A saga de Monster Hunter tem vindo a entrar no mundo Ocidental de maneira bastante lenta. Talvez por serem RPG’s com certas particularidades e com alguma complexidade, nunca foram jogos que tivessem um grande sucesso na Europa, ao contrário do que acontece no oriente, onde o Japão é o grande consumidor desta saga, tratando-se já de um jogo de culto para certos jogadores.

Talvez devido a isso, a Capcom decidiu dar um novo visual ao jogo, alterar um pouco a sua estrutura e mostrar ao Ocidente como é possível nos apaixonarmos por um jogo como este. Monster Hunter World é sem dúvida nenhuma, o melhor jogo de toda a saga, e onde o brilhantismo vem ao de cima de uma maneira inimaginável.

Como na maioria dos jogos deste género, começa com uma breve introdução de onde estamos e quem somos e levando-nos à criação do nosso personagem logo depois. Podemos escolher a cor dos olhos, sobrancelhas, boca, sexo, etc. Ou seja, tudo aquilo que é comum nos jogos deste tipo. Feito isto, começa então a verdadeira história do nosso caçador de monstros.

As primeiras duas a três horas de Monster Hunter World são claramente de adaptação e de conhecimento das diversas coisas que o jogo tem para nos oferecer. A primeira impressão é de um jogo extremamente difícil, cujos combates por vezes parecem tirados da mente de um sádico, que nos obriga a estar ali a batalhar contra um monstro enorme que parece que não morre nem por nada. Claramente a minha primeira impressão estava enganada, já que tem uma dificuldade normal para o tipo de jogo em questão, e é necessário conhecermos profundamente as nossas armas e o nosso equipamento, assim como saber o os pontos fracos e fortes do monstro.

Honestamente este foi um dos motivos que me entusiasmou em Monster Hunter World: a ideia de termos de conhecer o nosso adversário; de conhecer as suas rotinas; a maneira como ataca; a maneira como se tenta defender; e a velocidade de ataque e de movimentação. Conhecer todas essas características acaba por ser essencial para conseguirmos ter sucesso nas nossas missões, e não passarmos largos minutos sem termos sucesso.

Monster Hunter World oferece-nos diversos tipos de armas, que variam entre curto e longo alcance. São 14 tipos de armas no total, dos mais diversos tipos, mas o principal aqui é testarem cada uma delas e verificarem aquela que melhor se adequa ao vosso estilo de jogo. Neste ponto a Capcom fez um trabalho esplêndido, digo isto porque muitas vezes existe aquela arma que todos achamos demasiado poderosa, mas neste caso isso não acontece, todas as armas dependem bastante da maneira como o próprio jogador joga, e a versatilidade é complementada com uma pitada de originalidade em algumas delas. Existe, como é óbvio, o clássico espada e escudo, duas espadas, adagas, arco em flecha, armas de fogo, lanças e até mesmo uma arma que faz música.

Quanto a armaduras, também existem bastantes, umas que protegem de determinados elementos, outros que protegem de outros, significa por isso que antes de partirmos para uma missão devemos ter noção exactamente do que vamos enfrentar para escolher o equipamento que melhor se adeqúe às nossas necessidades. Além disso, podemos também criar e melhorar equipamentos, bastando para isso ter os materiais necessários. As armas também podem ser melhoradas, e neste o pormenor ainda é mais interessante, já que podemos ter diversas armas do mesmo tipo, e serem todas bastante diferentes, consoante o tipo de material que usam para a melhorar, dando uma característica especial à arma.

Falando em melhoramentos de equipamentos e armas, não podemos fugir ao chamado farming, e em Monster Hunter World temos vários tipos de itens para apanhar, no caso dos monstros podemos apanhar diversas das suas partes, como ossos, peles, entre outras coisas. Nos diversos locais que temos à disposição para exploração podemos apanhar ervas, teias de aranha, cogumelos, uma imensidão de coisas que servem para fazer poções de vida, poções de stamina, armadilhas, munições, e uma considerável quantidade de itens que nos ajudarão nas nossas missões.

Esquecendo por agora a nossa caçada, vamos falar dos monstros. Como devem imaginar, existem muitos monstros em vários locais dos diversos mapas que temos à disposição: uns mais pequenos e que muitas vezes andam em grupo; outros gigantescos que são aqueles que nos fazem frente em batalhas épicas. Estes últimos com uma personalidade muito própria, e digo isto por uma razão muito simples, porque imaginem quando dois destes gigantes se encontram: pensam que nada aconteceria e que estes monstros só nos atacavam a nós? Estão extremamente enganados! Todos estes monstros gostam de dominar o seu território, uns que se amedrontam mais facilmente, outros altamente agressivos, mas a verdade é que defendem o seu território com tudo o que têm. Significa por isso que quando dois destes gigantes se encontram, o melhor é dar uns passos atrás e apreciar aquele combate magnífico.

Quanto as missões, são imensas e se juntarmos as missões secundárias, então temos jogos para horas e horas a fio. E como ajuda durante as missões, temos uma espécie de insectos verdes que nos vão guiando pelo mapa, indicam-nos itens para apanhar, pegadas de monstros para seguir, assim como o caminho para onde temos de ir. Seja para começar a caça a um monstro, ou para fazer qualquer outra coisa, são os nossos mais fiéis companheiros.

E falando em companheiros, nada melhor do que jogar com os nossos amigos em co-op, ou mesmo com jogadores espalhados pelo mundo. O jogo tem a particularidade de podermos procurar missões para ajudar jogadores que estejam a precisar de ajuda, como também é possível a meio de qualquer missão accionarmos um SOS, fazendo com que a nossa sessão fique aberta para que qualquer jogador possa entrar e ajudar-nos (máximo de 4 jogadores, contando connosco, em casos particulares apenas 2 jogadores).

Falando agora dos Palicoes, quase de certeza que nos vários vídeos do jogo já tiveram oportunidade de reparar que os caçadores andam sempre com um gato que nos ajuda a combater, este também tem uma armadura e uma arma, que tal como as nossas, podem ser criadas. Existem diversas armas e armaduras para estes nossos companheiros, e podem acreditar que dão bastante jeito.

Como é fácil perceber, Monster Hunter World foi pensado ao pormenor, e nada foi feito ao acaso. Graficamente é brilhante, não sendo um verdadeiro open world, tem diversos mapas, contudo, todos eles bastante grandes, onde podemos explorar bastante. Todos os detalhes de vegetação, assim como de todos os animais estão magníficos. É um ecossistema virtual mas que parece vivo, com uma beleza inimaginável. E toda a banda sonora, assim como a todos os sons estão perfeitos, encaixando que nem uma luva no jogo.

Para finalizar, posso dizer que este é sem dúvida nenhuma um dos jogos do ano. Um RPG esplêndido que é impossível deixar-nos indiferentes. Há muito que andava ansioso para testá-lo, e a verdade é que superou por completo o que poderia imaginar. Um jogo que inevitavelmente a maioria dos jogadores vão certamente adorar. A Capcom tem uma quantidade enorme de jogos, mas este certamente ficará como um marco para a companhia nipónica. 

5.0

Sim

  • Toda a mecânica dos monstros está fantástica.
  • Os combates são o ponto alto do jogo.
  • Graficamente está soberbo.
  • O multiplayer está implementado de maneira fenomenal.

Não

Published
Views 346