Foi praticamente há vinte anos que um cão com um gorro na cabeça, de seu nome PaRappa, apareceu na velhinha PlayStation e pode-se dizer que “revolucionou” a nível de jogos musicais, numa altura em que o Hip-Hop não era tão popular no continente europeu como hoje em dia.

O jogo em si era simples, consistia basicamente em pormos o PaRappa a “rappar” durante seis níveis e para isso tínhamos a companhia de vários personagens que eram os nossos tutores. Estes começavam a cantar para nos mostrar o que tínhamos que fazer. Essencialmente a jogabilidade resume-se a isto, numa barra horizontal aparece uma combinação de teclas e temos que repetir. Cada tecla falhada o nosso canídeo erra na musica e durante a musica estamos a ser avaliados e a nossa classificação pode ser:

  • Cool;
  • Good;
  • Bad;
  • Awful;

Com esta breve explicação que dá para perceber como o jogo funcionava, nesta versão remasterizada as novidades foram….nulas. Pois bem, para quem jogou o original, não vai sentir grandes diferenças o que poderá trazer o sentimento nostálgico, mas também de desilusão.

A “grande” (e praticamente a única) diferença que vamos encontrar é no aspecto visual, mas não em todo o conteúdo do jogo. Passo a explicar, nesta versão remasterizada o PaRappa The Rapper acompanha os estrondosos e modernos 4K, mas no que toca às cutscenes não vais verificar diferenças, porque estas mantêm a resolução original, o que choca porque temos um fundo em 4K e depois no meio temos escarrapachado um vídeo com uma resolução de 320×240, que podemos dizer que é do “século passado”.

Em relação ao resto do jogo, é uma cópia fiel ao primeiro, jogabilidade simples, músicas que ficam no ouvido e animações. Não vais encontrar nenhuma novidade muito relevante no que toca a conteúdo.

Em jeito de conclusão, acredito que este jogo é mais focado para os saudosistas que passaram muitas horas seguidas a jogar este jogo na primeira consola da Sony nos anos 90.

About The Author

Nascido no coração de Lisboa, este rapaz, nunca foi o mesmo a partir do momento em que o pai lhe ofereceu o primeiro Gran Turismo.Apaixonado por jogos de corridas, mas principalmente do Gran Turismo, comprou todos os jogos da saga até hoje. Dezanove anos depois, tem um novo amor, Forza Horizon...mas não esqueceu Gran Turismo.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.