Um verdadeiro Overkill

Chegou Victor Vran: Overkill Edition. Uma edição do RPG originalmente lançado em 2015 para PC e que regressa agora num pacote a incluir Fractured Worlds e Motorhead – os dois principais DLC’s. Dá igualmente entrada, pela primeira vez, na PS4 e Xbox One.

Da autoria da Haemimont Games, conhecidos também pela criação de Tropico, Victor Vran é o típico dungeon crawler, que usa a fórmula de tantos outros dentro do mesmo género. Quem tem saudades de um RPG mais clássico, tem aqui uma opção verdadeiramente nostálgica, com todos os condimentos obrigatórios e ainda com um online co-op.

Na tenebrosa cidade de Zagoravia, Victor Vran é um caçador de demónios, normalmente contratado para livrar a população local dos incómodos mais obscuros. Sem grande enredo, segue o habitual conto do herói, que corajosamente decide salvar o seu reino do domínio absoluto dos poderes do mal. Ou seja, não é certamente pela história que ficarão convencidos ou entusiasmados, a não ser pela voz do protagonista e narrador, que é nada mais, nada menos, que Doug Cockle, o Geralt de The Witcher.

Apesar de possuir quase todos as características dos RPG, Victor Vran não é de todo convencional na sua mecânica. Não existem classes, nem skill trees, como geralmente acontece. No entanto, é o ideal para quem não é propriamente um fã de theorycrafting e pretende algo mais simples e frontal. Os skills dependem exclusivamente das armas equipadas, que encontram a sua complexidade nos Demon Powers e nas Destiny Cards. Sendo ainda possível equipar duas armas ao mesmo, aumentando assim a versatilidade e o conjunto de opções. Resumindo, tudo está construído e orientado para a acção, que se reflecte depois em intensos combates contra numerosos inimigos, onde conhecer o timing para atacar é essencial.

Todo o ambiente está bem elaborado, tanto sonoramente como no aspecto visual. Não é exactamente encantador, mas convence à sua maneira. Apenas os murmúrios de Geralt se tornam ligeiramente enfadonhos após algum tempo.

No que concerne aos dois DLC’s, Fractured Worlds tem a intenção de incentivar o jogador a revisitar o jogo com regularidade. Com novas Dungeons criadas diariamente, desafios renovados e mais items para descobrir. Contudo, com pouco para acrescentar ao conteúdo do original.

Motorhead, e para quem estiver intrigado quanto ao nome, sim, é em homenagem à famosa banda de metal, responsável por temas como Ace of Spades e Overkill, cujo último nome provavelmente não será por acaso. É uma viagem bizarra ao longo de três Dungeons e onde somos apresentados à nova e destruidora arma ao nosso dispor – a guitarra eléctrica. Esta expansão foca-se muito também em Lemmy, o vocalista da banda que faleceu entretanto, ficando aqui uma justa reverência a um grande nome da música.

Victor Vran: Overkill Edition é uma boa adição a qualquer biblioteca de videojogos e em particular para os fãs de RPG’s mais oldschool. É um produto bastante completo naquilo que tem para oferecer, com duas expansões e dois anos de afinações. Dificilmente alguém sairá desiludido.

Author Nuno Mendes
Published
Views 101
Ir para a barra de ferramentas