Vizinhos: aquelas criaturas que habitam perto de nós. E se umas vezes conhecemos muito bem, já noutras, são meros estranhos que preferimos não nos cruzarmos com eles, além dos mais sinistros que não sabemos sequer o que pensar deles. Hello Neighbor é um jogo que nos fala de um vizinho, estranho e misteriosos, que tem uma maneira invulgar de correr, e que nos persegue cada vez que nos vê! Este jogo foi desenvolvido pela Dynamic Pixels e depois da sua versão PC e Xbox One lançada em 2017, chega agora a vez de entrar na Nintendo Switch e PlayStation 4.

O jogo começa de uma maneira bastante original. Começamos a ver uma pequena criança (a nossa personagem) a brincar com uma bola na rua, quando de repente a bola lhe foge e vai rua abaixo, correndo atrás dela, até entrar no quintal do vizinho. É nesse momento que assiste a um acontecimento no mínimo estranho, quando vê uma senhora idosa aos gritos, até a porta se fechar num estrondo. Como devem calcular, vamos ter de descobrir o que se passa, sendo aí que tudo começa.

Hello Neighbor apresenta um grafismo de desenho animado, muito parecido a caricaturas, com imagens bastante exageradas em certos detalhes. Como em qualquer caricatura, vamos ter portas que não são propriamente direitas, alguns objectos com formatos menos ortodoxos, e obviamente a cara dos personagens, que são o auge do tipo de arte escolhido. Como um bom jogo de exploração, aqui a tentativa de fazermos tudo em stealth não é só importante, como diria que chega a ser obrigatória. Ao mesmo tempo, e fazendo lembrar o clássico do cinema, Rear Window, de Alfred Hitchcock, a sensação de terror de que o vizinho nos vai desfazer em bocados se formos apanhados está sempre presente, fazendo com que o jogo também tenha os seus pozinhos de terror e suspense.

Neste jogo, a busca por objectos para conseguirmos avançar é extremamente importante, e muitas vezes escondidos em locais completamente improváveis. Como por exemplo, algumas chaves que servem para abrir determinadas portas, e que procuramos por todos os locais, sem sucesso, onde pudessem estar, e quando já estamos quase a desistir, e a ficar completamente loucos com o jogo, encontramo-la no sótão assim perdida no meio do nada. E já que estamos a falar em ficar completamente loucos, a falta de informação do que temos de fazer, ou mesmo de nos ser mostrada alguma dica para termos uma ideia de onde procurar, é uma grande falha deste jogo.

Algo que não podemos deixar de referir em Hello Neighbor é a inteligência artificial que a equipa da Dynamic Pixels colocou no vizinho. Posso dizer até que este pequeno grande pormenor, é o que faz a diferença em todo o jogo. O vizinho vai aprendendo os nossos gostos, a maneira que nos tentamos esconder, e até os caminhos que vamos seguir. Isso além de nos dificultar a vida, obrigando-nos a ser inventivos na maneira de explorar a sua casa, ou na forma como nos devemos esconder dele. Para os jogadores que achem que todo este cenário se torna demasiado difícil, então podem optar pela opção Friendly Mode, e tudo fica muito mais facilitado quando estamos a explorar.

No aspecto da jogabilidade, embora o jogo já tenha mais de um ano nas outras plataformas, infelizmente falha bastante. A percepção do tempo do salto é péssima, a física é totalmente instável, e o efeito da gravidade é simplesmente péssimo. O problema não se prende com a Nintendo Switch, onde analisámos o jogo, pois esses problemas já aconteciam no PC. E esse problema agrava-se quando queremos apanhar coisas para as enviar para longe, o que em 90% das vezes tudo sai com demasiada força, ou com força a menos.

Graficamente sim, o jogo está bastante giro. O estilo de desenho animado, meio caricaturado, está muito interessante. Não são muitos os jogos que conseguem oferecer uma experiência gráfica deste nível, e não falo em relação a detalhes de textura, mas em relação ao que o jogo nos transmite no aspecto gráfico. Falando das texturas, são razoáveis, não oferecendo nada de esplêndido, mas também não atrapalhado. A componente sonora não é nada má, principalmente quando o vizinho nos tenta apanhar, já que consegue oferecer-nos aquela sensação de medo e suspense, e nesse aspecto está muito bem conseguido.

Concluindo, Hello Neighbor é um jogo interessante que tem um enorme potencial. Os gráficos e a inteligência artificial são mesmo a sua mais valia, mas infelizmente devido à falta de informação, e a alguns problemas na sua componente física, o jogo torna-se mais frustrante do que divertido. Além de não ser jogo para qualquer tipo jogador, o que provavelmente fará com que passe ao lado da maioria dos jogadores da Nintendo Switch.

3.0

Sim

  • A inteligência artificial do vizinho é excelente
  • O grafismo bastante caricaturado está excelente
  • A tensão criada ao fugirmos do vizinho é bastante interessante

Não

  • A física do jogo não favorece a sua jogabilidade
  • A falta de informações do que temos de fazer estraga a experiência
Published
Views 100