Não há nada como a casa dos outros

Gosto de jogos sem fim. Gosto de jogos fofinhos. Gosto de jogos que me deixam dar asas à imaginação. Recebi Animal Crossing: New Leaf no meu aniversário em 2014. Quase dois anos depois dessa data histórica, somo quase 300 horas agarrada à consola graças a este título. Apesar de ter abrandado na dose diária, continua a ser um dos meus jogos de eleição e uma escolha recorrente quando quero jogar “qualquer coisa”. Por isso, não é de estranhar que tenha ficado absolutamente histérica quando a Nintendo anunciou um spin-off da série. Animal Crossing: Happy Home Designer prometia trazer em dose reforçada um dos pontos altos de New Leaf – a decoração de interiores.

51

A promessa de uma casa com tudo o que quisermos é algo que faz parte do imaginário de qualquer um, seja pequenino ou já bem crescido. Brincar com isso é algo que está agora à disposição dos que agarrarem Happy Home Designer. É verdade que decoramos a casa dos nossos amigos animaizinhos em vez da nossa, mas isso não tira nem um pedacinho da magia à coisa. Entre os pedidos (pouco exigentes, diga-se) que nos fazem, temos a liberdade para arranjar, personalizar e remodelar cada pormenor ao nosso jeito. Ele é portas, ele é tapetes, ele é mobília… No fim de cada projecto, o resultado só depende da criatividade de cada um. As possibilidades são infinitas e a diversão também. E, claro, a fofice está sempre presente.

Autora: Rute Correia

Published
Categories Artigos no METRO
Views 49
Ir para a barra de ferramentas