Developer escreve-se em Português!

Foi no passado Sábado que se realizou talvez o evento mais importante no contributo que dá aos estúdio e aos game developers deste país. Estamos a falar do Game Dev Camp.

O Game Dev Camp é organizado pela Microsoft Portugal em conjunto com os seus parceiros, entre os quais se contam alguns dos mais relevantes estúdios nacionais, como a B5 Studios, Bica Studios, Nerdmonkeys, Raindance LX, Upfall Studios, Indot. Também a Miniclip, uma das empresas mais conhecidas na área de jogos mobile e Web a nível mundial, e que tem um dos seus pólos de desenvolvimento em Portugal, se associou à iniciativa Game Dev Camp desde o início.

A iniciar este evento, momento especial com o Keynote dos responsáveis da Microsoft, mas também os ilustres convidados Caroline Phillips, Microsoft Portugal’s Developer Experience Lead e Petri Wilhelmsen, Graphics Evangelist at Microsoft, mas também o brilho nos olhos de Miguel Vicente, Audience Marketing Manager for Microsoft Portugal, que deu conta do trabalho que tem sido realizado no âmbito do desenvolvimento desta indústria e em especial no nosso país. Neste campo destaque para a iniciativa JUMP (jump@microsoft.com). Em conjunto com o programa BizSpark e alinhado com a iniciativa Ativar Portugal, JUMP irá permitir acompanhar os projetos portugueses com maior potencial, dando-lhes acesso às ferramentas gratuitas da empresa, serviços de Cloud, acesso à sala BizSpark na sede da companhia em Lisboa, apoio em marketing, e acompanhamento na candidatura a outros programas da empresa, como o ID@Xbox.

image003 (1)
E já que falámos de ID@Xbox de referir também a presença do próprio Agostino Simonetta, dando conta deste programa que permite a criadores independentes de videojogos publicarem jogos tanto na consola Xbox One como para o novo Windows 10.
Reconhecimento internacional em relação a este Game Dev Camp vem não só da presença de Agostino Simonetta, mas também do próprio Phil Spencer, CEO da Microsoft dizendo que está impressionado com o que estão a fazer em Portugal.

Muita coisa boa a acontecer em Portugal, ficámos impressionados com a quantidade de entusiastas em todas as sessões e a querer jogar os jogos apresentados, com um destaque que deve ser feito da nossa parte ao jogo Super Arrebenta Manos, jogo que é uma homenagem a Super Smash Bros. mas em português com personagens da nossa praça como Inspector Zé de Crime no Hotel Lisboa, Ashlyn de Hush, Assassin de Quest of Dungeons e Johny e o seu porco dos jogos Johny Scraps, etc. Mas é um jogo que foi feito para nunca ver a luz do dia e até é giro que assim seja.
Temos que referir Between Me and The Night, da Raindance Studio que temos acompanhado desde o seu início e que nos parece estar cada vez melhor, com um grafismo apurado e banda sonora extremamente interessante; mas também Greedy Guns da Tio Atum, um shooter crazy fun e viciante para dois jogadores e é claro o Quest of Dungeons que recentemente chegou à Xbox One, o RPG/Dungeon crawler de David Amador tem sido reconhecido pela crítica internacional e é visto como um bastião do trabalho que é desenvolvido em Portugal.

Muito mais jogos foram possíveis de experimentar como Strikers Edge, um jogo extremamente viciante multiplayer, da Fun Punch Games, e outros que usavam a realidade virtual como Cosmonaut, da Ground Control, uma espécie de Gravity onde estamos em controlo de um astronauta na estação espacial.

 Entre várias sessões ao longo do dia foi possível ver como a indústria tem mudado ao longo dos anos com Ivan Barroso, as dificuldades de adaptar um jogo mobile ao mercado de consolas e PC com o David Amador, ou ainda o Post Mortem de Crime no Hotel Lisboa da Nerdmonkeys, onde Filipe Pina revelou que grande parte dos documentos que foram utilizados para a criação do jogo, num apoio claro a quem queira perceber o que deve fazer para publicar o seu próprio jogo.
Todas as sessões desta segunda edição do Game Dev Camp serão colocadas online aqui, onde também poderão ver a nossa participação, por exemplo, na conferência “Jornalismo de Videojogos”, mas deixamos para já o Keynote inicial para sentirem o pulso do nosso país e da nossa comunidade.

Podem ainda ficar a conhecer um pouco mais de cada um dos estúdios na edição deste ano do booklet de apresentação dos mesmos através deste link

No fim foi ainda possível uma conversa descontraída com Agostino Simonetta, que mostrou o seu espanto com tanta gente a desenvolver com qualidade, e com tanto espírito de entreajuda, e a promessa que nos próximos tempos, muitos mais jogos portugueses estarão no mercado com o apoio de ID@Xbox.

Published
Categories Reportagens
Views 153
Ir para a barra de ferramentas