Cabaz de Natal

Fallout 4 
O mês de Dezembro já chegou, a cidade enche-se de luz e cor e o bacalhau já está quase na mesa. No entanto, se preferem imaginar estar num mundo pós-apocalíptico em vez de receber mais um par de peúgas da vossa tia, Fallout 4 vem ao teu auxílio.  Aqui assumimos o papel de alguém que, após ter saído de um abrigo nuclear, procura respostas no meio das ruínas que outrora foi Boston, agora Commonwealth. E este será o vosso recreio, um mapa imenso onde poderão fazer inimigos e aliados, decidir que tipo de pessoa serão e com quem determinarão o destino da Wasteland. Para os mais familiarizados com a série, vão encontrar em Fallout 4 algumas alterações em relação às iterações anteriores. Longe vão os tempos de um sistema de combate desconectado. Agora, sentimo-nos em controlo das várias armas que vamos encontrando ao longo da nossa viagem pela Commonwealth, num sistema claramente inspirado em jogos como Borderlands ou mesmo Destiny. Também novidade, é a capacidade de criar o nosso próprio canto no mundo, onde deixamos de viajar sem rumo para poder construir as infraestruturas necessárias à sobrevivência da nossa comunidade. Um lugar a onde nos dirigimos depois de uma missão particularmente difícil e guardamos toda a tralha acumulada nas nossas aventuras.  Não é um jogo perfeito é certo, e mesmo com alguns bugs e glitches continua a ser um prazer único deambular pela Wasteland e descobrir todas as pequenas histórias que ela nos conta. Uma das melhores experiências jogáveis deste ano.
Autor: Vando Enes
Rise of The Tomb Raider 
Trazemos também para este cabaz de Natal a menina mais bonita e com pinta do ano. Estamos a falar de Lara Croft que depois do reboot que levou por parte da Crystal Dynamics, volta com The Rise of The Tomb Raider. O jogo é a continuação desse reboot onde Lara terá que descobrir o que está por detrás dos acontecimentos na ilha de Yamatai e da organização que de tudo fez para os esconder. Para isso Lara terá que andar à procura do segredo mais bem guardado do mundo, segredo esse que foi desde sempre a grande pesquisa do seu pai. Será na Síria que Lara encontrará todas as respostas para a Lenda de Koschei, o Imortal, assim como a cidade perdida de Kitezh, pelo meio a menina, agora mulher, descobrirá a verdade sobre a morte do seu pai. Com argumento escrito por Rhianna Pratchett e com a exclusividade de um ano na Xbox One, The Rise of The Tomb Raider entrega aquilo que a nova geração pedia, gráficos de sonho, mecânicas apuradas, acção, muitos túmulos para descobrir, áreas abertas e uma trama muito interessante e com vários “twists”. O jogo não se esgota facilmente, teremos centenas de segredos para descobrir, entre tesouros a peças de armas para as “customizarmos”, há um mundo para descobrir, até porque no início do próximo ano sairá o primeiro downloadable content –  Baba Yaga: Temple of the Witch, dando continuidade à história e adicionando horas de descobertas. Um dos jogos de eleição deste ano e um jogo obrigatório para quem tem Xbox One neste Natal.
Autor: Pedro Moreira Dias
2015-12-10
The Witcher III: Wild Hunt 
Para qualquer fã de Role-Playing Games (RPG), um dos jogos que não poderão mesmo perder é o The Witcher 3, desenvolvido pela CD Projekt RED para PlayStation 4, Xbox One e PC. A saga The Witcher é uma adaptação dos livros de Andrzej Sapkowski, com Geralt of Rivia como personagem principal, cujos jogos são passados depois dos acontecimentos dos livros.
Geralt ou Lobo Branco, nome pelo qual também o conhecem, é o mais prestigiado Bruxo dos Reinos do Norte, devido à sua valentia, inteligência e capacidade de lidar com situações que nenhum outro conseguiu.
The Witcher 3 é um jogo de mundo aberto com um mapa gigantesco e para se ter uma ideia, ir de uma ponta à outra do mapa, a cavalo, pode demorar entre 20 a 30 minutos. O grafismo é surreal, cheio de detalhes e pormenores que nos deixam abismados com a sua qualidade, sem falar dos vídeos que parecem autênticos filmes.
A história é fascinante, sempre inesperada, cheia de intrigas, romances e dotada de um excelente enredo. Outro dos pontos fortes do jogo reside nas nossas decisões e como influenciam o desenrolar de tudo o que se passa à nossa volta, tanto que por vezes, só mais à frente é que nos apercebemos como afectaram a história.
A jogabilidade é outro dos destaques, o controle de Geralt em todos os momentos do jogo é bastante simples e intuitivo, ajudando bastante, principalmente quando em plena batalha.
Com mais de 50 horas de jogo, The Witcher 3 é sem dúvida nenhuma um dos melhores jogos do ano, diria mesmo, o jogo do ano.
Autor: Rui Gonçalves
Super Mario Maker
2015 foi um grande ano para a Nintendo. Desde os novos conteúdos de Mario Kart à ternura de Yoshi, grandes “Opens” em Mario Tennis Ultra Smash, e cenários deslumbrantes em Xenoblade Chronicles X, a diversão foi garantida e sempre com o carimbo da Nintendo. Mas nenhum jogo foi tão carismático como o do nosso canalizador favorito, Super Mario Maker, no qual a Nintendo apostou também para celebrar os 30 anos da sua mascote com o mesmo nome, e dono do bigode mais famoso dos videojogos. Super Mario Maker veio para reinventar o género dos jogos de construção, através de uma ferramenta que agrada aos fãs mais acérrimos do género, e também aos fãs mais fieis de Mario, com uma ferramenta simples e divertida. Prova disso são os milhões de níveis já criados pelos utilizadores, para todos os gostos e níveis de dificuldade. Quem não gostar de fazer níveis poderá sempre desfrutar de níveis feitos pelos outros utilizadores, como Game Developers nacionais e youtubers como o caso de Fer0monas e Mr Remedy. Desde níveis com o aspecto de Super Mario original, com uma resoluçãoo em Full HD, até níveis feitos usando o grafismo do mais recente Super Mario Wii U, o jogo contem horas de diversão para todos. E apesar de ter saído há uns meses, a Nintendo não abandonou o jogo colocando disponível para os criadores novos utensílios e itens de criação como o mais recente fato para o Mario o fato de sapo. Não percam a oportunidade de criar o Mario dos vossos sonhos neste Natal.
Autor: João Gonçalves
Published
Categories Artigos no METRO
Views 301