Foi com muito agrado que recebemos a notícia que The Last of Us, um dos melhores jogos do ano passado, iria receber um DLC com mais um episódio para o modo Single Player. Também era muita a expectativa em relação à história que iria ser contada e relatada e até que ponto isso poderia funcionar. Portanto com tanta expectativa será que Left Behind nos satisfaz por completo? Infelizmente tenho que dizer que não…Mas a razão pela qual isso acontece é apenas uma: soube a pouco.

São cerca de duas horas a duas horas e meia de jogo, dependendo da dificuldade em que jogarem, de mais um brilhante capítulo de uma história incrível de Last of Us, e como tal parece que chegamos ao fim e ficamos tristes porque não há mais, porque não podemos fazer mais nada e porque passaríamos horas e horas a jogar muitos mais capítulos com esta qualidade. Talvez por isso hoje mesmo ficámos a saber que, Durante uma sessão de perguntas dos fãs de The Last of Us no Reddit, poderá existir uma sequela para esta obra prima da Naughty Dog. Foi Neil Druckmann e Bruce Stanley, diretor criativo e diretor de jogo que nesta sessão de Q&A revelaram pormenores sobre o futuro da série. Os próprios afirmaram que há 50% de possibilidades de isso acontecer porque são eles mesmos que podem definir o futuro de The Last of Us, isto porque a Sony tem total confiança no trabalho já desenvolvido e nos seus resultados e como tal a Naughty Dog tem carta branca para desenvolver o futuro da série como preferir ou apenas fechar este ciclo. Parece-me no entanto evidente que com a recepção que o jogo teve, com o final em aberto que teve e com a recepção que este Left Behind teve, o mais provável deverá ser a continuação da série.

Mas enquanto isso não acontece, foquemo-nos neste Left Behind que se situa no mesmo cenário que podemos encontrar na mini-série da Dark Horse ComicsThe Last of Us: American Dreams. Neste DLC vamos ter dois momentos distintos, um em que estamos com Ellie e Joel após a fuga de um edifício onde Joel caiu e aterrou num ferro de uma construção ficando gravemente ferido. Depois de terem fugido montados num cavalo e Joel perder os sentidos, Ellie carregou Joel para um abrigo para tentar de alguma forma o salvar do seu ferimento. Este é o primeiro momento. Se bem se recordam havia um gap, onde não percebíamos da melhor forma como Ellie tinha arranjado um estojo de primeiros socorros para salvar Joel, pois bem agora vamos saber como tudo aconteceu. Para isso vamos “passear” por um centro comercial onde vamos tentar encontrar numa farmácia algum estojo de primeiros socorros ou algo que possa ajudar Joel a ficar curado. Mas como é óbvio não estaremos sozinho e também não será assim tão fácil encontrar medicamentos.

22396

Nesta demanda pela vida de Joel, Ellie vai recordando momentos que viveu ali, naquele mesmo centro comercial com a sua amiga Rilley há alguns anos atrás. Nessa altura Rilley que se tinha alistado pelos “Pirilampos”, tinha abandonado a sua amiga Ellie e regressou para uma última visita antes de mudar de cidade, e com isso despedir-se ou não, de Ellie. Não vou dizer muito mais acerca deste assunto para não spoilar. Aquilo que posso dizer é que vamos ter o contraste entre o frio e o desespero de Ellie na procura de uma salvação para Joel e o quente da amizade entre Ellie e Riley.

A nível da mecânica nada mudou, tudo tão simples e inteligente como tínhamos já referenciado na nossa review, apenas alguns mini-jogos divertidos quando estamos com Riley, como por exemplo partir janelas dos carros com tijolos ou jogar à apanhada com “super soakers”. Outro dos pontos que a Naughty Dog explorou (quem sabe a testar essa componente), foi a interactividade com o facebook, numa situação onde tiramos fotos com Ellie e Riley,  numa máquina automática para o efeito e onde essas fotos são reveladas para o nosso facebook.

the-last-of-us-left-behind-screen4

A própria construção das personagens é extremamente interessante, sentimos uma enorme diferença entre a Ellie que tenta salvar Joel e a que se divertia com Riley, a postura mais descontraída, o estado de espírito, as piadas, a esperança que Ellie transporta quando era mais nova em contraste com a falta de orientação e desespero quando mais velha.

Curioso será ainda o desenvolvimento da personagem de Ellie e a sua relação com Riley, numa altura em que Ellen Page se assumiu como homossexual, e depois de tantas comparações com a personagem de Last of Us, mas não vou alongar nesse capítulo, vou vos deixar jogar.

the-last-of-us-left-behind-review-3

Por fim, dizer mais uma vez que Left Behind era tudo aquilo que queríamos ver num DLC para Last of Us e que apenas peca por curto, especialmente se pensarmos que custa 14,99, a verdade é que ficámos sedentos de mais episódios desta série e que não demore tanto tempo como este demorou, porque The Last of Us é uma série que tem ainda muito para dar, na minha modesta opinião, muito mais do que a série Uncharted.