Um dos jogos que me “piscou” logo o olho quando apresentado pela Nintendo foi Fire Emblem Warriors. Não só porque sou um fã da série Fire Emblem, mas principalmente porque adoro a serie Dinasty Warriors. Confusos? Passo a explicar: Fire Emblem Warriors trás-nos a essência de Dinasty Warriors, onde o espírito é exactamente o mesmo; e não é por acaso que é um Beat ’em up, desenvolvido também pela Omega Force (estúdio que desenvolve há diversos anos Dinasty Warriors), Team Ninja e Intelligent Systems.

Para os que já seguem a saga Fire Emblem há algum tempo, a maioria dos personagens que vão encontrar são vossos conhecidos. Temos diversos personagens de Fire Emblem Fates, outros tantos de Fire Emblem Awakening; e até podem encontrar Marth, personagem que já faz parte de diversos jogos de Fire Emblem e até os fãs de Super Smash Bros devem conhecê-la bem, visto que é uma das lutadoras com mais sucesso nesse jogo.

O início do jogo começa logo com a apresentação de dois personagens novos, Rowan e Lianna – um príncipe e uma princesa que são irmãos. Embora o jogo não tenha personagens principais, podemos dizer que a história desenrola-se muito à volta deles. A história do jogo é bastante simples: quando Rowan e Lianna estão nos jardins do palácio a treinar com Frederick, o reino começa a ser atacado por monstros vindos do céu. Nessa altura, os três correm para proteger a rainha, e ao se encontrarem com ela, tentam escapar por um túnel secreto do palácio, onde depois se dá uma derrocada e a sua mãe fica aprisionada. É nessa altura que a Rainha lhes dá um escudo que servirá para conseguirem derrotar as forças do mal. O resto, claro, deixo para vocês descobrirem.

Mas como é fácil de perceber, a nossa aventura começa aí, com enormes batalhas ao longo de todo o jogo, encontrando diversas personagens do mundo Fire Emblem, tal como expliquei anteriormente. Nas batalhas iniciais começamos logo por encontrar muitas dessas personagens, aumentando o nosso grupo de combate rapidamente.

Falando do combate, Fire Emblem Warriors usa o mesmo estilo de Dinasty Warriors, e quem já tiver experimentado algum dos jogos desta serie, então estará como peixe dentro de água. Podemos quase dizer que em todos os mapas (e existem vários, felizmente) o varrimento de inimigos é constante, ao ponto de ser possível derrotar centenas de cada vez, em grandes aglomerados. Existe ainda a possibilidade de trocar entre personagens sempre que quisermos, permitindo chegar a locais críticos mais depressa. Ao longo dos combates vamos tendo missões principais e secundárias, sendo apenas necessário finalizar as missões principais para conseguirmos completar as batalhas com sucesso.

Como já devem imaginar, tudo o que fazemos irá fazer com que os nossos personagens subam de nível e aumentem os seus atributos. A verdade é que se nota bem a diferença quando estes estão a num nível alto. Acabar com os Bosses torna-se mais simples, para não falar nos ataques especiais que se tornam quase mortíferos. Além disso, podem repetir as missões quantas vezes quiserem, aumentado assim a vossa experiência e o nível dos vossos personagens. Outra das coisas que podemos fazer durante as batalhas é formar pares com outros elementos, torna-se assim mais eficaz atacar e defender, pois podem chamar esse par para vos ajudar sempre que necessário. Tanto que por vezes, formam-se duplas bastante interessantes, possibilitando assim uma batalha mais segura e eficaz.

Além do Story Mode, existem também o History Mode, aqui será o local onde vocês podem reviver diversas batalhas do universo Fire Emblem. Existe um tempo limite para saírem vencedores das batalhas, e sempre que derrotam um inimigo irá aparecer outro de seguida para vocês vencerem, com um prémio final, além de dinheiro. Ao longo dos combates, seja em que modo for, também vão caindo itens, e se alguns servem para melhorar a árvore de habilidades dos nossos personagens, outros são armas e armaduras. Como podem ver, tudo parece ter sido bem pensado para os fãs de Beat ’em up.

O jogo será lançado tanto na Nintendo Switch como na Nintendo 3DS. E se tudo o que referi em cima existe nas duas consolas, vamos então a partir de agora fazer uma breve distinção entre as duas versões.

A primeira é a opção de jogar em co-op que só existe na Nintendo Switch, e a verdade é que jogada numa televisão grande torna-se bastante engraçado e divertido. Também acontece que por vezes quando existem demasiados NPC no ecrã pode tornar-se um pouco instável, mas nada que seja demasiado perturbador. Convêm referir que o ecrã fica dividido na horizontal.

Graficamente o jogo está muito bom para ambas as consolas. Claro que temos mais detalhe e melhores texturas na Nintendo Switch, mas para o que é normal numa Nintendo 3DS, posso dizer que o jogo está surpreendentemente bom, e fiquei verdadeiramente impressionado com o que esta me mostrou. As cutsceens não são nada do outro mundo, mas podemos realçar que todos os diálogos têm vozes, falados em inglês, e com a possibilidade de colocarmos legendas, contudo, a língua portuguesa mais uma vez não se encontra presente.

Quando ao áudio, podemos dizer que é aquilo que se espera num jogo destes: não deixa a desejar, mas também não deslumbra em momento algum, seja em que plataforma for.

Concluindo, Fire Emblem Warriors é um jogo essencial para fãs de Beat ’em up, e em particular para fãs de Dinasty Warriors. Traz-nos tudo aquilo que nos foi mostrado e mais algumas coisas. Convenceu-me praticamente na totalidade. Talvez por ser um grande fã de jogos deste tipo, ou provavelmente porque o jogo está realmente interessante. Oferece-nos tudo o que queremos de um jogo deste género. Divertido, com muita acção e imensas batalhas!

4.5

Sim

  • Gráficos impecáveis
  • Batalhas intensas e divertidas
  • Toda a componente RPG está muito bem conseguida
  • Co-op na versão Switch

Não

  • História demasiado simples
  • Falta da componente online
Published
Categories Análises Nintendo
Views 120
Ir para a barra de ferramentas