Quem é que no secundário nunca rabiscou o caderno enquanto o “stor” falava sobre um matéria chata que não nos dizia nada?

Pois bem, confesso que os meus cadernos de algumas disciplinas tinham mais desenhos que a matéria propriamente dita (peço desculpa, desde já, aos meus professores do secundário).

Estou a contar-vos isso porque em Drawn to Death tudo começa quando um aluno no secundário, entediado faz desenhos no caderno enquanto o professor explica a matéria, que no caso está a explicar o que é CPR ou RCP em português, que significa Ressuscitação CardioPulmonar.

Este jogo foi desenvolvido pela Sony Interactive Entertainment e não tem uma história por de traz do jogo, mas para ser honesto, não se sente muita falta. Este shooter na terceira pessoa é daqueles jogos que a palavra de ordem é, acção. Esta, encontras em todo o jogo, todos os minutos no campo da batalha, acompanhada por uma grande rapidez.

A jogabidade do jogo não tem muita ciência, nós escolhemos uma personagem, que pode ser alterada durante o jogo e cada tipo delas tem truques especiais. Existem vários tipos de jogo, mas o fim deles é sempre o mesmo, matar os adversários. É aqui que entra outra palavra chave de Drawn to Death, que é divertimento. Este é um título ideal para poderes jogar com os teus amigos, mesmo sendo uns contra os outros porque apesar do sangue derramado na arena, que não é pouco por sinal, podes usar usar emotes cómicos que servem para gozar com o adversário, tal como um rapaz do secundário faria.

Antes de entrares em jogo podes escolher três armas para começares e outras três para ficarem espalhadas no campo de jogo. Após isso vais entrar em acção e ao contrário de outros jogos, neste podes escolher o sítio onde começas. Também podes escolher o local de spawn todas as vezes em que morras. Enquanto jogas também podes invocar uma utilidade que te vai ajudar bastante a que eu chamo de “mão amiga” este truque é simplesmente invocar a mão do artista para derrotar os adversários, com esta mão vais conseguir disparar grandes rajadas de tiros, dispara misseis e a mais engraçada, podes esborrachá-los.

Esta acção toda e divertimento está acompanhada com um aspecto gráfico, um tanto ou quanto invulgar, digo isto porque tudo o que envolve o jogo são gráficos a imitar desenhos manuais, como se fosse uma banda desenhada o que torna ainda o jogo mais divertido.

Algo que tens de ter em conta antes de adquirires este jogo, é o simples facto que é necessário teres a subscrição de Playstation Plus, porque se não tiveres é inútil, porque não o vais conseguir jogar. Drawn to Death é um título 100% online.

Concluindo, este jogo é o mundo imaginário de um aluno, em que os seus desenhos ganham vida e entram em combate matando-se uns aos outros em diversas arenas com várias zonas. Tem um aspecto visual “sui generis” que torna este título diferente de todos os outros shooters. Mas aqui o que pode ser a sua imagem de marca pode ser o seu calcanhar de Aquiles, pois durante o jogo pode se tornar um pouco confuso. Drawn to Death está acompanhado pelo uma banda sonora bastante contextualizada que é basicamente um Rock americano que me faz recordar os meus tempos de secundário.

Como poderás constatar o grau de violência é grande e a linguagem não é a mais correcta, por isso Drawn to Death está avaliado com PEGI 16.

About The Author

Nascido no coração de Lisboa, este rapaz, nunca foi o mesmo a partir do momento em que o pai lhe ofereceu o primeiro Gran Turismo.Apaixonado por jogos de corridas, mas principalmente do Gran Turismo, comprou todos os jogos da saga até hoje. Dezanove anos depois, tem um novo amor, Forza Horizon...mas não esqueceu Gran Turismo.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.