Se o FIFA, o PES e o FM não dão actualmente grande espaço para outros jogos de futebol, na década de 90 houve outro rei, e a léguas de toda e qualquer concorrência. Muitas das funcionalidades que podemos ter como garantidas nos simuladores actuais de futebol, nasceram com o saudoso Sensible Soccer, e algumas até foram durante muito tempo exclusivas ao mítico videojogo de futebol.

Dito isto, poucos remakes podiam criar tanta expectativa para quem teve o privilégio de jogar o jogo de futebol mais inovador que já existiu. Na verdade, é algo estranho que só agora estejamos a falar nisso, se considerarmos o impacto que o videojogo teve na altura. Mas fiquemos apenas felizes por finalmente estar a acontecer, especialmente porque a mente por trás de Sensible Soccer, Jon Hare, continua a comandar as operações, juntamente com o estúdio finlandês Combo Breaker, ao qual entregou as responsabilidades do desenvolvimento.

 

 

A sonoridade do nome é familiar. Peculiar até. Mas nada temam, porque Sociable Soccer pretende seguir os passos do antecessor e mais uma vez partir para algo novo e apaixonante.

Sociable Soccer não pretende competir com o FIFA, ou com o Pro Evolution Soccer, deseja antes oferecer uma perspectiva diferente e completamente arcade do desporto rei. Sempre com o ritmo frenético a que nos habitou no passado, contudo simples e funcional.

Há ainda muito a melhorar, e foi precisamente por isso que foi colocado em Acesso antecipado, para que possa crescer com o feedback dos jogadores. E verdade seja dita: as correcções têm surgido com frequência.

 

 

A jogabilidade promete, e além de agora também ser possível correr, talvez a grande diferença para o Sensible Soccer vá para o controlo da bola, muito mais fácil em Sociable Soccer. Com alguma prática, consegue-se perfeitamente circular a bola com fluidez, o que para mim é um claro avanço em relação ao jogo dos anos 90.

A dificuldade dos adversários tem subido gradualmente a cada update, e não só era necessário, como obrigatório, já que as partidas eram ganhas com alguma facilidade.

 

 

Estão presentes mais de 1000 equipas das principais Ligas, e ainda que não estejam licenciadas, conseguimos identificar praticamente qualquer uma delas. Existem Taças, Torneios, Ligas, um Boss Mode (equivalente a um modo carreira); também tem multiplayer local, para poderes desafiar os teus amigos; e está previsto um modo online, que chegará provavelmente na versão final.

Não se esperava algo de muito ambicioso no aspecto gráfico, no entanto foi uma agradável surpresa, uma vez que o resultado está bem melhor do que esperava. Não ao nível de um PES, obviamente, mas bastante apelativo ainda assim.

Para já, o PC é a única plataforma disponível, mas está nos planos ser lançado eventualmente na Xbox One, PlayStation 4 (incluindo VR) e Nintendo Switch.

Um regresso que todos certamente vão adorar jogar.

Author Nuno Mendes
Published
Categories Antevisões Pc e Mac
Views 331