Uma excelente aventura na Índia!

Poucos se devem lembrar do velhinho Prince of Persia de 1989, um jogo de plataformas em 2D cujo objectivo era em 60 minutos salvar uma princesa que estava presa numa torre. Pois é, este foi um dos jogos que mais joguei na minha juventude, já nem me recordo as imensas vezes que cheguei ao fim do jogo de forma a melhorar os meus tempos as estratégias que usei para passar certos quebra-cabeças.

Assassin’s Creed Chronicles: India, produzido pela Climax Studios juntamente com a Ubisoft, saiu a 12 de Janeiro, e é o segundo de uma trilogia da qual também fazem parte Assassin’s Creed Chronicles: China e Assassin’s Creed Chronicles: Russia.

Assassin’s Creed Chronicles: Índia é um empolgante jogo de plataformas com bastantes quebra-cabeças, cuja vista 2.5D permite-nos usar o cenário da forma logicamente mais conveniente. Com uma grande qualidade gráfica que por vezes nos deixa a olhar para o cenário devido a alguns detalhes interessantíssimos.

O jogo decorre na Índia e no Afeganistão em 1841, durante as tensões entre o Império Sikh e a Companhia da India do Este. O nosso personagem é o assassino Arbaaz Mir, o aprendiz do Mestre assassino Hamir. Hamir é capturado por o Major Sir William Sleeman um Mestre Templário e a nossa aventura começa ai, quando iremos salvar o nosso mestre.
Para além disso e como não poderia deixar de ser, o nosso herói tem um romance com a Princesa Pyara Kaur, algo que como devem imaginar lhe vai complicar a vida nesta história.

Como qualquer assassino, temos acesso a várias habilidades e armas. A habilidade mais básica é assobiar para chamar a atenção dos guardas, roubar itens aos guardas, a visão de águia, bombas de fumo e sonoras ,os chakram e claro a nossa precisa espada.

Claro que além de todas estas, existe ainda a nossa habilidade principal, a Helix, que é composta por 4 sub-habilidades: Corrida Helix, onde o nosso personagem consegue passar de uns esconderijos para outros sem que seja visto pelos guardas (mesmo que passe á frente deles); Disfarce Helix, onde os guardas passam pelo nosso personagem e não o conseguem ver; Golpe Helix, onde o nosso personagem entra em modo mortífero, obtendo uma velocidade estonteante a executar golpes e a aproximar-se dos seus oponentes; Lâmina Helix, já esta permite fazer desaparecer um corpo quando matamos um inimigo.

O Modo Campanha é composto por 3 níveis de dificuldade: Normal, Game + e Game + Difícil. Tem 10 níveis ou sequências, pois estamos a falar de Assassin’s Creed, sequências essas que têm vários checkpoints, onde somos premiados por cada um com uma pontuação de Ouro, Prata ou Bronze. Sendo que para conseguir completar os checkpoints com pontuação de Ouro, temos de conseguir terminar sem que ninguém nos veja. No fim de cada sequência podemos desbloquear um determinado bónus para o nosso personagem dependendo se atingimos uma determinada pontuação. Existem bónus que só são desbloqueados nos níveis de dificuldade mais altos.

Existem vários tipos de guardas, mas todos eles partem em nossa perseguição e chamam reforços assim que somos avistados. E se nas primeiras sequências a dificuldade imposta pelos guardas é relativamente básica de ultrapassar, nas sequências superiores já começam a dar alguma luta, até porque estão colocados em pontos estratégicos, o que nos obriga a pensar a melhor forma de ultrapassar certas zonas.

São apenas necessárias entre 6 a 7 horas para completar o Modo campanha, mas garanto-vos que vão jogar muito mais que isso, pois o desafio de tentar completar o jogo nas outras dificuldades é bastante grande, até porque todos os bónus que desbloquearam anteriormente estarão activos.

Além do Modo Campanha existe também o Modo Desafios, onde nos é proposto completarmos desafios num determinado tempo. Tanto pode ser matar um determinado número de guardas, como apanhar certos itens espalhados pelo ecrã. Confessamos que foi o modo que menos nos divertiu, as cores do mapa e a visão 2.5D não ajudam e por vezes tanto é confuso como frustrante conseguir ultrapassar os desafios propostos.

Avisar desde aos jogadores que jogaram Assassin’s Creed Chronicles: China e ficaram um pouco decepcionados com alguns problemas com os quais se debateram, que em Assassin’s Creed Chronicles: India isso já não acontece, todos os casos foram resolvidos, resultando assim uma óptima experiência para qualquer jogador.

Posso dizer que gostei muito de Assassin’s Creed Chronicles: India, e surpreendentemente voltei a ter o prazer de jogar um jogo deste género após muitos anos. Os quebra-cabeças desafiadores, as missões por tempo e mesmo alguns checkpoints em que basta perdermos uns segundos para já não as conseguirmos finalizar. Este é um daqueles jogos, em que mesmo depois de passarmos uma missão ficamos sempre com a sensação que podemos melhorar a forma de a finalizar.

SimENao

Published
Categories Análises
Views 88
Ir para a barra de ferramentas