Não havia necessidade desta remasterização!

Quando Resident Evil 6 surgiu em 2012, a Capcom prometeu que seria o melhor jogo da série, não só porque reunia os principais personagens da saga (Leon Kennedy, Chris Redfield e Jake Muller) mas também por prometer voltar a ser aquele survival horror que tanto marcou os fãs, mantendo ainda a acção presente em Resident Evil 5.

Passaram-se quatro anos desde o seu lançamento e é feita agora a sua remastirização para Xbox One e PlayStation 4, o que nos leva à primeira questão: Porquê uma remasterização de um jogo com apenas quatro anos, quando Resident Evil 2 e Resident Evil 3 já contam com mais de dez anos e não tiveram ainda uma versão remasterizada.

O jogo é composto por quatro Campanhas, com algumas ligações entre si. Temos as campanhas de Leon e de Ada que estão relacionadas, e as de Jake e de Chris também interligadas. Podemos dizer desde já que todos os personagens têm histórias interessantes e bem construídas, sempre com alguma coisa por desvendar.

Cada campanha demora aproximadamente sete horas para ser terminada e cada uma conta com 5 missões, sempre a grande rotação. O jogo continua a ser centrado na vertente Co-Op tal como Resident Evil 5, sendo ainda mais aliciante alcançar o final do jogo na companhia de um amigo.

Resident Evil 6 quando saiu foi bastante criticado pela sua nova jogabilidade, e em especial a sua câmara totalmente livre, todavia, e ao contrário de Resident Evil 5, já é possível disparar enquanto nos movemos, o que eu considero muito bem-vindo, rompendo com algo que já vinha a criticar desde o título anterior.

Caso não saibam, este foi o jogo do mundo Resident Evil, ao qual foi dedicado o maior orçamento, contudo, foi igualmente o único que não atingiu o número de vendas estimadas pela Capcom, cuja razão muito se deve à história que é por vezes completamente absurda, desiludindo principalmente os fãs mais acérrimos da série que sempre seguiram a história com particular interesse. No entanto, se fizermos um esforço para esquecer o completo desastre que é o enredo de Resdient Evil 6, temos um excelente jogo de acção e podemos ainda contar com todos os DLC’s incluídos, portanto nem tudo são más notícias.

Graficamente o jogo corre a 1080p e nuns fluidos 60fps, os personagens ficaram com as texturas bastante melhoradas, o que já não acontece por exemplo com as restantes texturas, que parecem não ter sofrido qualquer alteração. Seja como for, se compararmos com as versões anteriores ficou muito mais fluído, o que é sempre bom.

A banda sonora é talvez das melhores de toda a serie, com todos os sons e melodias encaixados nos sítios certos, fazendo-nos empolgar a cada circunstância, o mesmo se verifica nas vozes dos personagens, que estão também muito bem conseguidas, resumindo, um campo onde não existem quaisquer falhas.

Em Resident Evil 6 não falta diversão e agora optimizado para atingir uma performance praticamente perfeita. Não se justifica no entanto a compra da versão remastirizada caso já tenham o original, sendo provavelmente melhor guardarem-se para o Resident Evil 7.

SimENaoResidentEvil6

Published
Categories Análises
Views 63
Ir para a barra de ferramentas