Metal Gear Survive é o primeiro jogo sem Kojima a dirigir as operações e infelizmente isso nota-se. E nota-se na parte que costumava ser a mais importante na série, isto é, a narrativa, as personagens icónicas e o desenvolvimento de ideias completamente fora da caixa. Survive pega em muitas das ideias já traduzidas em Metal Gear V, mas fica aquém no desenvolvimento de uma estória que está gasta e que por vezes nem faz muito sentido.

Começar por dizer que a estória acontece entre os dois episódios de Metal Gear V, pouco depois da Mother Base ter sido dizimada e da nossa personagem ter salvo Big Boss de levar com um rocket no helicóptero pelo qual fugiram, somos quase engolidos por uma espécie de portal para uma realidade paralela, e é aí que as primeiras dúvidas começam a levantar-se. Portal?! Ok eu percebo que estejam a tentar criar efectivamente uma realidade paralela onde não seja necessário Big Boss, Miller ou Ocelot serem as personagens centrais e até tentar começar a fazer um reboot à série pós Kojima, mas será isso possível?! Apesar de tudo a narrativa em si até não é má de todo, nós fomos reanimados porque estamos infectados e de alguma maneira estranha e desconhecida até o nosso braço amputado se regenerou, mas temos um tempo de vida limitado, pois essa infecção pode nos tornar igual aos chamados Andarilhos, seres que têm dentro de si energia Kuban, e parecem zombies esfomeados. A nossa missão é passar então pelo portal, encontrar a equipa que foi enviada para “limpar” os Andarilhos, mas que no fundo desapareceu, recuperar a informação de como criar um portal para regressar e despachar todos os Andarilhos. Parece mais simples do que é, isto porque vamos ter que literalmente sobreviver durante esta jornada de recolher as motherboards com essa informação, criar o nosso quartel general e portanto recursos para o construir, e ao mesmo tempo perceber esta trama toda.

Algo que atrapalha para que o jogo até pudesse ser bastante bem sucedido é a repetição das missões. Muito facilmente nos vamos fartar de andar até um local e voltar à base com os materiais ou informações sem que morramos à sede ou à fome, isto porque a componente de sobrevivência baseia-se muito nisso. Temos então dois medidores básicos um que mede o vigor para o qual precisamos de ter águinha suficiente para não quebrarmos, e a outra é a da comida, só que por vezes podemos comer um cordeiro inteiro que passados 30 minutos já estamos a morrer de fome e a ver torto. O que complica bastante a chegada à base a tempo de não perdermos tudo o que recolhemos na missão, e ter que fazer tudo de novo. Esta frustração que vai acontecer mais cedo ou mais tarde no jogo, faz com que facilmente decidamos que não nos apetece voltar a fazer tudo outra vez.

A nível de opções no nosso quartel general, temos várias coisas que podemos fazer, desde fabricar as nossas próprias armas, erguer grades para nos defendermos dos ataques dos Andarilhos, montar recursos para mais facilmente construirmos coisas para a nossa base, fabricar as nossas vestimentas e até protecções contra as Cinzas, uma nuvem de pó que é tóxica e que também ela nos pode facilmente matar.

Metal Gear Survive é um jogo com muita informação para processar e muita coisa para aprender, com uma boa curva de aprendizagem, e com as mecânicas já conhecidas do Metal Gear V, e esse é um dos grandes aspectos a favor, tudo aquilo que adorámos no seu antecessor está lá, não passámos a ter um hack and slash como já aconteceu em Rising, o stealth, a criação de oportunidades, a estratégia e tudo isso, está lá, mas com um timer de fome e sede que estraga um pouco a experiência. A nível gráfico, a Konami nunca brinca e desde as maravilhosas cutscenes aos efeitos das Cinzas ou de ficarmos atordoamos com a fome e sede, todos os pormenores não passaram despercebidos e são outro dos pontos fortes de Survive. No entanto, lá está, o jogo parece um pouco dissonante, porque tanto tem coisas boas, como depois se quisermos fazer outra personagem temos de pagar 10 dólares por um outro save, e porque razão é que isso faz sentido para a Konami? Se calhar não é para perceber.

O Co-Op Online é um dos pontos fortes do jogo. Não tem grandes segredos, é tipo o hordes do Gears of War, onde vamos ter que nos preparar para dizimar ondas de Andarilhos. No início temos uns minutos para os prepararmos, recolher materiais para fazermos grades e armadilhas, e quanto maior for o nosso nível e tivermos desbloqueado opções de ataque e defesa, mais divertido vai sendo colocar a estratégia em prática.

Metal Gear Survive, será sempre um jogo que o fã de Metal Gear terá de jogar, terá que perceber se há vida depois de Kojima e para onde vai essa vida, a questão é mesmo se Metal Gear sobrevive desta forma e para onde vai…

3.5

Sim

  • Não deixa de ter a carga dramática de um Metal Gear
  • Tem as mesmas mecânicas de Metal Gear V
  • Graficamente a Konami continua a não falhar

Não

  • A repetição das missões
  • A sobrevivência traduzida em sede e fome de forma exagerada
  • A história por vezes pode parecer forçada
Published
Views 182