Quando um jogo de desportos motorizados é anunciado pela Codemasters, é sempre motivo de algum entusiasmo, dada a reputação construída ao longo dos anos. E quando a isso juntamos a Evolution Studios, que é nada menos a equipa de desenvolvimento por trás de jogos como Driveclub e MotorStorm, o resultado só podia ser um jogo louco, divertido, e que poderá dar origem a uma febre inesperada, dado o seu formato original e extremamente competitivo.

É difícil classificar Onrush. Apesar de podermos dizer que é uma espécie de sucessor de MotorStorm, é na verdade um jogo completamente diferente, isto porque, para começar, não é realmente um jogo de corridas. É sim uma mistura muito feliz de diversas ideias, que tiveram bons resultados em jogos dos mais variados estilos.

 

 

 

 

É essencialmente um MOBA com veículos, completamente caótico, onde chegar em primeiro nem é relevante, o importante são os objectivos cumpridos em comum com a equipa durante as disputas, porque em Onrush ninguém ganha sozinho.

As pistas, apesar de seguirem um percurso, funcionam como autênticas arenas, e o jogo “sujo” não só é encorajado, como é mesmo a sua génese. Abater os jogadores da cor adversária é uma das metas, porém não se limita a isso, e a diversidade de modos, acontecimentos e exigências, conseguem fazer com que cada partida nunca pareça igual à anterior.

Buggies, motas, e carrinhas off-road são alguns dos veículos que podemos escolher, cada um deles pertencente a uma classe e com as suas habilidades, e como em qualquer MOBA, uns mais virados para o suporte da equipa, e outros com o claro e simples objectivo de eliminar os adversários.

Temos à nossa disposição quatro Modos de Jogo: Overdrive, Countdown, Switch e Lockdown, todos bastante diferentes uns dos outros. É curioso verificar que as opiniões ainda estão um pouco divididas, sendo difícil encontrar aquele que se possa considerar o preferido do momento.

 

 

 

 

No Overdrive é fundamental amealhar pontos através de saltos, abates, e nitros; no Countdown teremos de passar por portais evitando assim que o contador chegue ao zero; no modo Switch, onde teremos de atirar os adversários para fora da estrada; e no Lockdown, será uma luta desesperada para colocar mais carros do que o adversário numa zona que está em permanente movimento.

A diversão é garantida e as gargalhadas uma constante, e tudo é possível ser jogado na campanha, de seu nome Superstar, e no modo Online. Neste último caso, é também uma declarada tentativa de se mostrar como uma opção interessante para os esports, já que estão prometidas partidas rankeadas no futuro.

Provavelmente funcionará melhor numa equipa de jogadores que já se conheçam bem, uma vez que a coordenação entre os elementos faz mesmo a diferença, mas costuma ser assim em títulos onde é necessária alguma cooperação.

 

 

 

 

A comparação com Overwatch que é frequentemente feita tem uma razão de ser, porque além de ser um MOBA bastante competitivo, partilha de um design gráfico similar. Colorido, bem desenhado, e com efeitos visuais vistosos, é um título muito bem conseguido neste particular, e bem acompanhado na sua faceta sonora, com música para qualquer circunstância.

Pelo seu conceito peculiar e divertido, Onrush merece talvez um pouco de mais atenção. Numa fase da indústria dos videojogos em que se usa e abusa de modelos algo saturados, é sempre de aplaudir quando surgem ideias que vêm desafiar tudo o que conhecemos. Para quem pretende uma opção diferente e animada para se distrair sem grandes preocupações, então este é o jogo que procura.

4.0

Sim

  • Um conceito original, divertido e bastante competitivo

Não

  • Partidas rankeadas bloqueadas por enquanto
Author Nuno Mendes
Published
Views 153