Por vezes surgem ideias geniais que se traduzem em jogos simples e ao mesmo tempo extremamente interessantes, esse é o caso de Superhot que chegou primeiro ao PC e mais tarde à PlayStation 4 em dose dupla, isto é, com Superhot e Superhot VR. Desenvolvido pela SUPERHOT Team este jogo oferece-nos uma experiência única com um conceito diferente de tudo ao que estamos habituados. Obviamente que Superhot VR tem diferenças em relação ao original, visto termos outras possibilidades por estarmos naquela realidade que nos proporciona mais liberdade de movimentos.

À primeira vista temos a ideia de se tratar de um FPS, mas o jogo é muito mais que isso, é essencialmente um quebra-cabeças misturado com um FPS. Aqui todos os movimentos tem de ser calculados, a cada movimentos que fazemos os nossos adversários também se podem mexer, caso estejamos imóveis estes também permanecem imóveis. Obviamente que dito desta maneira parece que o jogo é bastante simples, posso dizer que inicialmente o filme Matrix veio-me imediatamente à cabeça, visto que somos capazes de fazer diversas habilidades que Neo era capaz, desde podermos desviar de balas (visto elas só avançarem quando nos mexemos), podemos tentar adivinhar os movimentos dos nossos adversários, tudo isso dá-nos uma vantagem enorme caso a saibamos usar bem. Claro que também podem disparar, apanhar novas armas assim como objectos que podem atirar aos vossos adversários.

 

 

Os nossos adversários aparecem de todos os lados, e a Inteligência Artificial não é nada má, visto que basta estarmos um pouco mais desatentos que facilmente temos diversas balas à nossa volta, e neste caso não existe movimento que vos salve. Morrer neste jogo é algo normal, basta uma bala ou um golpe do adversário nos atingir e começamos o nível de novo ou no ultimo checkpoint alcançado.

As armas são uma componente bastante importante neste jogo, para começar temos as nossas mãos sempre prontas para nos ajudar, além disso podem também apanhar armas de fogo, armas brancas, assim como também é possível mandarmos objectos aos nossos adversários, como é fácil perceber, aqui o importante é sobreviver e usamos tudo o que estiver ao nosso alcance. As armas podem ser obtidas em diversos locais do cenário, mas também as podem obter dos vossos inimigos (o que é óptimo).

O maior problema de Superhot VR tem a ver com a sua historia que é confusa e bastante vazia, podendo mesmo dizer inexistente. O modo campanha é composto por 19 níveis, cada um desses níveis tem diversos checkpoints onde somos colocados noutro local do cenário, obviamente que se morrerem ficam no inicio desse checkpoint, o que é óptimo pois não nos obriga a começar este do inicio, não trazendo frustração. Ao finalizarmos o modo campanha teremos acesso aos desafios, aqui podemos repetir os níveis do modo campanha mas onde a dificuldade aumenta exponencialmente. Além do modo campanha temos também o modo sobrevivência, onde como podem imaginar temos de conseguir sobreviver o maior número de tempo com diversos inimigos no cenário.

 

 

Se o grafismo futurista e minimalista está bastante interessante, vão encontrar cenários bastante claros com predominância da cor branca e cinzenta clara,  os nossos adversários destacam-se pela sua cor vermelha viva enquanto as armas são pretas para contrastarem no cenário. No que toca à componente sonora o trabalho poderia ter sido melhor, visto tratar-se de um jogo VR, o som é outra das maneiras de conseguirmos imergir naquela “dimensão”.

Neste jogo é obrigatório termos os PS Move, um em cada mão para controlar as respectivas mãos do nosso personagem, e as respectivas armas. Além disso é essencial ter espaço à nossa volta, visto que nos temos de movimentar, e caso isso não aconteça provavelmente desastres vão acontecer. Como devem imaginar por vezes vão fazer movimentos bastante bruscos com a cabeça, e provavelmente existirá situações em que terão de calibrar o PS VR para conseguirem voltar as ver as vossas mãos, o que pode ser um pouco chato no meio da acção.

Este é um jogo extremamente desafiante e que merece ser jogado no PlayStation VR, se gostam de desafios e de experimentar jogos desafiadores, então mergulhem de cabeça em Superhot VR e não se irão arrepender.

3.5

Sim

  • Um grafismo diferente mas que funciona bastante bem.
  • Jogabilidade de fácil adaptação e intuitiva.
  • Versão VR muito imersiva.

Não

  • Banda sonora e efeitos sonoros pouco desenvolvidos.
  • Existir uma história poderia ser uma mais valia.
Published
Views 150