A Bethesda já nos habitou a apresentar RPGs de enorme qualidade, e temos o exemplo da saga The Elder Scrolls que já conta com cinco jogos e todos eles com enorme sucesso. Mas existe também outra saga de culto, e falamos obviamente de Fallout, num incrível cenário pós-apocalíptico, e palco de histórias extremamente interessantes.

Mas a Bethesda decidiu dar um passo em frente, e tentar juntar a comunidade Fallout num único MMORPG, ou seja, Fallout 76. A ideia era aliciante; um mapa recheado de jogadores, onde estes é que decidiam se seriam amigáveis, hostis, se jogavam de forma solitária, ou se jogariam em grupo. Seria a própria pessoa a decidir o que fazer, e tudo isso tornaria o jogo incrível, diferente e imprevisível.

A história de Fallout 76 não foge muito do que já estamos habituados, sendo que uma enorme ameaça na forma de um ataque devastador está à espreita, e nesse sentido, no dia 4 e Julho de 2076 é inaugurado o Vault 76: um abrigo subterrâneo idealizado pela Vault-Tec. Um local onde seria possível sobreviver ao ataque, e onde alguns dos melhores cidadãos americanos, incluindo as mentes mais brilhantes poderiam ficar abrigados até ser seguro voltar à superfície.

Fallout 76 – Official In-Game Intro

Como é fácil prever, esse ataque acontece e obviamente diversos cidadãos ficam abrigados no Vault 76; o jogo começa em 2102, no dia em que o abrigo será finalmente aberto para voltarmos à superfície e reconstruir-mos a América, e mais propriamente em West Virginia, local onde todo o jogo se passará. Será nesse momento que criamos o nosso personagem, e praticamente tudo podemos escolher relativamente ao seu aspecto, desde tamanho do queixo, da boca, bochechas, olhos, cor de cabelo, forma do cabeço, sexo, entre outras coisas.

A partir daí começa a nossa nova vida, numa missão que não é apenas de reconstrução da América, mas principalmente de sobrevivência. A partir do momento que vocês saem do Vault 76 tudo poderá acontecer.

E já que falamos em sair do Vault, posso desde já dizer que este é o maior mapa de sempre de Fallout, e além de vasto, temos de admitir que é um mapa preenchido, cheio de surpresas e com diferentes áreas. É muito bom sentirmos que o mapa não nos transmite aquela sensação de repetição como em alguns jogos, já que tem diversas áreas, todas elas diferentes. A sensação de mudança de local está lá, e isso também nos ajuda a querermos explorar e não ficar sempre na nossa “zona de conforto”.

A “zona de conforto” será a nossa base, agora tratando-se de um MMORPG isto torna-se ainda mais importante, um local onde podemos construir algo minimamente seguro para nós. Além da casa para nos abrigar, será também possível construir barreiras e torres. Obviamente que é possível construir e colocar armas em zonas da base para nossa protecção, o que será extremamente útil principalmente contra monstros e inimigos controlados pela Inteligência artificial (IA). Além disso será o local onde vão guardar tudo o que encontrarem.

Fallout 76 – Official Trailer

Para obtermos todo o tipo de materiais úteis para construir armas, armaduras, balas, entre muitas outras coisas, será necessário explorar, e será nesta exploração que as coisas começam a ser complicadas, porque enquanto caminhamos pelo mapa, somos atacados por diversas criaturas, umas mais poderosas que outras, mas todas elas com vontade de nos devorar. Se as matarmos podemos procurar nos seus corpos por materiais, e se virmos corpos deixados no chão, assim como baús, caixas ou até carros abandonados convém irem sempre dar um olhinho, e muitas vezes apanhamos material útil para a nossa sobrevivência.

Além dos inimigos controlados pela IA é preciso ser extremamente cuidadoso com os jogadores reais, já que nunca sabemos se nos querem ajudar, ou simplesmente matar. Tudo vai depender da vossa forma de jogar e de como vão reagir a essas adversidades. Na minha experiência, a maioria das vezes o objectivo é mesmo o PVP, e raras foram as vezes que algum jogador humano tentou ser amigável, ou se mostrou mesmo indiferente à minha passagem.

Mas descansem, porque até chegarem a nível 5 ninguém poderá vos atacar (a não ser a IA). Logo, se arranjarem materiais suficientes para estarem minimamente equipados, quando chegarem a nível 5 provavelmente já conseguirão dar alguma luta em situações de PVP.

No entanto, infelizmente os servidores a maioria das vezes encontram-se muito vazios, o que é um ponto bastante negativo se pensarmos que a Bethesda idealizou o jogo para ser preenchido essencialmente por jogadores reais.

Já que falamos em missões, estas vão aparecendo ou sendo encontradas e apanhadas, e no início terão logo uma missão principal que irá se desenrolando conforme vão avançado no jogo. Mas existem diversas missões secundárias e até eventos a acontecer ao mesmo tempo. As missões secundárias podem ser encontradas em cassetes perdidas que podem ouvir; já os eventos começam em diversos locais, e se vocês estiverem por perto, aparecerá automaticamente esse evento para quem nele quiser participar, sendo que na maioria das vezes o objectivo é limpar hordas de inimigos que aparecem em determinados locais.

Fallout 76 – 'A NEW AMERICAN DREAM' Official Trailer | Gamescom 2018

Como referi anteriormente, a sobrevivência é algo que está sempre presente em Fallout 76, isto porque além dos perigos que já vos enunciei existe outro, que é o vosso próprio personagem. Sim, vocês terão de dormir e descansar, encontrar comida para matar a fome, beber líquidos para se hidratarem, e até cozinhar. E se pensam que existem rios e água por todo o mapa, em parte é verdade, o problema é que quase toda ela está contaminada, o que significa que podem ficar com radiação alta, o que fará perderem vida e até morrerem, em último caso. Obviamente que mais vale ficar com um pouco de radiação do que morrerem à sede, mas são estes pequenos dilemas que o jogo vos permite coloca, e que sempre tornaram Fallout um jogo incrível.

Lembram-se dos SPECIAL, ou das habilidades? Estas continuam, mas agora rompendo com o sistema de árvore a que estávamos habituados e passando a ser um sistema de cartas. Conforme os pontos de habilidade que têm disponíveis, podem colocar uma nova carta na categoria especifica, e com isso aprender essa habilidade. Acreditem que no início não é muito intuitivo, mas depois facilmente se habituam a esta nova maneira de gerir as vossas habilidades.

Outra das mecânicas que mudou foi o VATS, também conhecido por Vault-Tec Assisted Targeting System, este sistema permitia escolher uma zona do corpo do nosso inimigos onde queríamos que os nossos ataques acontecessem, e com isso sermos bastante mais eficazes, tudo isso nos anteriores jogos acontecia estando o jogo em pausa. Agora tratando-se de um jogo online, a pausa não era uma solução já que essa não existe nunca, a maneira que a Bethesda encontrou de o sistema ser incluído em Fallout 76 foi que a mira se desloque automaticamente para uma zona do corpo de inimigo, obviamente que a ideia não é má, mas demora o seu tempo a nos habituarmos e até a domina-la.

É, porém, difícil de compreender os diversos problemas que Fallout 76 apresenta, com lag nos servidores, onde por vezes disparamos e não causamos qualquer dano nos inimigos, onde por vezes o pico de lag é tão alto que vemos o inimigo ao longe e dois segundos depois está em cima de nós a atacar-nos. Além disso, é bastante usual verem inimigos presos nos tectos das casas, presos no chão, dentro de carros só com a cabeça a sair pelo capô, ou mesmo a aparecerem vindos do chão. Para não falar da parte mais frustrante, que são algumas missões que, sem qualquer razão, são dadas como fracassadas, quando fizemos exactamente o que era suposto.

Fallout 76 – Official Live Action Trailer

Embora Fallout 76 apresente todos estes problemas, a verdade é que jogado com amigos torna-se bastante mais divertido, e ganhamos uma nova motivação para andar por aquele mapa incrível e gigante a explorar e a completar missões. Por outro lado, sozinhos e com tantos problemas, a vontade de voltar a West Virginia é muito pouca, e a socialização será essencial para Fallout 76 conseguir ter sucesso. E nota-se que a Bethesda tem feito por melhorar vários problemas do jogo, e só nestas duas primeiras semanas já vamos com diversos updates e todos eles enormes.

Graficamente Fallout 76 é bastante similar a Fallout 4, embora se note que houve algumas melhorias no que toca a diversas texturas. É sem dúvida alguma o melhor Fallout no que toca à componente gráfica, apesar de estar bastante diferente de tudo aquilo que nos foi apresentado nos trailers do jogo. Bem sei que os jogos da Bethesda levam sempre com diversos MODs em cima, que os fazem parecer jogos encantadores, mas nem todos os jogadores estão para isso, o que significa que podem sentir-se enganados por trailers pouco honestos.

Fallout 76 tem tudo para ainda ser um enorme sucesso, basta a Bethesda corrigir os diversos problemas que o jogo apresenta, e adicionar algum conteúdo que dê mais vida ao jogo, contudo, se olharmos apenas para as missões que nos são apresentadas, e para o factor de sobrevivência, não será por aí que fará os jogadores ficarem muito entusiasmados. Por agora fica difícil ser um jogo a recomendar, no entanto espero que nos próximos tempos possa vir a dizer o contrário, já que o universo Fallout merece.

3.0

Sim

  • A nova idealização do jogo tinha tudo para dar certo
  • O melhor e maior mapa de sempre de um Fallout
  • Graficamente é o melhor de toda a franquia

Não

  • O lag perturba imenso a experiência
  • Diversos bugs
  • Falta a narrativa que tanto brilha nos restantes jogos da serie
Published
Views 75

Deixa um comentário