2014 FIFA World Cup Brazil – Review – PS3

Acabou o campeonato nacional, as taças já forem entregues ao mesmo destinatário, falta apenas a entrega da Taça da Liga dos Campeões a um clube de Madrid para fazer “pandan” ao detentor da Taça da Liga Europa que também é espanhol, e agora todas as atenções viram-se para o Mundial.

Mas o Mundial já se joga com o FIFA World Cup 2014 Brazil, o jogo da EA Sports que nos transporta para a terra onde o futebol é Carnaval e Deus ao mesmo tempo, e onde é sinónimo de festa e emoção.

Como tal o jogo não poderia andar muito fora de todo esse ambiente festivo que se vai vivendo a menos de um mês de começar. E essa é geralmente a grande diferença que podemos encontrar dos jogos dos campeonatos do mundo ou do europeu, para a tradicional edição anual do FIFA.

E este jogo é talvez o que melhor conseguiu fazer isso. As cores, os menus, todo o ambiente brasileiro sente-se ao percorrer o jogo em todas as suas componentes. É claro que com a alegria que o Brasil transporta a coisa torna-se mais fácil mas a verdade é que é a mais bem recriada e trabalhada até hoje.

É claro que o ambiente se faz sentir também dentro do estádio, como é habitual também nos jogos do mundial e do europeu, a EA Sports tem tido sempre essa preocupação e por isso como podem ver por este vídeo, todos os adeptos, os jogadores e os seleccionadores estarão representados, assim como os hinos, os estádios, as bandeiras e os equipamentos.

Para além do ambiente podemos avançar que a nível da jogabilidade estará mais próximo de um FIFA 14 da PS4 do que da PS3, com maior detalhe ao choque, mas também às animações fora de campo. A EA Sports adicionou duas novas mecânicas, o Response Dribbling, que nos permite receber a bola e controlá-la em qualquer direcção e ângulo, assim como a resposta do dribbling e a velocidade da execução foram aprimoradas; já o Pinpoint Passing dá também uma maior precisão mas em relação ao passe, a diferença na execução do passe torna as jogadas muito mais perigosas caso as executem na perfeição. Não julguem que carregar apenas no triângulo vos dará a desmarcação que resulta sempre em golo, um passe executado com o X na perfeição poderá ter um resultado muito melhor, para isso acontecer terão que pensar muito mais o jogo e isso é um dos aspectos que vão notar desde início.

De volta está também a componente Set Piece Tactics, isto é podem planear algumas jogadas de bola parada, um dos pormenores em que gastei mais tempo e que de facto podem dar uma vantagem especialmente online. É algo que como jogador me dá especial gosto, porque o trabalho de laboratório é uma componente de quem pensa o futebol e não é apenas habilidade no comando. Mas se calhar sou eu que já estou velho e cansado de perder jogos para miúdos de 16 anos.

Para finalizar a questão da mecânica, duas particularidades, o Over-the-Back Headers, aqui iremos notar uma maior diferença nos jogadores com uma maior habilidade a saltar e a cabecear, visto que vão ganhar as jogadas com maior imponência, tanto a defender como a atacar, se bem que os cabeceamentos foram melhorados na sua dinâmica e não parecem mísseis a sair da cabeça dos nossos jogadores. E por fim os penaltys, os remates estão um pouco mais simplificados, os guarda-redes têm novas animações para provocar e dificultar a concentração de quem os marca, até porque nestes campeonatos do mundo muitos dos jogos serão resolvidos nos penaltys e era de facto necessário uma nova adrenalina nesses momentos.

Já os modos de jogo, passam pelos tradicionais; Amigável ou Road to FIFA World Cup, depois os modos que verdadeiramente vos vão fazer perder tempo serão o Story of Qualifying, onde terão a hipótese de jogar vários desafios reais e recriar os momentos que marcaram a qualificação de várias selecções, entre as quais a nossa, com o virar o resultado na Irlanda do Norte ou o playoff contra a Suécia a serem alguns dos desafios que teremos à nossa disposição, visto que poderemos fazer com todas as equipas que se qualificaram para o Mundial.

Já no modo Road to Rio de Janeiro, terão uma espécie de Online Seasons, onde basicamente vão ter que subir de nível e passar pelos 12 estádios deste mundial, começando em Manaus e acabando no mítico Maracanã, ganhando pontos ao bater outros adversários online para passar para o estádio seguinte até conquistar o troféu.

Ainda no modo online temos ainda Story of Finals que apenas estará disponível a partir do primeiro jogo do mundial, para ser mais preciso uma hora depois dos principais jogos, vão poder recriar esses mesmos jogos e concretizar objectivos específicos, quer seja dar mudar o rumo da história ou ajudar a concretizá-la.

Temos ainda o regresso de Captain your Country onde basicamente pegamos num jogador da nossa selecção depois de regressarmos por exemplo de uma lesão e tentarmos ganhar o nosso lugar e até recebermos a braçadeira de capitão a representar a nossa selecção. Este modo é acompanhado por um sistema de pontos que vamos ganhando ao atingir determinados objectivos.

Todos estes modos compensam o facto de 2014 FIFA World Cup Brazil ser vendido como um jogo e não como um DLC como já aconteceu em outras situações, apesar da exigência ser cada vez maior no mundo dos videojogos em relação à inovação e aos conteúdos.

Apesar de não sair para a PS4 ou Xbox One, parece-nos que para quem vive o Mundial intensamente e quer recriar e reviver todos os momentos da qualificação e daquilo que será o Mundial do Brasil, o jogo acabará por ser imprescindível, e facto é que representa todo o ambiente e vida que este Mudial tem para dar.

Published
Categories Análises
Views 27
Ir para a barra de ferramentas