Espaço: A última fronteira

24Desde os primórdios da história dos videojogos que se tenta recriar um universo virtual e já em 1962, SpaceWar! introduzia conceitos como hiperespaço e combates espaciais. Mas um dos pontos de ruptura dos jogos espaciais acontece em 1984, com Elite. Além de ser um dos primeiros jogos a utilizar gráficos 3D em computadores domésticos (apesar de serem apenas linhas brancas num fundo preto), incluía também um universo gigante e a oportunidade de subir na vida galáctica através de venda de mercadorias, pirataria espacial, missões militares, entre outras. Definindo um género pelo caminho, o Space Trading and Combat Game prevaleceu durante os anos 90 até que por falta de interesse do público geral, caiu no esquecimento. Mas felizmente está de volta. Elite: Dangerous é tudo o que o original era e muito mais. Depois de uma campanha no Kickstarter, o jogo acabou por arrecadar cerca de 2M de Euros, e passados quase dois anos, foi finalmente lançado. De volta está a mesma premissa do original, mas atualizado para os tempos modernos. Um universo gigante com cerca de 25.000 planetas à espera de serem explorados e onde as nossas ações podem afetar a história deste universo online e persistente, seja com uma pequena nave mercante ou uma sofisticada nave de batalha. O resultado de uma comunidade que nunca desistiu do sonho de explorar o universo, mesmo que seja apenas virtual.

Autor: Vando Enes

Author Vando Enes
Published
Categories Artigos no METRO
Views 260