Endwar Online, a mãe de todas as guerras

Quem se recorda de um jogo de estratégia lançado em 2008, de seu nome Tom Clancy’s Endwar? Pois bem, está em fase de Open Beta a sequela desse mesmo jogo, surgindo agora em versão Browser. Mas engane-se quem julga poder reviver a experiência, isto porque as semelhanças começam e terminam apenas no nome que liga ambos os títulos. Endwar Online é completamente diferente e confesso que torcemos os narizes às primeiras impressões, não porque nos desiludisse, mas porque estávamos à espera de algo mais à imagem do original. No entanto não receiem, porque primeiro estranha-se e depois entranha-se.

A Ubisoft Shangai, também responsável pelo desenvolvimento do primeiro Tom Clancy’s Endwar para consolas, teve aqui o desafio de criar e continuar o mesmo trabalho, mas desta vez numa abordagem totalmente nova e virada essencialmente para o universo online.

A história segue o mesmo caminho, pegando onde o primeiro jogo deixou. Perante uma longa e impiedosa Terceira Guerra Mundial, os recursos escasseiam, muito particularmente o petróleo, e com as principais potências mundiais em ruínas, cabe-nos escolher uma de três facções (Estados Unidos, Russia e Europa) e iniciar a sua reconstrução. Esta primeira e importante fase do jogo funciona muito como um SimCity militarizado, e o tutorial intuitivo oferece uma ajuda fundamental, sem nunca nos termos sentido perdidos ou confusos. Depois de escolhida a facção, é-nos dada a missão de reerguer a sua principal cidade, onde temos várias zonas para construir os diversos edifícios, tal e qual um City Builder. Como é de esperar, cada edifício proporciona a possibilidade de criar unidades para quando estivermos em combate, desde Tanques, Drones, Artilharia, Helicópteros e muito mais.

O Modo Campanha é um pouco superficial, e serve principalmente para nos familiarizar com a jogabilidade e preparar-nos para os Modos Online que desbloqueamos enquanto vamos progredindo no jogo. Uma vez que escolhemos a Europa, começamos por ter de montar a desesperada defesa de Paris dos invasores de leste, essencialmente para nos ser explicada a mecânica de combate. A Campanha está dividida por fases, e a primeira consiste em libertar as restantes regiões francesas do inimigo, iniciando depois o capítulo seguinte que passa por fazer o mesmo mas desta vez na Península Ibérica, depois Itália e por aí fora.

O combate tem semelhanças com um Tower Defense. Existem 3 corredores por onde enviamos as nossas unidades com o objectivo de interceptar as do inimigo, capturando pontos estratégicos pelo caminho, com alguns a oferecerem bónus passivos. Se no início houve alguma perplexidade por não ser bem isto que esperávamos, depois de alguns jogos e entendermos a lógica, torna-se numa experiência divertida, especialmente no modo Online.

Conforme vamos vencendo cada missão, além da habitual Experiência que nos vai permitir subir gradualmente de nível, recebemos também recompensas (Energy, Fame, Gold e Upgrades), que iremos usar depois no melhoramento das nossas unidades, comandantes e suas respectivas habilidades. É norma geral um tempo de espera até que os upgrades fiquem completos, e quanto mais alto o nível do mesmo, maior a demora, sendo que pode ser acelerado em troca de Gold. Sendo assim, podemos calcular que é nestes processos que vamos dedicar a maior parte do nosso tempo, tendo sempre algo a melhorar, missões a cumprir e recompensas para recolher. Para quem gosta do género terá aqui muito com o que se entreter.

Chegando ao nível 11 temos o primeiro contacto com a componente Online desbloqueando o Fortress Mode e neste Modo a Inteligência Artificial comanda as unidades de outros jogadores de forma a tentar derrotar-nos. Basicamente é o mesmo, mas com outro nome, e não deslumbra naturalmente. Contudo no nível 15 já temos acesso ao Friend Match e também ao interessante Wargame Mode. Neste último podemos criar uma espécie de baralho de Comandantes especiais, e depois tentar aguentar o máximo de batalhas sem sentir o sabor da derrota, enfrentando outros jogadores até conseguirmos nove vitórias ou sofrermos três derrotas. Por fim, o Skirmish Mode a nível 25, onde poderemos jogar aleatoriamente com outros jogadores de nível similar.

Tudo somado, Tom Clancy’s Endwar Online foi uma surpresa, mas uma boa surpresa, e para continuar a jogar mesmo depois desta preview. Uma óptima alternativa para os amantes de estratégia e que ainda por cima pode ser jogado gratuitamente. Olhando para as opiniões positivas, é um jogo que acreditamos que vá crescer e ganhar popularidade e esperam-se também novidades e adições talvez até antes da versão final, para a qual ainda não existe data estimada.

Author Nuno Mendes
Published
Categories Antevisões
Views 137

Comments (2)

    • Dezembro 15, 2015 at 7:07 am
      Muito interessante, e bem diferente mas acho q vão ser um pouco difícil. Achei legal o esquema de campanha para ir liberando o jogo online aos poucos.

Comments are closed.

Ir para a barra de ferramentas