A Bethesda já tinha mostrado ao mundo como é possível transportar jogos com requisitos bastante pesados para a Nintendo Switch, e temos os exemplos de Doom ou The Elder Scrolls V: Skyrim. Mais uma vez, a companhia decidiu fazer o que parecia impossível, e ofereceu aos jogadores da Nintendo Switch a possibilidade de jogar um dos melhores FPS do ano passado: Wolfenstein 2: The New Colossus.

Antes de focar-me no que diz respeito ao jogo, devo dizer que tenho imensa pena que juntamente com este, não tenha também lançado Wolfenstein: The New Order Wolfenstein: The Old Blood, para completar assim a trilogia. E fazia todo o sentido que isso acontecesse, visto que Wolfenstein 2: The New Colossus é uma continuação dos anteriores, e para quem caiu neste de paraquedas pode sentir-se um pouco perdido na história. Claro que o jogo começa com um pequeno resumo da história dos anteriores, porém, não chega para satisfazer ninguém, serve mais como aperitivo para abrir o apetite dos jogadores e experimentarem os jogos anteriores.

Para quem vai pegar no jogo pela primeira vez, digo desde já que estão perante um jogo com uma história bastante interessante, seja ao nível da nossa luta desenfreada contra os nazis, ou mesmo na nossa luta pessoal. E neste último caso somos obrigados a fazer certas escolhas realmente duras, e que servem mesmo para criarmos um certo ódio por determinados personagens, assim como para compreendermos cada vez mais William Joseph Blaskowicz (o nosso personagem). Já a luta contra os nazis é algo alucinante, com muito sangue e mortes à mistura, e claro, sem esquecer a incrivelmente louca General Engel, que é capaz de tudo para atingir o seu propósito. Quem quiser aprofundar um pouco mais sobre a história, pode ler a análise que o Pedro Moreira Dias fez quando o jogo foi lançado em 2017.

 

 

Só o início do jogo e logo memorável, já que temos de nos deslocar de cadeira de rodas ao mesmo tempo que andamos a matar nazis. É simplesmente épico. A própria física da cadeira está bastante boa, sempre que tentamos subir algo demasiado inclinado, caímos juntamente com a cadeira, e obriga a que tenhamos de nos arrastar novamente até à cadeira

O número de inimigos também é bastante vasto, desde os soldados banais, aos super-soldados com armas verdadeiramente abusadas, os cães raivosos, os drones, entre muitos outros. Embora já tenha sublinhado o combate mais frenético, a verdade é que também é possível usar uma táctica mais furtiva, eliminando os nossos inimigos num modo stealth, com armas mais silenciosas.

A jogabilidade está impecável. O jogo responde sempre muito bem, mesmo para quem gosta de jogar com os joy-con em cada mão. Os sensores de movimento, assim como o HD Rumble, funcionam muitíssimo bem para quem gosta de jogar desta maneira. Quanto aos jogadores que continuam a preferir uma experiência mais “normal”, os comandos também funcionam bastante bem, sendo possível alterarem a sensibilidade dos controlos nas opções.

 

 

A componente gráfica também está muito boa para uma consola como a Nintendo Switch. Obviamente não podemos comparar os detalhes das texturas, nem a distância que conseguimos ter em PC ou consolas como a PlayStation 4 ou Xbox One, mas notam-se claramente os locais onde o aliasing foi aplicado de maneira a que o downgrade gráfico ficasse mais disfarçado. No entanto, se estivermos a jogar no modo TV é difícil tentar esconder isso tão bem como no modo portátil. Seja como for, o que a consola da Nintendo nos consegue oferecer chega para ter diversão e uma experiência razoável. E fica pelo razoável porque infelizmente diversas vezes não conseguimos ter os 30 fps estáveis, notando-se algumas quebras que estragam a intensidade dos combates.

Wolfenstein 2: The New Colossus é uma obra prima que a Bethesda conseguiu trazer para a Nintendo Switch. Caso esta seja a vossa única consola, ou pertençam àquela percentagem de jogadores que passam a vida a jogar em modo portátil, então podem e devem adquiri-lo e jogá-lo na vossa Nintendo Switch. Caso contrário, provavelmente ficam melhor servidos noutra plataforma, pois conseguem 60 fps estáveis e um maior detalhe gráfico.

4.0

Sim

  • Possibilidade de joga-lo em qualquer lugar é excelente!
  • Uma historia incrível!
  • A jogabilidade está excelente, os comandos respondem que é uma maravilha!

Não

  • As quebras de FPS estragam um pouco a experiência
Published
Categories Análises Nintendo
Views 74

Deixa um comentário