A maioria dos jogadores gosta de competição, adrenalina, acção e, se possível, muita velocidade. A estes quatro pilares, se juntarmos a jogabilidade estilo arcade, e com uma pitada de futurismo, carros e armas de fogo, então temos provavelmente um jogo de corridas extremamente interessante. É exactamente isso que a Wired Productions trouxe com o seu novo jogo: GRIP: Combat Racing.

GRIP: Combat Racing é inspirado em Rollcage, um jogo lançado em 1999 para Windows e PlayStation, e a verdade é que as semelhanças são imensas, tanto na jogabilidade, como nos itens que apanhamos e podemos disparar; mas também tem semelhanças na alta velocidade e no formato dos carros que podemos conduzir. Essa inspiração muito se deve a Robert Baker, um dos developers de Rollcage, e que agora faz parte da equipa de GRIP, um mestre no que toca a este tipo de jogos.

Antes de entrarmos no conteúdo que o jogo oferece, o melhor é mesmo explicar desde já o enorme leque de possibilidades que temos. Começando pelas corridas, temos cinco tipos: o Classic Race, que como o nome indica é uma corrida que vence quem chegar em primeiro lugar; o Ultimate Race, onde o vencedor será o jogador que conseguir melhor pontuação no que se refere a disputas com os outros carros, ou acertar neles sempre que apanhamos armas, tal como bater neles, dar saltos enormes, entre outras coisas. Existe ainda o Elimination Race, em que a cada 30 segundos o piloto que estiver em último lugar na corrida é eliminado, e o vencedor será o último a ficar em pista. Há também o Time Trial cujo objectivo é bater o melhor tempo feito numa determinada pista; e por último temos o Speed Demon, onde não existem armas, e os únicos power ups que apanhamos são os turbos (firestorms).

GRIP: Combat Racing – Trailer de apresentação (Nintendo Switch)

Além das corridas existem também as Arenas, e onde entramos numa área enorme, de forma a entrarmos em combates contra os outros elementos. Aqui temos três tipos de jogo: o Deathmatch, o Steal The Stash e o Time Bomb. Temos ainda a opção de Carkour, onde o objectivo é ultrapassar algumas pistas verdadeiramente loucas. Como o nome indica é uma espécie de Parkour, mas com os carros – para os mais hábeis é mesmo um excelente desafio.

Posto isto, vamos então ao enorme conteúdo no que toca a opções que oferece a todos os tipos de jogadores, e digo a todo o tipo, pois tem bastante conteúdo offline assim como online. O jogo oferece-nos então o modo campanha, onde podemos jogar um pequeno tutorial que nos explica o básico do jogo, depois entramos nos torneios e estes estão divididos por níveis de dificuldade, temos da dificuldade 1 a 8, em que cada uma delas tem diversos torneios. Obviamente e como se trata de um modo campanha para avançarem para o torneio seguinte será sempre necessário acabar o anterior e assim sucessivamente. Dizer também que os torneios são compostos pelas diversas opções de jogo que vos anunciei acima.

Não podemos esquecer o Single Player, que como o nome indica, podem correr contra a inteligência artificial, e apenas têm de escolher entre a quantidade de oponentes e a dificuldade. A opção de Split Screen está disponível, mas apenas pode ser jogada com a consola na dock, e serve obviamente para jogarem contra um amigo.

Claro, o Online não podia faltar, e aqui podem criar partidas privadas e escolher modos como o Classic Race, Ultimate Race, Elimination Race e Speed Demon; ou como alternativa, optarem pelas Arenas e escolherem entre o Deathmatch, o Steal The Stash e o Time Bomb. Existe também a possibilidade de se juntarem a outras partidas com o Join Private Game, e claro, o Quick Match. Lembrar também que os jogos podem ter até um máximo de 10 jogadores.

Ao todo vão ter a possibilidade de correr em 22 pistas, que estão divididas por três níveis de dificuldade, e é aqui que diria que está um dos problemas de GRIP: Combat Racing, isto é, se a dificuldade fácil e normal se superam sem grandes problemas, já as difíceis por vezes são verdadeiramente loucas, especialmente por as pistas serem tão confusas, e ficarmos sem saber para onde ir.

GRIP: Combat Racing Splitscreen PEGI SWITCH

Existem 15 carros, mas no início não estão logo à vossa disposição, sendo que o jogo apresenta um sistema de experiência em que vamos subindo de nível e desbloqueando diversos carros e itens. Essa experiência pode ser ganha em qualquer modo de jogo, e seja apenas uma pequena corrida, torneios, tudo serve para irem melhorando o nível e adquirindo novos itens. Esses novos itens podem ser os carros que já mencionei, mas também diversos itens de customização dos vossos carros. Existem decals para meter no chassi, pneus de diversos feitios, e até jantes. Além desses itens é possível ainda alterar todas as cores do carro, através de uma palete de cores gigante, e que pode deixar o vosso carro da maneira que mais gostarem.

Quanto à jogabilidade de GRIP: Combat Racing, é totalmente arcade como já referi. Todos os carros conduzem-se muitíssimo bem, mas convém escolher o que melhor se adapta à situação. Temos carros que têm mais velocidade, outros com melhor aceleração, outros que travam melhor, e outros com melhor brecagem. Para terem uma ideia do que estou a falar, o jogo permite chegar às 767 mph, tornando-se no jogo de corridas em quatro rodas mais rápido de sempre (se têm mãozinhas, isso já é outra história).

Existem também os itens que podemos apanhar durante as corridas, mas podem ter dois adquiridos de cada vez. Ao todo são cerca de nove, entre armas e power ups. Temos metralhadoras, mísseis, escudos protectores, turbos, e até uma espécie de vírus que quando lançado faz os carros adversários perderem o controlo e a velocidade. Como podem ver, existe tudo o que é necessário para uma corrida com muito combate à mistura.

GRIP: Combat Racing Soundtrack Spotlight Trailer Steam PEGI

Graficamente o jogo está bastante bom, e a versão que testámos foi a da Nintendo Switch. O jogo correu sem quaisquer problemas, quer em modo dock, quer em modo portátil. Mas sendo um jogo de corridas de enorme velocidade, e que principalmente nas pistas mais complicadas requer alguma agilidade, o mais indicado é mesmo em modo dock. Temos boas texturas, sensação de velocidade e de aceleração. A própria sensação de gravidade está interessante, embora não esteja perfeita, algo que é normal visto tratar-se de um jogo virado para o arcade.

Quanto à componente sonora, também é extremamente competente, e quando aceleramos, o barulho dos motores dos carros estão bons, embora o ponto forte do jogo seja mesmo a banda sonora, oferecendo-nos sempre músicas com uma batida forte, e que são essenciais neste tipo de jogo, conseguindo assim suscitar uma adrenalina ainda maior.

GRIP: Combat Racing é um jogo bastante divertido. Ressuscitou um estilo que estava um pouco esquecido, porém sempre interessante. Oferece muita diversidade e, acima de tudo, a possibilidade de jogarem tanto com amigos localmente, como online contra outros jogadores. É tudo o que precisamos para um jogo deste tipo. Se são fãs de jogos de corrida arcade, com armas e destruição à mistura, então GRIP: Combat Racing é um jogo que não podem perder.

Análise: GRIP: Combat Racing

4.0

Sim

  • Sensação de velocidade
  • Diversas pistas e carros
  • Graficamente bastante apelativo

Não

  • Algumas pistas são extremamente confusas
Published
Views 234