade, logo tudo temos de fazer para impedi-los. Para isso, usam essencialmente o botão L2 ou LT (consoante a consola que estiverem a usar), que por sua vez irá recriar uma espécie de slow motion com uma mira, com pontos específicos onde têm de acertar, e ao colocarem o alvo no local correcto largam o botão e automaticamente Avil irá desferir um golpe no Ravenii que vocês estiverem a lutar.

Podem cortar pernas, braços, ou cabeças, que é maneira de finalizar um Ravenii. Claro que se no início tudo é simples, com o andar da carruagem eles começam a chegar cada vez com mais armaduras, e nesses casos temos de destruir primeiro os locais das armaduras onde queremos lhes cortar os membros, e por fim, cortar-lhes a cabeça. Tudo parece bastante simples, e até é, o problema está na câmera do jogo, onde existem certos locais que chegam a ser uma tortura lidar com a câmera, de forma a que não entre pelo monstro adentro e ficarmos com o ecrã completamente preto. Cheguei a perder imenso tempo a tentar cortar um cadeado que estava na cabeça de um dos Ravenii, simplesmente porque ao girar a câmera esta ia sempre para dentro da cabeça do monstro, mesmo sendo um jogo na terceira pessoa.

Os Ravenii também se defendem, e nesse sentido precisam de ter cuidado com as patadas, mas também com as suas mãos. Sempre que nos vêem atacam-nos como tudo o que podem, embora sejam bastante lentos, o que nos ajuda a fugir ou a conseguirmo-nos desviar, porém, se nos acertam, ou o dano é enorme, ou matam-nos instantaneamente.

Praticamente tudo o que existe em Extinction oferece pontos de habilidade, e estes servem para melhorarem as vossas habilidades, existindo um total de 16 habilidades ou melhoramentos, e podem, por exemplo, aumentar a vossa vida, diminuir o tempo para salvar os diversos humanos, etc. As missões são sempre compostas por um objectivo principal, e por três objectivos secundários. Caso vocês sejam daqueles jogadores perfeccionistas que gostam de obter os 100% em todas as missões, posso já garantir que têm a possibilidade de repetir as missões sempre que quiserem. E claro, podem repeti-las já com os todos os melhoramentos que entretanto adquiriram.

As animações do jogo e o seu grafismo estão bastante bons, tudo com um estilo “cartoonish”, e simples, ao mesmo tempo. Quanto às musicas e vozes estão razoáveis.

O grande problema de Extinction reside na sua repetição, e por muito que os Ravenii venham mais apetrechados, e que as cidades fiquem maiores, a verdade é que temos de fazer sempre o mesmo: ajudar a salvar os vários humanos, e matar os Ravenii, que têm como objectivo destruir as cidades. Se nos primeiros níveis até toleramos bem isso, com o passar do tempo, começa a tornar-se exageradamente aborrecido. O jogo apresenta-nos ainda mais três modos: o Daily Challenge, o Extinction e o Skirmish, mas que na realidade não trazem nada de novo em relação ao que já vimos no modo campanha.

Extinction tinha tudo para ser um grande jogo. Bastava ter uma história mais interessante, e evitar um pouco a repetição entre missões. O combate é uma mais valia e nota-se que foi bem trabalhado. Pode ser que com algumas adições feitas ao jogo, seja possível melhorá-lo substancialmente. Por agora fica um pouco aquém das expectativas.

2.5

Sim

  • Combate fluido e divertido
  • Grafismo bastante interessante

Não

  • Extremamente repetitivo
  • Historia muito fraquinha
  • A Camera é pessima em certos momentos
Published
Views 109