Não vou esconder que quando Star Wars Battlefront foi lançado em 2015 me deixou satisfeito. Critiquei bastante não ter um modo campanha, já que um jogo de Star Wars que não tenha uma história é na verdade uma falha gigantesca. Seja como for, o jogo pareceu-me bastante interessante, tinha modos de jogo bastante giros, o modo cooperativo até era engraçado, (embora após algum tempo se torne repetitivo), e claro o modo multiplayer (que era a base do jogo). Tinha alguma variedade e estava bastante interessante para a altura. Sem falar na componente gráfica que estava divinal, e também ajudando o facto de ter sido lançado mesmo em cima do filme Star Wars: The Force Awakens, criando um hype elevado.

Chega-nos agora Star Wars Battlefront II, que por acaso também é lançado bem perto da data de um novo filme da serie, Star Wars: The Last Jedi, o que não é uma coincidência, como é óbvio. Esta é sempre uma jogada de mestre por parte das empresas para criar algum hype, o que desta vez, pelo que me parece, não resultou tão bem por parte da DICE.

Para começar tenho de felicitar a companhia por ter finalmente adicionado um modo campanha, e que tem uma história interessante, embora pudesse e devesse ter mais conteúdo, uma vez que se trata de uma história Star Wars. E ocorre no período entre o Star Wars: Return of Jedi (episódio 6) e o  Star Wars: The Force Awakens (episódio 7). A nossa personagem será Iden Versio, líder da Inferno Squad, uma espécie de força especial do Império. É também interessante vermos entrar alguns dos personagens principais no modo campanha como Luke Skywalker, Han Solo ou Kylo Ren. Como já referi, a história é interessante, embora um pouco previsível. E apesar de Iden Versio ser a personagem principal, por momentos vamos jogar igualmente com outros personagens. Infelizmente a campanha é bastante curta (5 e 6h é o tempo que levarão a finalizar este modo). Seja como for, é uma excelente adição ao jogo, e seria fantástico no futuro termos uma expansão deste modo.

Outro dos modos que vamos encontrar é o Arcade, onde temos três tipos de possibilidades: o modo Solo, o Co-op e o Versus. São partidas bastante simples cujo objectivo é matar mais depressa um determinado número de inimigos. Como o nome indica, podemos fazer isso em modo Solo ou Co-op. Já o modo Versus terá batalhas contra a pessoa que estará ao teu lado. Tanto no modo Co-op, como no modo Versus o ecrã será dividido ao meio.

Por fim temos o modo Multiplayer, e este, tal como aconteceu no antecessor, é o principal modo de jogo, e onde encontraram mais diversidade de modos. Para começar, tem o já conhecido Galactic Assault onde jogam 40 jogadores em simultâneo, e vamos tendo diversos objectivos durante o jogo, algo bastante parecido com o que já acontecia com o primeiro jogo, no entanto agora com uns toques de Battlefield 1 (não é por acaso que são os dois da DICE). Outros dos modos é o tão adorado Starfighter Assault, onde os fãs de combate de naves podem mostrar as suas acrobacias em batalhas de 24 jogadores no espaço. Não podia ficar de fora o famoso Heroes Vs Villains onde podem jogar 8 jogadores em batalhas épicas com os principais personagens do universo Star Wars. Temos ainda o modo Blast que é uma batalha de 16 jogadores, e por último o Strike, onde jogam 20 jogadores.

Outra das adições que agora podemos encontrar, são as várias classes que podemos escolher: Assalto, Pesado, Oficial e Especialista. Cada um com o seu tipo de armas e as suas especialidades, sendo por isso uma enorme adição ao jogo, já que ajuda os jogadores a conseguirem escolher a maneira de melhor viverem o jogo. Na maioria dos modos também podem jogar com os heróis dos filmes, ou mesmo as conhecidas naves, para isso vão precisar de fazer pontos na batalha que estão a participar. Com esses pontos podem comprar um herói e participar com ele nessa batalha. Significa por isso que, ao contrário do primeiro jogo, neste Star Wars Battlefront II é bastante importante cumprir os objectivos e serem certeiros a eliminar os adversários, pois isso será o que vos dará os pontos, e como devem imaginar, comprar um herói é meio caminho andado para ajudarem a vossa equipa a conseguirem os objectivos.

Quanto à jogabilidade, está claramente mais afinada, e com mais escolhas para os jogadores como disse anteriormente. Claramente os fãs de FPS vão simplesmente vibrar com a maneira como o jogo está desenhado. Ao contrário de outros FPS, aqui ou tem a chamada “skill” ou então serão carne para canhão: miras sempre apontadas à cabeça dos adversários, ou então podem bem passar os jogos com o vosso nome na parte de baixo da lista jogadores.

Quanto aos mapas ou cenários, são 16 ao todo (nada mau mesmo), todos com muito detalhe e com um grafismo fantástico; fazendo-nos entrar no universo Star Wars com grande facilidade, tal como acontecia no primeiro jogo. No entanto, neste posso dizer que a imersão será bem maior, visto que tudo foi refinado, e a primeira coisa que vos surpreenderá das primeiras vezes que entrarem no jogo, é como este está detalhado nesse aspecto.

A banda sonora e os efeitos de som estão também muito bem conseguidos, mais uma vez nota-se claramente que o universo Star Wars está bem implementado no jogo, e não será por aqui que alguém se poderá queixar. Na verdade, este seria sempre um dos menores problemas, visto que nesses campos a DICE tem habituado os jogadores a excelentes trabalhos.

Vamos então falar dos polémicos Star Cards, que são cartas que ganhamos em caixas de loot e que podem ser compradas a partir de pontos que os jogadores adquirem no jogo, ou claro, com dinheiro real como vem sendo normal nos jogos ultimamente. As Star Cards servem para melhorar tudo o que pode ser jogado, isto é, tanto podem sair star cards para melhorar heróis do jogo, como para melhorar qualquer uma das classes que falamos anteriormente, até mesmo as já faladas naves presentes no jogo. Como é fácil de perceber, quem conseguir melhor arsenal estará em vantagem, mas antes disso é preciso “skill” para saber usar os personagem. Até percebo a polémica devido aos preços, e parecer que compramos um jogo e não o temos por completo por completo, mas por outro lado, só compra quem quer. Não que seja a favor deste tipo de roubo que as empresas fazem aos jogadores, mas na verdade, quem quiser jogar para se divertir não precisa de ganhar dinheiro real. Em parte, é uma falsa questão. Compra quem quer, quem não quer, joga, e vai desbloqueando o que conseguir.

Finalizando, Star Wars Battlefront II é um jogo melhorado face ao primeiro, com um modo campanha satisfatório, mas que poderia e deveria ser bastante maior. Os modos online embora melhorados, não são assim muito diferentes do que já experimentámos no primeiro jogo. Sente-se claramente falta de algo que nos deixe verdadeiramente rendidos. Seja como for, o jogo apresenta uma excelente jogabilidade, e acredito que quem gostou do primeiro, irá adorar este. Quantos aos jogadores que não ficaram satisfeitos com o primeiro, então este também dificilmente vos conseguirá atrair. Nota-se claramente a falta de um novo jogo do género de Star Wars: The Force Unleashed de maneira a preencher por completo os fãs de Star Wars.

4.0

Sim

  • Adição do modo campanha é uma excelente decisão
  • Mapas fazem-nos entrar no universo Star Wars
  • Graficamente o jogo está soberbo
  • Ter diversas classes para escolher melhora bastante o jogo online

Não

  • Modo campanha é demasiado curto
  • O modo multiplayer não nos preenche por completo
Published
Views 101

Leave a Reply

Ir para a barra de ferramentas