Táctica, Inteligência e Reacção

É já este ano que vamos contar com o novo jogo inspirado nas obras do escritor Thomas Leo Clancy, mais conhecido por Tom Clancy, e falamos obviamente de Tom Clancy’s Rainbow Six: Siege, desenvolvido pela Ubisoft Montreal.

Rainbow Six (RB6) é uma daquelas sagas que dispensa apresentações, um Tactical Shooter focado essencialmente na cooperação e no trabalho de equipa, é também devido a esses dois factores que se tornou uma serie de culto, e um jogo de extremos: ou se adora ou se odeia.

A versão PC foi a escolhida para esta preview, podem portanto existir algumas diferenças comparativamente a outras plataformas, como é natural.

Depois de várias horas a jogar o Closed Beta, posso afirmar desde já, que Rainbow Six: Siege é “mais do mesmo”, mas atenção, não é um reparo negativo, muito pelo contrario, é algo bastante positivo, isto porque ao jogar conseguimos sentir a satisfação que obtivemos nas anteriores versões de RB6.

Claro que uma nova versão traz sempre novos conteúdos e novidades, e neste caso as habilidades e dispositivos de cada especialista faz a diferença, e é aqui que RB6 nos deixa com um ainda maior entusiasmo.

O jogo conta com aquilo que chama de especialistas, e existem vários, não sendo possível repeti-los na mesma partida. Existem especialistas defensivos e ofensivos. Como é de esperar, cada um tem as suas próprias habilidades e as suas engenhocas. Ao todo existem cinco unidades de combate, cada uma com quatro especialistas, e nem todos são ainda conhecidos.

Special Air Service (SAS) é a unidade britânica, fundada em 1941 durante a segunda guerra mundial, focando-se mais na luta contra o terrorismo, resgate de reféns e operações secretas.

  • Mute é o especialista de inteligência de sinais. Ele usa uma ferramenta que possibilita interferir em todas as comunicações em uma área definida, evitando detonações remotas e a utilização de drones.

  • Smoke é um destemido viciado em adrenalina e pode ser útil em manobras defensivas com a sua carga de gás químico que causa dano a quem estiver por perto.

  • Thatcher sabe que é perigoso depender demais da tecnologia. Ele usa uma granada de EMP que desabilita todos os aparelhos eletrónicos dentro de um raio de ação para nivelar o jogo.

  • Sledge geralmente fica nas linhas de frente das operações, pronto para abrir um caminho para seus companheiros com o seu martelo.

FBI Special Weapons And Tactics (SWAT), fundada em 1983 é uma unidade pronta a actuar em situações de alto risco. As suas especialidades focam-se no resgate de reféns, desvios de aviões, caça de fugitivos e operações com snipers.

  • Ash depois de entrar para a equipe da SWAT do FBI, trouxe seu conhecimento de demolições e é capaz de abrir portas ou explodir paredes à distância.

  • Pulse, o trabalho de Jack Estrada com o programa de biometria do FBI possibilitou que ele combinasse seus conhecimentos em comunicações e bioquímica para um grande efeito.

  • Castle pertence à terceira geração de uma família de policias, traz sua perícia em defesa e reforço para o esquadrão Rainbow, sempre preparado para instalar as suas habituais barricadas.

  • Thermite é um perito de demolições recrutado da equipa da SWAT do FBI. Ele leva uma carga de termita capaz de queimar totalmente a mais resistente das barreiras.

Groupe d’Intervention de la Gendarmerie Nationale (GIGN), fundada em 1973 é uma unidade especializada na luta contra o terrorismo e missões de resgate. Já fizeram parte de mais de 1000 operações, tendo apenas 9 baixas.

  • Twitch, nascida na cidade histórica de Nancy, criada por uma família que valorizava a educação, principalmente a matemática e ciências. Sua participação prematura em competições de programação de computadores levou-a a tornar-se cadete do exército aos dezesseis anos.

  • Montagne, Gilles Touré é o veterano mais antigo do GIGN. Um defensor feroz dos seus camaradas, este gigante gentil não pensaria duas vezes antes de se atirar para a frente de uma bala se isso significasse proteger outros operadores. Ele exibe um enorme escudo anti tumulto, criado na década de 80, que já viu mais ação do que muitos operadores.

  • Doc, Kateb cresceu em meio a uma família influente no 16º arrondissement de Paris. Aos vinte anos, abandonou o seu consultório médico para seguir carreira no Serviço de Saúde do Exército Francês.

  • Rook, Julien Nizan é quem aplica o famoso exercício de confiança do GIGN para os recrutas: levar um tiro de um de seus colegas com apenas uma placa de armadura pequena como protecção. Carrega as placas consigo para todo o lado com o objectivo de assistir os seus aliados no reforço das suas defesas.

 

SPETSNAZ, fundada em 1974 é a unidade anti-terrorista da federação Russa. A sua função é a protecção de instalações estratégicas, dentro e fora da federação.

  • confidentialFuze
  •  —-
  •  —-
  •  —-

 

Grenzschutzgruppe 9 (GSG 9), fundada em 1972 depois do massacre de Munique, mais uma força anti-terrorista, com o foco na extorsão, sequestro e resgate de reféns.

  • confidentialI.Q.
  • Blitz
  • Bandit
  • Jäger

 

Estes especialistas não estão desbloqueados no inicio do jogo. Conforme vamos jogando e completando os mapas, vamos ganhando pontos que servem para ir desbloqueando os vários especialistas. São necessários 25 000 pontos para conseguirmos desbloquear todos os especialistas, isto porque o primeiro especialista de cada uma das equipas custa 500 pontos, o segundo 1000, o terceiro 1500 e o ultimo 2000.

SAS SWAT GIGN SPETSNAZ GSG9

Nesta versão Beta tivemos direito a experimentar dois modos de jogo, são eles o bem conhecido Terrorist Hunt, e o modo Multiplayer. Quanto a este último, consiste em ter uma equipa de 5 jogadores a atacar e a outra equipa de 5 jogadores a defender.

Neste modo, a equipa atacante só poderá escolher elementos atacantes, e a defensiva elementos defensivos. O objetivo é por vezes resgatar reféns, outras vezes é desactivar as bombas que se encontram espalhadas pelo edifício que vamos invadir.

Antes do início do jogo, existe algum tempo para a equipa defensiva montar defesas, tal como reforçar paredes, colocar explosivos nas paredes, erguer barreiras defensivas e até colocar câmaras para conseguirmos saber o progresso dos atacantes.

Quanto aos atacantes, durante esse tempo, podem mandar os drones para procurar os inimigos, e ter uma ideia da sua localização. Até porque em qualquer dos mapas que joguemos, existem muitos recantos e passagens, o que por vezes chegamos a ficar meio perdidos, tamanha é a opção que temos dos locais por onde podemos ir.

Este foi modo que menos prazer me deu, em primeiro lugar porque sendo um modo recente, muitos jogadores não sabem ainda jogar em equipa. Muitos jogadores provavelmente estão a jogar RB6 pela primeira vez e pensam que isto é um jogo de “John Rambo”, em que vão sozinhos para matar tudo e todos, e se do outro lado tiver uma equipa minimamente organizada facilmente ganham o jogo.

Infelizmente, por vezes era necessário fazer 10 tentativas para conseguirmos encontrar um jogo, mas isto deve-se muito pela razão mencionada anteriormente, existem muito jogadores sem saber jogar em equipa, e isso faz com que uma equipa perca o jogo muito rapidamente. E por consequência, muitos jogadores desistiram de jogar este modo, preferindo jogar o conhecido Terrorist Hunt.

Este segundo modo de jogo é o verdadeiro RB6, dá-nos o tal entusiasmo de que já vos falei em jogar RB6. Consiste numa equipa atacante de 1 a 5 jogadores, cujo objectivo consiste em invadir um edifício que se encontra repleto de terroristas.

Como existem bastantes terroristas, este modo permite que usemos os nossos dispositivos com uma maior eficácia em benefício da nossa equipa. Além disso faz muito mais sentido ter uma equipa a trabalhar em cooperação quando temos imensos inimigos, já que somos facilmente surpreendidos pelo inimigo no caso de jogarmos de forma individual, e este é um ponto muito forte de R6: a Inteligência Artificial. Está tão bem desenhada que às vezes até nos esquecemos que não estamos a jogar contra outras pessoas. Nunca sabemos de onde vão aparecer e o avanço tem de ser sempre cuidado e bem planeado. Um grande modo de jogo.

Quanto ao modo campanha, esse infelizmente não vai existir, o que significa que será um jogo totalmente virado para mapas pequenos em que existem atacantes e defensores. Segundo Scott Mitchel “Não haverá um modo campanha”, “Existirá um modo treino em que o jogador poderá experimentar os diferentes especialistas e dispositivos. E pode-se jogar contra a IA do jogo em modo cooperativo em todos os mapas.”

Acredito que isto será um problema para a venda do jogo, pois por muito bom que o jogo seja, não acredito que o modo Terrorist Hunt e o modo Multiplayer sejam suficientes para agradar aos jogadores de forma consistente, sabendo que a versão final do jogo apenas terá 10 mapas.

Vamos esperar até 1 de Dezembro para sabermos exactamente tudo o que o jogo nos vai oferecer e conseguirmos fazer uma análise muito mais detalhada.

 

Published
Categories Antevisões
Views 161
Ir para a barra de ferramentas