Mortal Kombat, ontem, hoje e amanhã!

Amanhã chega o décimo capitulo de uma das franquias mais bem sucedida do mundo dos videojogos. Estamos a falar de Mortal Kombat X, o jogo agora desenvolvido pela NetherRealm Studios e a High Voltage Software, volta a trazer todo o espírito hardcore, conceptualizado há cerca de 23 anos por Ed Boon, John Tobias, John Vogel e Dan Forden. É claro que agora não estamos a falar de um jogo 2D com as personagens moldadas a actores reais, mas continuamos a falar de uma fórmula que era controversa em 1992 e continua a ser em 2015. Um jogo visceral, em que as nossas personagens arrancam corações e olhos, partem espinhas, costelas e crânios aos adversários, não pode ser considerado um jogo “normal”, mas foi por isso que marcou tanto a diferença e conseguiu superar o seu adversário Street Fighter.
33
Na verdade Mortal Kombat X não é para meninos, mas as combinações, as brutalities ou fatalities são praticamente as mesmas desde que éramos crianças, mas os gráficos superam qualquer expectativa. No seguimento do que vimos, por exemplo em Injustice Gods Among Us, todos os cenários dão a tridimensionalidade exigida à nova geração, sendo eles próprios organismos vivos, mas também a rapidez e fluidez de todas as personagens dão uma intensidade e adrenalina que é exigida numa franquia Mortal Kombat. Dissemo-lo quando o experimentámos no Lisboa Games Week e voltamos a dizer: É um dos jogos do ano!
Autor: Pedro Moreira Dias
Published
Categories Artigos no METRO
Views 56
Ir para a barra de ferramentas