Voltamos a Nova Iorque sendo que sentimos que nunca saímos de lá, na verdade, para continuar a desbravar a trama que envolve Black Cat em Marvel’s Spider-man. Com o primeiro episódio da saga A Cidade Que Nunca Dorme, vamos neste episódio denominado O Assalto, tentar perceber as motivações de Black Cat e perceber a sua longa história. Para quem possa achar que este DLC é encher chouriços, tire o cavalinho da chuva, e percebemos logo isso porque ao lançar o DLC no jogo, todas as tarefas que tiverem por concluir do jogo original, ficarão em suspenso, e vão ter novas para realizar neste DLC. Enquadrando a história deste episódio, dizer que depois de termos andado atrás das pistas e dos roubos que Black Kat andava a fazer no jogo original, agora vamos andar única e exclusivamente atrás de Felicia Hardy, a filha de Walter Hardy o famoso ladrão e antigo Black Cat. No início vamos tentar perceber o que HammerHead anda a preparar com o vácuo que foi provocado pela prisão de Kingpin e o pequeno poder que se vai estabelecendo em algumas famílias de gangues de Nova Iorque.

Marvel's Spider-Man: The Heist | Já disponível! | PS4

Eu queria tentar não estragar a experiência a ninguém, mas tenho que dar algumas indicações da trama para perceberem que é uma história densa e com substância, porque a verdade é que temos por um lado a tentativa de compreendermos porque é que Black Cat está a trabalhar para o HammerHead, depois o que ele está a tramar, mas também um triângulo amoroso entre Peter Parker, Mary Jane Watson e Felicia Hardy, que vai colocar à prova o namoro do nosso Spider-man e a sua ajudante. Mas há mais, porque vamos ter que encontrar, por exemplo, os quadros roubados pelo pai de Felicia Hardy, vamos ter desafios colocados por Screwball, uma youtuber maluca da cabeça e que só quer views e ainda os crimes que a Maggia anda a fazer em Nova Iorque e que passam até por colocar bombas para descativarmos.

Ora bem, com estas novidades surgem também novas mecânicas, o que a mim me deixou surpreendido e satisfeito ao mesmo tempo, porque, por exemplo, nos desafios da Screwball para além de termos que derrotar inimigos ou seguir um rasto e mandar abaixo umas torres eléctricas temos ainda que fazer o chamado Photo Bomb, isto é, em determinada altura e numa determinada zona vão ter de tirar fotografias aos vossos feitos para satisfazer a vontades dos viewers do canal da Screwball. Para encontrar os quadros que vos falava vão ter de percorrer Nova Iorque até vos aparecer uma espécie de radar que vibra ao chegarem perto da zona onde está escondido esse quadro e depois terão de ativar o vosso Spider Sense para encontrá-lo. Para além disso, vão ter de desarmadilhar bombas, e para isso vão usar o vosso Spider-Bot que apita e vibra consoante a proximidade da bomba.

São pequenas coisas que nos dão coisas novas para fazer e de formas diferentes de o fazer que adicionam prazer ao jogar este DLC. Para além disso há fatos novos para desbloquear, fichas para ganhar para desbloquearmos esses fatos e é claro mais puzzles, nomeadamente com a mesma mecânica do jogo original, com os puzzles químicos e físicos que já conhecemos.
Na história em si, também vamos ter alguns desafios diferentes, há uma perseguição incrível à Black Cat, há um caos num Museu logo ao início, onde temos de impedir dos ladrões chegarem à porta com peças, até há uma missão de ir buscar pizza, porque um Spider-man também precisa de comer para sobreviver.

O Assalto, o primeiro DLC da trilogia A Cidade Que Nunca Dorme para Marvel´s Spider-man mostra a Insomniac Games a ter cuidado em trazer uma história com sumo e com várias dinâmicas diferentes e é uma boa amostra do futuro que este jogo ainda tem para dar, pareceu-nos foi curto, as pouco mais de 4 horas que jogámos souberam a pouco, mas isso também é um bom sinal não é?!

4.0

Sim

  • Conteúdo com história
  • Novas missões secundárias
  • Um episódio que parece mais um livro de comics a sair nas bancas

Não

  • É curtinho
  • Depois de terminado fica a faltar o que fazer
Published
Views 107

Deixa um comentário