O verdadeiro RTS da Xbox One!

Os jogadores da Xbox 360 facilmente se lembrarão daquele que foi o Real Time Strategy (RTS) mais vendido da velhinha consola da Microsoft, falo portanto de Halo Wars, lançado no início de 2009 e desenvolvido pela Ensemble Studios. Só para terem uma noção da proporção de vendas, em Março desse mesmo ano já tinha vendido um milhão de copias. Algo que é um marco histórico para um RTS exclusivo de uma consola.

Pois bem, chegámos ao início de 2017 e é lançada a tão aguardada sequela, Halo Wars 2, agora para a Xbox One e Windows 10, desta vez desenvolvido pela Creative Assembly e 343 Industries, produtora dos jogos da franquia Halo desde 2009, após a separação entre a Microsoft e a Bungie.

Halo Wars 2 é rico em conteúdos, temos um fantástico modo Campanha, o modo Multiplayer, o modo Skirmish, o modo Blitz e os Tutoriais. Começando pelo último, como o próprio nome indica, serve para integrar os jogadores que pela primeira vez estão a entrar no jogo, existindo três tutoriais: o básico que nos ensina os comandos mais simples – tal como avançar, seleccionar unidades, etc; o tutorial avançado – que nos ensina comandos mais estratégicos, criar equipas, seleccionar várias unidades da mesma categoria; e por último, o tutorial do modo Blitz – que nos ensina o básico para nos iniciarmos neste novo modo de jogo.

Quanto ao modo campanha de Halo Wars 2, é uma pequena obra de arte, a história começa 28 anos depois de Halo Wars, no ano de 2559. Para quem é fã da saga Halo, percebe facilmente que esta história acontece logo após os eventos de Halo 5: Guardians. Quando o Capitão James Cutter recebe um sinal de emergência da superfície de Ark, na sua nave de Guerra – a Spirit of Fire. Ao mandar investigar a situação, a equipa que vai até ao local depara-se com uma base da UNSC em ruínas e ao entrarem no local encontram Isabel, uma inteligência artificial que sabe exactamente tudo o que ali se passou. Enquanto Isabel tenta explicar o que ali se passa, ouve-se um ruído e ela entra em pânico, é nesse preciso momento que surge o grande vilão desta história – Atriox, o senhor da guerra e líder dos Banished. Inicia-se então uma luta entre os três soldados e Atriox, mas ao se apercebem como este é poderoso, a única solução é fugir e reportar tudo o que aconteceu ao Capitão James Cutter.

A partir daqui a história vai-se desenrolando, com Isabel a explicar tudo o que se passou naquela base e de como Atriox chegou ao poder. Como é fácil imaginar, a nossa missão será tentar derrotar o Atriox e o seu exército. Ao longo das várias missões temos acesso a algumas cutscenes com uma qualidade gigantesca. Como já é normal nos jogos desenvolvidos pela 343 Industries, todos estes detalhes tornam a história de Halo Wars 2 bastante cativante, significando que é indispensável jogar o seu modo campanha. Até porque se acham que não têm piada jogar em modo single player, existe a possibilidade de jogar o modo Campanha com um amigo no modo cooperativo, o que torna tudo bastante mais divertido.

Além de todos os detalhes que podemos encontrar no jogo, um dos pormenores deliciosos está nas conversas entre as nossas unidades ou entre soldados que resgatamos, por diversas vezes falam de acontecimentos do universo de Halo, como é o caso de Master Chief. O que se torna uma mais-valia, principalmente para os jogadores que conhecem bem a história de Halo.

Como é habitual na maioria dos RTS contamos também com os Modos Multiplayer e Skirmish, aqui temos a possibilidade de desafiar outros jogadores, amigos e a Inteligência Artificial (IA).

Nestes modos existem três tipos de desafios:

O modo Dominação – ganha quem obter primeiro 3000 pontos. Esses pontos são obtidos por conquistarmos torres. Existem 3 torres no mapa e sempre que as conquistarmos vamos ganhando pontos enquanto estas estiverem no nosso domínio. Um modo de jogo bastante divertido face à enorme quantidade de confrontos que vamos ter para conseguirmos segurar ou conquistar as torres aos nossos inimigos.

O modo Fortalezas consiste num jogo de 15 minutos onde o objectivo é conquistar o maior número de fortalezas que existem no mapa e ao fim dos 15 minutos o jogador que mais fortalezas estiver conquistadas será o vencedor. Além disso, por cada fortaleza conquista é possível aumentar o número de unidades no terreno, obrigando-nos a estar sempre em acção, visto que quanto mais unidades tivermos a possibilidade de colocar em campo, maior será a possibilidade de sairmos vitoriosos. Um modo muito interessante principalmente quanto temos pouco tempo para jogar.

Por último temos o modo Mata-Mata, cujo objectivo é aniquilar os nosso inimigos no mapa. Não existe tempo limite, por isso o normal é este modo ser bastante mais demorado que os dois anteriores. Por vezes conseguimos partidas bastante renhidas, o que faz com que sejam por vezes pormenores a ditarem a nossa vitória.

Em todos estes modos podemos jogar em diversos tipos de mapa, sendo possível fazer jogos de 1×1, 2×2 e 3×3. Significa por isso que em qualquer um destes modos é possível jogar no modo cooperativo, seja com amigos ou com outros jogadores.

Algo bastante importante é o nível de perfil do jogador. Quase tudo o que fazemos em Halo Wars 2 dá-nos XP e esse XP serve para o nosso perfil subir de nível. Sempre que subimos de nível recebemos uma carteira com cartas para o modo Blitz, que falaremos mais à frente. Tanto as missões do modo campanha como os desafios secundários dessas missões dão-nos XP. Além disso existem os desafios diários e os desafios semanais, esses também nos fornecem XP, esses desafios podem ser desde jogar com determinado exército, fazer um determinado número de partidas, etc.

Falemos agora do novo modo de Halo Wars 2, o modo Blitz, onde temos uma mistura de jogos de cartas com RTS, ou seja, neste modo o objectivo é construir um baralho de cartas que representam unidades de batalha para depois os utilizarmos nos mapas que vamos disputar contra outros jogadores. Mas vamos por partes para facilitar a compreensão.

Comecemos pelo Baralho, antes de começar um baralho é necessário escolher um líder, existem 8 líderes no total e cada um tem a sua própria característica, além disso existem cartas que são específicas de determinados líderes, por isso, é necessário conhecer com atenção todos os líderes e todas as cartas para saber o caminho que queremos seguir. Depois do líder escolhido será necessário escolher 12 cartas, é necessário ter especial atenção ao equilíbrio entre a força das unidades de batalhas e o nível de energia que estas pedem para serem colocadas em campo. Por isso nada melhor que ter tanto cartas “fracas” como cartas “fortes” para colocarmos mais para o fim dos combates.

O vosso baralho também pode ser melhorado, para isso existem duas possibilidades – comprar carteiras de cartas na loja, em que cada carteira traz 5 cartas, ou irem subindo o nosso nível de perfil e receber uma carteira por cada nível que evoluírem como expliquei acima. Outro dos detalhes importantes é de como subir o nível das cartas, aqui o sistema é bastante simples, cada vez que ganham uma carta repetida, esta serve para ajudar a aumentar o nível da carta que vocês já possuem. Por exemplo, imaginem uma carta chamada Hellbringers, se numa das carteiras que abrirem sair outra carta Hellbringers, então esta passará para nível 2. E assim sucessivamente, o que varia é o número de cartas repetidas que vocês têm de ter para conseguir subir os vários níveis.

Para conhecerem todas as cartas que existem basta irem à Biblioteca, onde podem ver os seus detalhes e as cartas que já possuem, assim como as que ainda vos falta, para completar toda a colecção. Existem 4 tipo de cartas: comuns, incomuns, raras e lendárias. Como é fácil de prever, as raras e lendárias além de poderosas são bastante complicadas de obter.

Agora que já sabemos como construir um baralho vamos ao modo de jogo propriamente dito – aqui existem três modos: 1×1, 2×2 e 3×3. O modo Blitz consiste num mapa com 3 plataformas no meio do mapa, o objectivo é conquistar essas plataformas para ganhar pontos e se atingirem os pontos necessários antes dos vossos adversários ganham o jogo. Estes jogos costumam ser bastante rápidos, diria que não duram mais de 10 a 15 minutos no pior dos casos e é indispensável serem rápidos e perspicazes na entrada em campo, isto porque como disse acima, é necessário energia para colocar as vossas cartas em jogo e para isso podem esperar essa energia ir subindo ao longo do tempo, ou podem percorrer o mapa e encontrar esses recursos em alguns locais.

Outro dos pontos que é bastante importante salientar, é que mesmo tendo acesso antecipado ao jogo, nunca foi problema encontrar outros jogadores nos modos online, a procura foi sempre bastante rápida.

Quanto à jogabilidade, Halo Wars 2 está soberbo, é fácil executar as acções com o comando Xbox. É bastante simples de aprender os vários comandos, assim como perceber como funciona todo o sistema de criar unidades, fazer upgrades, construir os edifícios, entre outras coisas. Melhor só com um teclado e um rato na mão, não havendo essa possibilidade, então ficamos pelo comando Xbox One. Graficamente o jogo está muito bom, mapas bastante diversificados e com bastantes detalhes, além da opção de zoom que permite obtermos detalhes específicos de tudo.

Concluindo, Halo Wars 2 têm tudo o que um jogador pode pedir num RTS  uma excelente história, modos cooperativos e os indispensáveis modos multiplayer. Acredito que o modo Blitz será um sucesso entre os jogadores, visto que é uma mescla entre jogo de cartas e RTS. Um jogo indispensável para qualquer fã de Halo que goste de um bom RTS. Será seguramente um dos jogos do ano para a Xbox One, mais um trabalho excelente da 343 Industries e Creative Assembly.

Para os jogadores do PC:

Sabendo que Halo Wars 2 é um jogo Xbox Play Anywhere não podia deixar de dar algumas palavras os jogadores do PC, na realidade o jogo torna-se bastante mais simples e intuitivo jogado com um rato e um teclado, concluiria mesmo que um jogador quem esteja a jogar num PC terá bastante vantagem em termos de velocidade na criação de unidades, em movimentar-se pelo mapa, assim como em movimentar unidades comparativamente com um jogador que esteja a jogar numa Xbox One, e isso poderá torna-se um problema, pois deixa de ser uma luta justa.

Outro pormenor que se poderá verificar são os jogadores unicamente de PC que provavelmente sentiram o jogo algo limitado em comparação a outros RTS já lançados para PC. Seja como for, Halo Wars 2 não deixa de ter o seu brio, e continua a ser um excelente jogo mesmo no PC. Provavelmente será a minha plataforma de eleição para joga-lo.

Publicado
Categorias Análises Pc e Mac Xbox
Visualizações 10

Comments (1)

  • Março 17, 2017 at 7:21 pm
    […] celebrar o regresso do Truques e Dicas à BTV, e o lançamento do melhor RTS para consolas, Halo Wars 2. Temos em parceria com a Microsoft 3 jogos Halo Wars 2 para vos oferecer. Para participar terão […]

Comments are closed.

Ir para a barra de ferramentas