Quantos de nós crescemos com os populares filmes de pancadaria dos aos 80; filmes que imortalizaram Sylvester Stallone, Jean-Claude Van Damme, Arnold Schwarzenegger, Chuck Norris e companhia, e cujas histórias eram geralmente de justiça e vingança? Podiam ser histórias menos elaboradas? Podiam. Mas a verdade é que ninguém perdia um filme.

Punch Club é um jogo que entra nesse espírito da década de 80, e onde ainda em criança, o nosso personagem vê o pai morrer à sua frente, mas não antes lhe pedir para ele ser forte naquela altura, crescer, e tornar-se tão bom ou melhor lutador do que ele. Quando pegamos verdadeiramente no jogo, o nosso personagem já é adulto e será a partir desse momento que começa a nossa vida de lutador amador. Teremos de gerir toda a sua carreira e não é nada fácil. Para terem uma ideia, começamos apenas com um tapete no chão da nossa garagem para podermos fazer umas flexões e assim melhorar a nossa forma física. Além disso, temos de gerir todo o nosso dia a dia, desde ir as comprar para nos conseguirmos alimentar, descansar, termos algum divertimento, e por fim trabalhar. E isto é apenas o começo.

No início do jogo, depois de uma luta de rua, um homem fala connosco e vendo as nossas skills de lutador convida-nos para praticarmos um pouco e começarmos a entrar em campeonatos amadores de luta. Como devem calcular, será aqui que começa toda a nossa carreira. Iremos começar a entrar em combates, ir ao ginásio, ganhar reputação e conhecer novas pessoas. A cada indivíduo que vamos conhecendo uma nova “aventura” se abre. Vamos ter a possibilidade de conhecer pessoas que nos permitem entrar em lutas de rua, outras que nos vendem algumas bebidas para nos doparmos, ajudar algumas pessoas que andam a ser roubadas, e claro, nós como bons cidadãos vamos tentar descobrir quem são os bandidos e tentar apanhá-los. No entanto há muitas mais coisas para fazer.

Mas como disse anteriormente, não é um jogo nada fácil. Os dias passam de forma bastante rápida, e temos de gerir todas as nossas actividades nesse espaço de tempo. Tudo se paga neste jogo, por isso, trabalhar é essencial para conseguirmos obter o nosso dinheiro. Esse dinheiro irá servir no início para nos alimentarmos, e para irmos ao ginásio de forma a obtermos melhor rendimento. É também importante conseguirem um pé-de-meia, isso irá permitir conseguirem comprar máquinas para a vossa garagem, e assim poderem treinar na vossa casa sem terem de gastar dinheiro no ginásio. Existem diversas formas de ganhar dinheiro, em combates, em lutas de rua e em diversos trabalhos que podem arranjar. A escolha da maneira como querem arranjar o dinheiro é totalmente livre e vossa.

Gerir a nossa alimentação, o nosso descanso e até a nossa felicidade são coisas que parecem bastante simples, no entanto, nem tudo o que parece é. Conseguir arranjar um método que vos permita ter essas três componentes com valor altos, e ao mesmo tempo encaixar treinos, trabalho, combates e algumas aventuras pelo meio, começa a tornar-se bastante difícil. Principalmente devido aos treinos, isto porque existem três características no nosso personagem, como a Força, Agilidade e Vigor. Aqui somos livres de treinarmos o que quisermos, embora o jogo insista bastante para nos focarmos apenas numa das categorias. A grande dificuldade nos treinos é não perdermos essas mesmas características, já que quando treinamos vamos subindo essas características de nível, mas quando não estamos a treinar esse nível vai diminuindo, obviamente que de forma mais lenta, mas mesmo assim, basta ficarem um dia sem treinar e percebem logo que essas características diminuem.

Existem ainda as habilidades, e para as desbloquearem há os pontos de habilidade. Estes são ganhos em combates ou em treinos específicos com treinadores do ginásio. Além das habilidades gerais, existem também habilidades relacionadas com a Força, Agilidade e Vigor. Se vocês se focarem mais na Força, devem seguir o estilo de luta do Urso, no caso da Agilidade o estilo de luta do Tigre, e por fim, no caso do Vigor, devem seguir o estilo da Tartaruga. Todos eles têm os seus prós e os seus contras, vocês é que devem escolher o que querem para o vosso lutador e seguir esse caminho até ao fim.

Os combates não são feitos por nós, tudo é um bocadinho aleatório, e aqui o que podemos fazer é quase o trabalho de treinador, escolhendo os golpes que o nosso personagem irá usar. É preciso ter em atenção a energia gasta nesses golpes, pois se a nossa barra de energia chegar ao fim, somos atingidos por um golpe poderoso do nosso adversário, fazendo-nos perder imensa vida. Aqui é necessário arranjar uma boa táctica e escolher os golpes correctos consoante o adversário, de maneira a não gastar demasiada energia.

Existe uma secção onde podem ver tudo o que já aconteceu, desde os personagens do jogo, até a alguns eventos importantes. É o local para reverem os personagens, e até para perceberem o que podem “ganhar” tendo um melhor relacionamento com eles. O jogo chega ao ponto de ser possível termos uma namorada e assim ser mais um elemento para gerir no nosso tempo. A história é verdadeiramente longa, e se decidirem dedicar-se a fundo a Punch Club acreditem, que vão gastar bastante horas no jogo.

Graficamente Punch Club apresenta uns gráficos ao estilo retro, o que agora chamamos de pixel art. Os detalhes estão bastantes interessantes e parece que nada foi deixado ao acaso. Podemos interagir com diversos itens que encontramos dos vários locais onde vamos. O ponto mais fraco é mesmo a parte sonora do jogo, as músicas são extremamente repetitivas e sem grande simbolismo.

Punch Club é bastante interessante, e para quem viveu nos anos 80 e 90 vai lembrar-se facilmente de diversos filmes da época. Gerir a carreira de um lutador não é nada fácil, mas é bastante divertido. É preciso também perceber que se jogado durante muito tempo seguido torna-se um pouco repetitivo. Se gostam de jogos de gestão e de luta, então este é o jogo certo para vocês. A componente portátil que a Nintendo Switch nos oferece é outro dos pontos a favor!

3.5

Sim

  • Bastante divertido em toda a sua componente de gestão
  • Um pixel art muito bom, e com excelente detalhes
  • Diversos conteúdos que nos relembram diversos filmes dos anos 80 e 90

Não

  • Merecia uma melhor banda sonora
  • Se jogado durante demasiado tempo torna-se bastante repetitivo
Publicado
Visualizações 95

Deixa um comentário