Desde que me lembro de existirem consolas, a Nintendo foi uma das maiores companhias desta área, tanto a nível de consolas como de videojogos. Não é por acaso que a maioria dos títulos mais vendidos de sempre são da Nintendo, e neste caso terei de destacar Super Mario Bros. Além de um dos títulos mais importante da Nintendo, é também aquele que trouxe o grande símbolo da companhia nipónica, Super Mario.

Até mesmo eu fiquei rendido a Super Mario Bros (quem não ficou?!?!), posso mesmo dizer que foi devido a esse jogo que tudo fiz para conseguir a minha primeira consola, deveria ter uns 6/7 anos. A verdade é que jogar Mario com aquela idade parecia algo de transcendente para uma criança, era conseguir obter uma liberdade incrível, matar criaturas estranhas apenas saltando-lhes em cima, apanhar o famoso cogumelo para ficar maior, ou conseguir 100 moedas para ter uma nova vida, era tudo brilhante. Não sei sinceramente o que Super Mario Bros tem de magico, mas a verdade é que se jogarem outro jogo com as mesmas características não proporciona a mesma alegria.

Significa por isso, e afirmo isto sem grandes problemas, Mario é um símbolo de qualidade, não é por acaso que os jogos onde Mario é protagonista são sempre jogos de enorme sucesso, além de nos oferecerem sempre algo de novo. E posso desde já dizer, que depois de cerca de duas semanas a jogar o seu novo jogo, posso afirmar categoricamente que Super Mario Odyssey é, um jogo brutal, irreverente e magnifico!

Nesta nova aventura de Mario temos como objectivo salvar a Princesa Peach do maléfico, mas extremamente bem vestido Bowser. Bowser mais uma vez raptou a princesa e têm como missão casar com ela. Claro está que a nossa tarefa é tentar que o casamento não se realize, e é aí que começa a nossa longa odisseia. Para isso vamos ter um aliado extremamente útil, e que faz a sua estreia neste jogo, trata-se de Cappy, o novo chapéu que irá acompanhar Mario ao longo desta aventura.

Cappy juntamente com Mario serão os protagonistas de todo o jogo, e falo dos dois separadamente pois sem Cappy seria impossível Mario completar a sua missão. Cappy tem diversas tarefas ao longo de todo o jogo, antes de mais serve de chapéu para Mario, depois é a uma nova maneira de derrotar inimigos. Além disso Cappy consegue colocar-nos no corpo da maioria dos nossos inimigos, significa por isso que temos 52 personagens que podemos encarnar durante a nossa aventura.

E já que falamos de Cappy podemos já referir que o jogo apresenta uma opção de dois jogadores, onde o primeiro jogador irá jogar com Mario e o segundo jogador jogará com Cappy. É uma experiência bastante divertida, embora o ecrã não se divida, significa por isso que quem jogar com Cappy pode por vezes não estar no ecrã caso o primeiro jogador comece a caminhar para outro local. Quero com isto dizer que embora a experiência seja divertida, a melhor maneira de termos total experiência e divertimento a jogar Super Mario Odyssey é no modo de um jogador.

O jogo oferece-nos um total de 16 reinos que vamos visitar durante a nossa jornada, todos eles são de mundo aberto, uns bastante maiores que outros, mas em todos notamos uma excelente nota artística de quem os desenhou. Nenhum reino é igual a outro, cada um tem as suas características, posso dar como exemplo termos um reino totalmente no gelo, outro numa praia fantástica, outro numa grande cidade, e muitos mais locais como podem imaginar. Como disse anteriormente são 16 totalmente diferentes. A componente original dos jogos Super Mario não foi esquecida, isto é, as plataformas continuam a ser um dos pontos fortes do jogo, sempre com um 3D excelente, e com a posição da câmera a poder alterar-se com o analógico direito, para conseguirmos ter sempre a melhor percepção do que nos rodeia.

Super Mario Odyssey também não deixou a moda de lado, e por isso na maioria dos reinos existe uma loja para irmos as compras, aí podemos comprar desde objectos a roupas que Mario poderá usar. E podem crer que é muito giro ver Mario com a mais variada roupa, desde uns calções de banho para ir até à praia, ou um fato todo elegante à lá Al Pacino, ou um fato de aviador, ou mesmo de pirata, e estes são só alguns exemplos, existem diversas roupas para comprarmos, assim como chapéus, todos eles de acordo com a roupa que podemos comprar. Existem dois tipos de vendedores, um que podemos comprar as coisas com as moedas que apanhamos durante o jogo, e que são típicas de todos os jogos de Mario e depois uma espécie de moedas próprias de cada reino, que apanham enquanto exploram o respectivo reino, mas existem em muito menor número como devem imaginar.

Além de tudo isto, não posso deixar de referir as maravilhosas surpresas que vão encontrar em todos estes reinos, como diversos quebra-cabeças, mini-jogos onde por exemplo podem conduzir carros telecomandados, ou mesmo zonas onde vão reviver Super Mario Bros, entre muitas outras surpresas que não quero revelar, pois a verdade é que tudo isto merece ser vivido e experienciado pelos jogadores.

Uma das questões que devem estar a colocar é como podem saltar de um reino para outro, a resposta é fácil: usam a Odyssey. A Odyssey é uma espécie de casa voadora, em que têm um balão que vocês vão criando conforme vão passando cada reino. Esse balão é preenchido a partir de Power Moons, está passou a ser o item principal neste jogo de Mario, é com estes itens que vão conseguir progredir de reino em reino para salvar a princesa Peach. O número de Power Moons que vocês vão ter de apanhar difere muito de reino para reino, mas isso também tem a ver com a dimensão do próprio reino. E como é óbvio, nos reinos mais pequenos, o objectivo é um menor número de Power Moons colectadas; nos reinos maiores, existem bastante mais Power Moons obrigatórias para apanharem.

Outra das excelentes experiências que vamos experimentar são os Bosses que vamos encontrar em alguns reinos, nem todos os reinos têm Bosses, mas na maioria dos casos, estes estão presentes. A maneira de os ultrapassar é diversificada, mas claro, Cappy é maioritariamente a resposta para conseguirem superá-los. A verdade é que a maneira como se realiza o combate com eles fez-me lembrar imenso o famoso, e também ele fantástico, Super Mario 64.

Outra das funcionalidades bastante interessante é o modo fotografia, neste modo temos a possibilidade de a qualquer momento do jogo carregar no D-Pad para baixo e entramos neste modo, ai podemos rodar a câmera, fazer zoom, colocar filtros, e até colocar o próprio símbolo do jogo. Tudo para tirarem excelentes imagens para mais tarde recordarem.

Os controlos também estão fantásticos em Super Mario Odyssey. São para todos os gostos e funcionam que é uma maravilha. Passando a explicar, desde logo podem jogar da maneira tradicional, com os Joy-Cons colocados na consola ou mesmo no suporte destes quando jogado em modo TV, ou para aqueles que tenham o Pro Controller também o podem jogar. Até aqui tudo normal, a magia (esta é mesmo a palavra correcta) chega quando vocês jogam com os Joy Cons tirados da consola e cada um na respectiva mão. Já estão a imaginar o que é possível fazer? Exactamente. Podemos fazer movimentos a partir dos Joy-Cons, desde mandar Cappy dar voltas de 360 graus para apanhar itens ou mesmo atacar inimigos, mandar Cappy ao ar, para apanhar itens que estão altos, fazer Mario rolar como se de uma bola se tratasse, entre muitas outras coisas. É uma experiência incrível, consigo mesmo dizer que tirando os jogos que são mesmo só para usar os Joy-Cons (como é o caso de 1-2 Switch), Super Mario Odyssey foi o jogo que me deu a melhor experiência com os Joy-Cons. Um trabalho esplêndido e que nos ajuda imenso ao longo do jogo.

Os gráficos estão magistrais. É a Nintendo Switch no seu melhor. Uma iluminação muito boa, os contrastes estão excelentes, texturas óptimas, sombras em todos os cenários. E dos gráficos podemos passar para a banda sonora que está também magnifica, sempre com musicas bastante alegres, e que nos empolgam enquanto jogamos. Na verdade, é uma banda sonora que se consegue ouvir mesmo sem estar a jogar. Está brilhante. E falando destes dois aspectos, existe outro que tenho de falar: a optimização do jogo. Super Mario Odyssey ocupa qualquer coisa como 5.2GB, corre perfeitamente, apresenta-nos esta jogabilidade surpreendente, uns gráficos brilhantes, uma banda sonora igualmente brilhante, e só existe uma coisa a dizer: Obrigado Nintendo por serem tão competentes!

Para finalizar até porque já vai bastante longa a análise, tenho de ser sincero, as primeiras impressões que fiquei quando vi os primeiros vídeos de Super Mario Odyssey não me entusiasmaram muito. Mas felizmente estava profundamente enganado, este é seguramente o melhor Super Mario feito até hoje, provavelmente será o jogo do ano para a maioria dos jogadores. E foi, com certeza, o melhor jogo que joguei este ano. Caso para dizer, no ano de lançamento da Nintendo Switch, a Nintendo consegue tirar da cartola provavelmente os dois jogos com nota máxima, caso de Super Mario Odyssey e The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Não me lembro de outra marca ter conseguido algo tão grandioso no ano de lançamento de uma consola.

5.0

Sim

  • Jogabilidade fantástica
  • Super divertido em todos os aspectos
  • Diversos mini-jogos
  • Os jogos de Mario têm a especialidade de saber renovar-se como nenhum outro

Não

Published
Categories Análises Nintendo
Views 291

Leave a Reply

Ir para a barra de ferramentas