Halo – A história dentro da história

Pegar no Halo The Master Chief Collection é pegar num pedaço de história, não só da Bungie e da 343 Industries, mas também da Microsoft e da Xbox. Foram 13 anos de história que remontam a 2001, numa altura em que a Microsfot  preparava uma consola, algo em que ninguem acreditava, devido ao investimento da companhia nos PC’s, nos sistemas operativos e até nosperiféricos, não é à toa que nessa altura toda a gente tinha um “Sidewinder”. Numa manobra ainda hoje por explicar os seus contornos, a Microsoft terá feito um drible sobre a Macintosh de Steve Jobs e arrecadado a saga Halo para a Xbox. Foi assim que surgiu Halo – Combat Evolved, um nome sonante, algo misterioso, um jogo de combate na primeira pessoa, algo que tinha desaparecido do mundo dos videojogos.

Halo CE, acabou por ser um sucesso e acabou por catapultar a Xbox, a Xbox 360 e prepara-se para fazer o mesmo com a Xbox One, os dois seres não são dissociáveis, e é vom ver que ainda há consolas com a sua “mascote”, algo que só poderá ser comparado com a Nintendo e o Mario, na verdade.

Esta análise por incluir 4 jogos já editados, até com segundas edições não poderá ser analisado como “jogo” no sentido de história, mecânicas, inovação, mas sim pela “peça” que é, e neste caso, é a peça de história mais completa da era Xbox e nomeadamente de Halo.

Comecemos pela sua descrição, a Master Chief Collection, inclui quatro jogos (Halo: CE, Halo 2, Halo 3 e Halo 4), todos eles unidos no mesmo interface, é quase que como se tivéssemos dentro do capacete do nosso “Chefe Mestre” a reviver o seu passado (agora até me assustei o quanto esta frase parecia saída do Assassin’s Creed).

Através de um interface, simples e objectivo, facilmente navegamos através dos separadores para chegarmos às missões dos 4 jogos, todas elas desbloqueadas e disponíveis desde o início do jogo, os custom games, o multiplayer, o Forge e o Halo Channel, esta última uma app que somos convidados a instalar assim que colocamos o jogo a rodar, e que compila em formato “canal de televisão”, todas as cinemáticas dos jogos, assim como reportagens, bocados de enredo, “making-off’s” e ainda as já famosas séries de introdução produzidas por Ridley Scott, como é o caso de Halo – Nightfall.

Graficamente Halo entra nesta colecção de cara lavada, os jogos foram trabalhados para dar aos fãs a versão original da consola onde sairam e com apenas o carregar de um botão saltarem para os 1080p em 60FPS, sendo que Halo 2 até chega à resolução 1328x1080p. É incrível aquilo que foi feito pela 343i nesse sentido numa época em que todos os jogos são remasterizados para as novas consolas, isto pareceu quase um soco no estomâgo, quase um “suck it and see” de como se remasteriza jogos, ainda para mais se considerarmos as cinemáticas completamente refeitas pela Blur Studios para o Halo 2 e Halo 4, e que são simplesmente magníficas. Em relação a Halo 4 em Dezembro sai um update que acrescentará os 10 episódios de Spartan Ops.

Outra das opções que vai deixar os fãs em êxtase é  a possibilidade, na opção de “career”, analisar os 450 achievements disponíveis (já contando com os 50 novos do update). É que a agora a 343i fez-nos o favor de, para além de nos dizer o que fazer, direcciona-nos directamente para o jogo, o modo e o nível no qual devemos o fazer para desbloquear o tal achievement.

A nível das mecânicas, a equipa decidiu manter todas elas, de forma a que possam sentir a evolução de jogo para jogo, tal como no modo multiplayer, onde mais uma vez terão acesso a todos os modos que fizeram de Halo uma série imperdível. A nível de extras neste mesmo modo, dizer ainda que todos os que adquirirem esta compilação irão ter acesso à Beta do multiplayer de Halo 5 Guardians, que começa dia 29 de Dezembro e estará disponível até dia 18 de Janeiro.

Halo The Master Chief Collection é feita para os fãs da série, é feito para todos aqueles que não tiverem ainda a oportunidade de jogar todos os jogos, para aqueles que estão na dúvida de comprarem a Xbox One, ou até aqueles que não queriam o fazer. É a mais forte razão de o fazerem, é mais uma vez uma alavanca para a Xbox e para a Microsoft, mas é uma alavanca que não é apenas uma remasterização, é uma obra de arte.

REcomenda_Halo

Published
Categories Análises
Views 81
Ir para a barra de ferramentas