Uma abordagem diferente do Universo Dragon Ball!

Desde o lançamento do remake de Dragon Ball Z (falo de Dragon Ball Kai), que a saga de Son Goku e seus amigos voltou a ganhar vida e fãs. Recentemente foi lançado também Dragon Ball Super, a sequela de Dragon Ball Z e que felizmente fez esquecer o paupérrimo Dragon Ball GT. Com esta nova onda de fãs a Bandai Namco Entertainment tem gerido muito bem a franquia de jogos relacionados com Dragon Ball. Basta para isso pegarmos nos jogos de Dragon Ball Xenoverse e observarmos o enorme sucesso que tiveram, trazendo novas abordagens ao universo Dragon Ball.

Chegou agora a vez dos jogadores da Nintendo 3DS receberem um novo jogo desta franquia, com o nome de Dragon Ball Fusions – um RPG com lutas por turno. Imaginem uma mistura de Dragon Ball e Dragon Quest ou Final Fantasy, claramente uma combinação explosiva que facilmente se tornará um sucesso entre os jogadores da portátil da Nintendo.

Tal como em Dragon Ball Xenoverse, aqui também é possível escolher o nosso personagem, existindo ao todo cinco raças: Terráqueo, Alienígena, Majin, Namek e Sayajin. Depois de escolhida podem alterar diversas características do vosso personagem, como é o caso do cabelo e a sua tonalidade, cor dos olhos, cara, cor da roupa, etc. Além disso mais tarde durante o jogo também será pedido para escolherem o vosso estilo de luta, entre a força, velocidade e técnica. E claro cada uma terá a sua vantagem e desvantagem.

Após a criação do nosso personagem aparecemos num planeta desconhecido acompanhado de Pinich, um NPC que é nosso amigo e que tem o desejo de entrar no melhor torneio de artes marciais de sempre. Como é óbvio, em Dragon Ball quando queremos realizar um desejo nada melhor que encontrar as sete bolas do dragão e pedir ao Dragão Shenlong que nos realize o desejo. E é isso mesmo que acontece, assim que o dragão nos realiza o desejo somos teleportados para uma dimensão paralela onde se realizará o Timespace Tournament. Um torneio onde só poderão entrar os melhores lutadores dos vários universos.

Ao chegarmos a esta dimensão somos brindados com um pequeno tutorial que nos ensina como voar e nos movimentarmos por esta dimensão. Voar é algo estranho no início, demorará algum tempo até dominarem totalmente este movimento e será necessário alguma prática e alguma coordenação entre o analógico o botão R e o botão B. Depois deste pequeno tutorial, teremos de ir até à primeira área do jogo, a Capsule Corp, onde falamos com Bulma e ela explica-nos onde estamos e que para entramos no torneio precisaremos de uma equipa de 5 lutadores. Na primeira hora de jogo facilmente conseguimos montar a nossa equipa, que será composta inicialmente pelo vosso personagem, Trunks, Son Goten, Son Goku (versão criança) e Pan. Depois conforme vão encontrando outros aliados é possível modificarem a vossa equipa.

Existem diversas áreas no jogo, conforme as vão descobrindo será possível fazerem viagens rápidas entre elas, posso garantir que usarão bastantes vezes esta opção. Estas áreas não se encontram disponíveis desde o início do jogo, no entanto, conforme fizerem as missões principais, elas vão aparecendo. Depois de aparecerem não estarão logo acessíveis, é necessário ir até lá e desbloqueá-las, para isso utiliza-se energia que vamos acumulando e há 5 tipos de energia: vermelha, azul, roxa, amarela e verde. Esta energia pode ser adquirida através de missões secundárias, assim como em diversos combates que vamos fazendo ao longo da nossa aventura.

Como é normal nos RPG, aqui também existe o sistema de níveis dos personagens, ganhando XP (tanto com combates como a concluir missões), para conseguir subir o nível dos elementos que compõem a nossa equipa. Como ó lógico quanto maior for o nosso nível, mais forte fica o nosso personagem e os nossos aliados também vão subindo os respectivos níveis ao combaterem ao nosso lado. Por todo o cenário encontramos sempre adversários a voar, alguns seguem-nos para entrarem em confronto connosco, enquanto outros teremos de ser nós a segui-los. É possível ver o seu nível quando nos começamos a aproximar deles, assim como o tipo de energia que poderemos ganhar caso os derrotemos.

Quanto ao modo de combate, ao contrário do que muitos jogadores pensam, é por turnos, excepto num ou outro pormenor. Uma vez que a nossa equipa é de 5 jogadores, os combates são quase sempre uma luta 5 x 5, excepto em algumas situações. A ordem de quem ataca primeiro é determinada por uma barra onde podemos identificar com os rostos dos nossos lutadores, assim como da equipa adversária. Os rostos vão-se movendo da esquerda para a direita e o que chegar primeiro ao lado direito será o primeiro personagem a atacar e depois de atacar esse mesmo rosto regressa ao início da barra, onde voltará a fazer o mesmo percurso até ser a sua vez novamente. Depois de determinado o lutador que vai atacar, temos de escolher o nosso tipo de ataque, onde existem três tipos: o ataque físico, um ataque de KI ou uma técnica especial. Escolhido o nosso ataque, seleccionamos o adversário que queremos atacar, depois existirá uma sequência rápida para ver se o adversário conseguirá ou não defender o nosso ataque e para isso terão de usar o analógico para tentarem atacar ou defender e depois tudo ficará nas “mãos” da consola, que nos mostrará algumas animações da luta.

Quanto às técnicas especiais existem golpes para todos os gostos, sejam físicos ou de KI – como o famoso Kamehame de Son Goku ou o Galick Gun de Vegeta, entre muitos outros. Esses golpes podem ser de área ou apenas confronto directo com um oponente. Além disso cada personagem pode ter até três golpes especiais, mas podem alterá-los conforme adquirimos novos golpes e quase sempre depois de uma luta é possível adquirir novos golpes.

Falemos agora do que dá nome ao jogo, Fusões, na serie televisiva já foi possível ver diversas fusões, desde Trunks e Son Goten, a Vegeta e Son Goku e até Goku Black com Zamasu, contudo aqui é possível ver muitos mais e até fusões de 5 elementos! É isso mesmo, por momentos é possível fazer a fusão da vossa equipa, e com isso ficarem com um personagem ultra poderoso durante alguns segundos. Quando isso acontece, durante esse tempo o combate deixa de ser por turnos e fazem uma luta onde direccionar o analógico e carregar no botão de soco tem de ser algo rapidíssimo para conseguirem usufruir o máximo possível deste modo, dando o máximo de dano nos inimigos.

Mas não pensem que qualquer personagem pode fazer fusões com qualquer outro, não é assim que funciona. Porém existem bastantes para fazer, sendo que para alguns só é possível com certos personagens. Para dar um exemplo, além das fusões que já conhecemos de Dragon Ball, Son Goku pode fundir-se com Son Goten; assim como Majin Buu com Mr. Satan (Hercules em Portugal); ou Freeza com Cell.

As missões principais conseguem-se finalizar em cerca de 20 horas, embora muito desse tempo seja passado nas missões secundárias, de modo a conseguirem ter  as energias necessárias, desbloquearem novas áreas e assim obterem novas missões principais. O jogo não segue nada da história das sagas de Dragon Ball, apesar de os personagens que vamos encontrando seguirem um pouco esse caminho – vão encontrar Rabitz e Nappa, depois Ginyu e as Forças especiais e logo a seguir Freezar, e por ai adiante.

Algo que gostaria de destacar são os imensos personagens do jogo, acho que participam quase todos os personagens principais e secundários que já entraram no mundo Dragon Ball. Só para terem noção, até aquele robot ridículo que Pilaf usava no primeiro Dragon Ball aparece em Dragon Ball Fusions, o que nos faz relembrar alguns dos bons momentos que passámos ao ver a primeira série. E se não bastasse, a última actualização do jogo trouxe-nos novos personagens, como é o caso de Goku Black  ou Vegito, na sua versão de cabelo azul.

Não podia deixar de falar de Photo Fusions, onde podem juntar-se com um amigo e tirarem uma foto em conjunto da vossa cara com a do vosso amigo, o jogo automaticamente fará uma fusão destas duas e criará um personagem a partir daí. Dá para fazer experiências bastante engraçadas e podem até usar fotos para resultados ainda mais imprevisíveis.

Dragon Ball Fusion sem ser um jogo maravilhoso, é um jogo bastante engraçado, que nos diverte e nos deixa usar e abusar dos personagens de Dragon Ball. Ao mesmo tempo permite fusões que nunca pensámos serem possíveis. Pode tornar-se um pouco repetitivo nos combates devido a ser por turnos, seja como for, é uma abordagem diferente e simpática à Saga Dragon Ball. Se são fãs de Dragon Ball certamente que vão querer experimentar este jogo.

Publicado
Categorias Análises Nintendo
Visualizações 2
Ir para a barra de ferramentas