FFXIV – Análise a Stormblood

Stormblood está aí, finalmente. A segunda expansão de Final Fantasy XIV: A Realm Reborn – um MMORPG por subscrição, lançado em 2013 – chega com um enorme conjunto de novos conteúdos e muitas e excitantes surpresas.

Final Fantasy XIV tem seguido o infeliz padrão de nomes que suscitam um forte empolgamento desde o momento em que são anunciados, muito devido ao seu legado, e depois acabam curtos nos lançamentos, resultando em valentes desilusões. Terminados à pressa, incompletos e longe de estarem prontos.

O que acontece depois, por norma, é atingirem gradualmente o idealizado por meio de expansões disfarçadas de presentes. Como é o caso, Stormblood tenta seduzir a comunidade a permanecer. No entanto, com um argumento bastante convincente.

 

Quando se volta a Final Fantasy XIV após Stormblood, há uma genuína sensação de renovação, quase como se fosse outro jogo. Quem é novo em FFXIV certamente não notará, mas para os mais veteranos é sempre bom sentir que há muito para redescobrir.

Há uma nova história para conhecer em Stormblood, mas não queremos estragar a surpresa. Ainda assim, podemos revelar que tudo começa em Gyr Abania, onde teremos de confrontar um império verdadeiramente opressivo. Surgirão novos aliados, novos inimigos também. É o enredo do costume e não é propriamente original, porém, geralmente funciona nestes contextos.

No topo das novidades, as duas novas classes: O Red Mage e o Samurai. Têm essencialmente funções de damage dealers, sendo que o primeiro, ainda que um pouco híbrido, inclina-se mais para caster e o segundo, puramente para a categoria dos melee.

 

Como alternativa ao Black Mage e ao White Mage, o Red Mage faz do equilíbrio a sua verdadeira virtude, formando uma rotação de controlo que torna a sua jogabilidade realmente divertida. Com um autêntico arsenal de feitiços, tem ainda um de Black Magic e outro de White Magic, demonstrando bem a sua versatilidade. A completar, um skill de AOE e um heal. O Red Mage tem impressionado e será certamente uma classe que todos gostarão de experimentar.

o Samurai, é através da inevitável katana que manifesta toda a sua habilidade. Com ele, será fundamental saber ler a ocasião certa para libertar os combos mais letais. Ser paciente. Cirúrgico ao aplicar o golpe decisivo. Implacável. O prazer de encarnar a classe aí reside. Mas só dominando o poder do Kenki seremos capazes de planear como usar das amplas opções que o Samurai tem à sua disposição. O simbolismo deste guerreiro há muito que habita em Final Fantasy e a sua chegada peca por tardia, contudo, há que reconhecer – tem uma excelente entrada.

 

Passando pelos outros destaques disponíveis em Stormblood, não podíamos deixar de referir o nível máximo, que foi aumentado para 70, o que traz também novas skills e a remoção de outras que eram já algo obsoletas.

Além das novas dungeons, mais zonas foram igualmente adicionadas. Vastas e belas regiões de aspecto oriental, que farão as delícias dos exploradores. E em algumas será até possível nadar e mergulhar. Final Fantasy XIV continua a ser um dos MMORPG mais bem desenhados do mercado e esta expansão faz questão de reforçar isso mesmo.

Stormblood tem uma lista interminável de coisas novas para experimentar. Os jogadores regulares de Final Fantasy XIV, têm agora um bom motivo para renascerem. É um produto renovado. Todavia, quem só agora está a ser apresentado ao MMORPG da Square Enix, tem aqui a altura ideal para experimentar o Free Trial. É claramente uma das melhores escolhas dentro do género.

 

Publicado
Categorias Análises Pc e Mac
Visualizações 50
Ir para a barra de ferramentas