Nos últimos anos a comida japonesa ficou na moda no nosso país, muito por causa do sushi que além de ter entrado no “goto” das pessoas, tornou-se num dos pratos favoritos em festas e saídas entre amigos. Neste momento, até nos centros comerciais se conseguem encontrar franchisings de sushi espalhados por todo o pais. E caso vocês sejam amantes de sushi (como temos alguns aqui no Salão de Jogos), imaginem se o sushi subitamente fosse proibido, e nunca mais pudessem comê-lo e saboreá-lo.

É exactamente isso que acontece neste mundo de Sushi Striker: The Way of Sushido, que após várias guerras devido a esta iguaria, o império decide tornar o sushi numa comida proibida por lei. Ninguém pode fazer sushi, ninguém pode comer sushi, ninguém pode pensar em sushi. Ok, estou a abusar, pensar ainda podem. Obviamente que, onde existe um império existe a revolução (qual StarWars/SushiWars!), e é isso que acontece com Musashi (o nosso personagem). Musashi decide partir à aventura em busca de comida, e pelo caminho encontra um jovem que lhe mostra: su – wait for it – shi. Exacto: sushi. Ora, é precisamente nessa altura que ele decide juntar-se à revolução.

Agora que já conhecemos assim por alto a história do jogo, vamos então perceber o que este tem para nos oferecer. Sushi Striker: The Way of Sushido trata-se de um jogo de puzzles, estratégia, e com uns pozinhos de RPG. Tudo isto se passa em 7 tapetes rolantes, 3 que só nós podemos usar, 3 do nosso oponente e 1 que ambos podemos usar. O objectivo é apanhar o maior número de pratos com a mesma cor enquanto estes vão passando nos diversos tapetes. Enquanto nós vamos fazendo isso Musashi vai-se alimentando, e empilhando todos esses pratos à nossa frente. O mesmo acontece com o nosso oponente, com essa pilha de pratos (tanto do nosso lado, como do lado do nosso adversário) que serve para arremessarmos contra ele, tirando-lhe energia. E como devem calcular, quando a barra de energia de qualquer um dos jogadores chega ao fim, este é derrotado.

Estas são apenas as regras iniciais e básicas do jogo, e ao avançamos nesta aventura vão sendo introduzidas novas regras que vão aumentado a sua dificuldade, além dos adversários começarem a ser bastante mais rápidos, terem mais energia e fazerem combos de pratos acumulados maiores. Sempre que acabamos um combate recebemos XP que serve para irmos aumentando o nosso nível, e com isso aumentarmos a nossa stamina, defesa (a soma destas duas dá o nosso nível de energia) e força.

Além de tudo isto, existem umas criaturas que vamos encontrando ao longa da nossa viagem e que nos oferecem habilidades. Estas são coleccionáveis e podemos ser acompanhados por uma equipa de 3 em todas as batalhas. Cada uma tem a sua habilidade, o que significa que ter uma boa combinação de habilidades pode muitas vezes fazer a diferença entre ganhar ou perder a nossa batalha. Depois de avançarem na história vão ter acesso a uma das melhores partes do jogo, isto é, a possibilidade de jogarem contra outros jogadores, seja em modo local, ou em modo online.

Sushi Striker: The Way of Sushido foi lançado para a Nintendo Switch e para a família da Nintendo 3DS, e podemos até dizer que também seria uma excelente escolha por parte da Nintendo ser lançado no mercado mobile. É simples chegar a esta conclusão pois se nos focamos na jogabilidade, e no caso particular da Nintendo 3DS, a melhor maneira de o jogar é a partir do ecrã touch, e se possível com a caneta para ter uma precisão total na hora de andar a juntar pratos. Quando à Nintendo Switch, o modo portátil é mesmo o melhor para conseguirem ter uma boa performance nos vossos combates, já que conseguem ser extremamente precisos, e combinar o máximo de pratos possíveis. No entanto, no modo dock isso fica bastante difícil pois os comandos não ajudam, tornando-se frustrante por vezes.

Graficamente está bastante engraçado, com um estilo meio anime mas ao mesmo tempo com um traço bastante simples, limpo e muito colorido. As cenas antes das batalhas pouca animação têm, sendo basicamente movimentos simples com texto, e é a partir destas animações que vamos percebendo a história do jogo. Quanto à banda sonora e sons, estão bastante boas, a banda sonora é por si só bastante frenética, tudo ao estilo muito nipónico.

Sushi Striker: The Way of Sushido é obviamente um jogo divertido, com uma história bastante simples, com uma certa patetice que faz o jogo ter a sua piada, conseguindo dessa forma cativar quem joga. As batalhas são muito giras, e conforme vamos progredindo a dificuldade cresce aumentado assim o desafio para os jogadores. Embora não seja um jogo que nos consiga prender durante muito tempo seguido, consegue cativar-nos a voltarmos lá todos os dias para ultrapassarmos alguns níveis, ou combater contra os nossos amigos.

3.5

Sim

  • Os duelos são bastante rápidos e divertidos
  • A banda sonora encaixa muito bem nos combates
  • Um jogo diferente, que ajuda a fugir dos padrões habituais

Não

  • Se não usarmos o touch screen os controles são péssimos.
  • Não será pela historia que o vão jogar.
Published
Categories Análises Nintendo
Views 134