Shadow Tactics: O renascer de um género

Se o nome Commandos te provocar um forte sentimento de nostalgia, não precisas de continuar a ler esta review. Shadow Tactics: Blades of the Shogun está no Steam e há uma demo disponível para download. Mas se exiges mais do que isto para te convencer, ou se porventura queres ler mais sobre o jogo enquanto ele descarrega, podes continuar.

Commandos será certamente uma das maiores influências dos criadores de Shadow Tactics: Blades of the Shogun. Mas para quem não estava lá no final dos anos 90, fica a descrição: Commandos é um jogo de estratégia em tempo real situado na Segunda Guerra Mundial e com um enorme ênfase na furtividade. No entanto Shadow Tactics: BotS faz muito mais do que apelar à nostalgia de tempos passados.

O título leva-nos pela viagem de cinco personagens por um Japão Feudal, cada uma delas com habilidades diferentes, desde Mugen um samurai poderoso capaz de eliminar três inimigos com um só movimento a Yuki uma menina que apesar de não possuir a capacidade física de Mugen, é capaz de criar armadilhas infalíveis. Todas estes diferentes elementos usados em conjunto são responsáveis por horas de análise estratégica, seja a pensar que personagem é que devemos usar para cada obstáculo ou como conjugar diferentes habilidades ao mesmo tempo para eliminar vários inimigos ao mesmo tempo.

Tal como a sua grande inspiração, Shadow Tactics: BotS recompensa por sermos furtivos. Entrar a correr de katana no ar não é de todo a melhor táctica, resultando em alarmes a soar por toda a aldeia e um exército furioso à nossa procura. Cada nível é variado o suficiente para nos manter interessados até ao fim do jogo, novos desafios vão sendo colocados à medida que avançamos seja com o mapa de cada nível, como missões de noite ou aldeias cobertas de neve onde as nossas pegadas podem ser vistas pelo inimigo, cabendo a nós explorar as diferenças do terreno a nosso favor ou seja pelas diferentes personagens destacadas para cada missão, visto que na maioria das vezes não teremos as cinco personagens à nossa disposição.

 

Além de mecânicas sólidas e um interface simples e linear, Shadow Tactics: BotS surpreende pela sua história, com um arco narrativo que nos mantém interessados na vida passada de cada uma personagens e no que lhes poderá acontecer no futuro. Cada uma das personagens tem a sua própria voz, frequentemente conversam entre si, havendo até a possibilidade de escolher entre o inglês ou o japonês. Qualquer uma das opções é legítima, ambos com bons actores de voz e acima de tudo diálogos credíveis. Mas para uma maior imersão no jogo, recomenda-se as vozes em japonês.

Não é jogo sem as suas falhas, e a câmera pode trazer algumas dores de cabeça devido ao seu ângulo visto de cima e mesmo sendo possível de rodar horizontalmente e aumentar ou diminuir o zoom, por vezes ficamos com personagens por detrás de edifícios altos o que dificulta o controlo sobre estes. Não é algo constante, mas quando acontece detrai-nos da experiência.

Shadow Tactics: BotS pertence a uma categoria de jogo um pouco esquecida no tempo. Podia-se dizer que para os fãs deste tipo de mecânicas e sedentos por mais, um jogo medíocre deste tipo poderia satisfazer este vazio facilmente. Não é o caso, porque Shadow Tactics: BotS pega no melhor do género, introduz ideias novas e ainda embrulha tudo isto numa roupagem moderna com uma boa história. Essencial para qualquer amante de jogos de estratégia.

Author Vando Enes
Published
Categories Análises Pc e Mac
Views 65
Ir para a barra de ferramentas