A realidade virtual tem sido uma das apostas da PlayStation com o seu PlayStation VR e com o tempo surgem jogos melhores e com uma interação melhorada, e por isso não é de estranhar que apesar das possíveis comparações com Bravo Team, Firewall Zero Hour seja algo muito mas muito melhor.

Firewall Zero Hour | Gameplay Trailer | PlayStation VR

O jogo não tem muita ciência é verdade, e nem modo campanha single player, mas aquilo que nos proporciona é viver, sim viver de perto uma realidade ao estilo de Rainbow Six. O multiplayer rege-se por um modo de equipa contra equipa com quatro jogadores de cada lado, uma equipa protege um laptop que contém informações importantes, a outra equipa invade o lugar para roubar os dados desse laptop, os vitoriosos ganham dinheiro para comprar novas armas e equipamentos para personalizar seus personagens. Onde é que já vimos isto? Counter Strike não é?! Mas um Counter Strike em realidade virtual.

Existem duas formas de jogar, uma é usando o comando DualShock 4, que é o modo normal em primeira pessoa que todos conhecemos, e até parece um jogo normal, mas a diferença está em quando jogamos com o Aim Controller aí conseguimos parece mesmo que estamos ainda mais dentro do jogo porque passamos a estar em uníssono com o PlayStation VR, andamos, viramos a cabeça com os braços alinhados no Aim Controller e disparamos à velocidade da luz, não posso enfatizar o quanto o jogo realmente nos dá aquela sensação de imersão pura e total. No DualShock 4 precisamos mirar usando a luz do controle, é necessário usar o comando como se fosse um move e apontar para onde quereremos disparar e perde-se muita dessa imersão que vos falava.

Firewall Zero Hour | 101: VR Immersion | PS VR

As partidas são rápidas, temos apenas uma vida, não há respawn, morreu? já foste! A única hipótese é um dos nossos aliados nos vir ajudar e reviver, senão ficamos a ver a partida pelas câmeras dos outros jogadores. Mas apesar de as partidas serem rápidas não é assim tão fácil entrar numa partida, porque o matchmaking às vezes demora muito tempo até encontrar uma partida para jogarmos, e é uma pena.

Firewall Zero Hour exige muita comunicação, tal como na realidade, temos de gerir a equipa no sentido de a conseguirmos dividir em pontos estratégicos e criar dinâmicas para encurralar os adversários ou comunicar a sua posição constantemente para conseguirmos chegar ao objectivo. É mais um ponto de imersão que este jogo nos consegue dar e mais um dos destaques do jogo.

Firewall Zero Hour | 101: Game Overview | PS VR

O jogador faz parte de uma rede de mercenários que são contratados para concluir diversas missões ao redor do globo, que se chamam de Contratos. Existe um total de 12 personagens à escolha, cada qual com as suas especialidades e o objetivo de cada missão (e do jogo em si), será o de colaborar em equipa com os restantes 3 companheiros. No final de cada contrato completado, cada membro da equipa vencedora ganhará uma quantia de dinheiro virtual que poderá ser utilizado para fazer upgrades no equipamento.

Firewall Zero Hour | Contractor Profiles | PS VR

É sempre difícil para nós dar a sensação daquilo que um jogo em realidade virtual nos consegue dar, o melhor que podemos fazer é tentar mostrar isso mesmo também com alguns vídeos nesta análise, mas aquilo que podemos dizer em relação a Firewall Zero Hour, é que de facto, é uma das melhores experiências do PlayStation VR e para os amantes de FPS é o futuro ao virar da esquina, por isso inclinem a cabeça e o vosso Aim Controller e abracem o futuro!

4.0

Sim

  • A evolução de realidade virtual para o futuro dos shooter's tácticos
  • Gráficos muito bons para uma experiência VR tão imersiva e próxima da realidade
  • Os controlos, nomeadamente com o Aim Controller estão super apurados

Não

  • Os tempos de espera dos matchmakings
  • É pena não ter um modo campanha single player
Published
Views 78