Estávamos em 1998 quando a Playstation viu nascer Spyro, um pequeno dragão que fala, salta, voa e naturalmente, cospe fogo. Pela mão da Insomniac, estava criada uma personagem que viria a tornar-se para sempre emblemática no mundo dos videojogos. Numa altura em que se compravam revistas para ter acesso às demos que estas traziam, o mediatismo em torno de Spyro foi crescendo, fazendo de Spyro The Dragon um jogo de culto para os fãs da PSOne. Depois do sucesso do primeiro jogo, os dois anos seguintes trouxeram à Playstation, Spyro 2: Ripto’s Rage! e Spyro: Year of the Dragon. É esta a trilogia que a Toys For Bob remasterizou e está agora disponível em Spyro Reignited Trilogy.

São três jogos reunidos num só, com a possibilidade de escolher qual queremos jogar primeiro. Confesso que me senti tentado a começar pelo Spyro 2: Ripto’s Rage! por considerar o melhor jogo da série, talvez porque foi aquele que mais horas passei a jogar no início dos anos 2000. Ainda assim, por uma questão de lógica comecei pela primeira aventura.

Spyro Reignited Trilogy – Spyro the Dragon Launch Trailer | PS4

No início de Spyro The Dragon, o vilão Gnasty Gnorc espalha a magia do mal pelos seis reinos dos Dragões e transformou-os todos em estátua porque lhe chamaram feio. A partir daí, o objetivo de Spyro é encontrá-los e libertá-los. Para ultrapassar o exército de Gnorc, vamos passando por diversos portais com as habilidades do dragão. Podemos fazer investidas contra os inimigos ou eliminá-los com as nossas chamas. Quando salvamos um dragão, somos presenteados com algumas dicas sobre o jogo. Também vamos poder recuperar alguns ovos de umas figuras que se riem de nós e depois fogem a correr desalmadamente bem. Algumas são bastante difíceis de apanhar, mas com persistência acabamos por conseguir.

Em Spyro 2: Ripto’s Rage!, o pequeno dragão quer tirar férias na praia, mas rapidamente se vê embrulhado numa nova encruzilhada quando aterra em Avalar, com o objetivo de devolver a paz ao clima de guerra que o feiticeiro Ripto implementou em todas as terras. Aqui, cada portal que ultrapassamos tem um objetivo primário e se cumprirmos a tarefa principal, dão-nos amuletos para podermos avançar na história. Entre cada nível, há cutscenes cómicas que dão uma nova roupagem às aventuras de Spyro.

Spyro Reignited Trilogy – Spyro 2: Ripto's Rage PS4 Gameplay | PlayStation Underground

Na terceira aventura, em Spyro: Year of the Dragon, a vilã é Bianca, que roubou mais de uma centena de ovos e o nosso objetivo é encontrá-los. Alguns só nos são dados depois de pequenos desafios bem apetitosos onde até chegamos a andar de skate.

Visualmente, Spyro Reignited Trilogy está brilhante. A remasterização melhorou, não só, as terras dominadas por dragões, mas também as personagens que ganharam mais vida. As expressões faciais estão com um detalhe invejável e bem melhores que no passado. A música mantém-se familiar a quem jogou os primeiros títulos, mas com um novo toque do principal responsável pela banda sonora da série, o produtor Stephan Vankov. O resultado é excelente e a qualidade do som acompanha a elevada qualidade da imagem. Tal como já acontece em títulos como o Ratchet & Clank ou na mais recente remasterização de Crash Bandicoot N. Sane Trilogy, a qualidade de imagem confunde-se com os desenhos animados que podemos assistir em canais desse género.

A jogabilidade é simples e mantém-se fiel ao original, embora agora esteja mais aprimorada e com novas animações. Se existiam algumas falhas no passado, essas parecem ter sido corrigidas. Talvez a câmera seja o ponto crítico desta mudança, onde no jogo original de 1998 havia algumas falhas, corrigidas posteriormente nos jogos seguintes, aqui já não acontece. Tudo foi corrigido desde o ponto de partida.

Spyro Reignited Trilogy – All Scaled Up Reveal Trailer | PS4

A história é longa e se quisermos completar todos os extras, teremos pela frente entre 25 a 30 horas de jogo. A principal dificuldade pode estar em completar os 100 por cento de jogo, porque pode faltar este ou aquele item em determinado ponto do mapa. Mesmo assim temos uma valente ajuda de um Guia que nos indica pelo menos o local onde está. Depois é uma questão de procurar bem. Para os mais exploradores ainda há os troféus de jogo para ganhar, o que pode levar ainda mais algum tempo.

A principal crítica ao jogo é o tempo de carregamento entre cada portal. No final de algumas horas de jogo torna-se aborrecido esperar tanto tempo e nem o facto de podermos cuspir fogo e rebolar com o dragão de um lado para o outro nos distrai do tempo que parece demasiado para um jogo deste calibre.

Spyro Reignited Trilogy é a aventura perfeita para os nostálgicos dos anos 90 reviverem a magia de Spyro e com a devida distância, mostrar aos mais novos o porquê de estar na moda, a remasterização e a imortalização de clássicos antigos.

4.0

Sim

  • Fiel ao original
  • Animações novas que parecem os desenhos animados
  • Nostalgia do passado
  • Três jogos num só

Não

  • Os loadings entre portais são demorados
Published
Views 76

Deixa um comentário