Vício em videojogos será classificado pela OMS como um transtorno mental

 

O vício em videojogos há muito que é uma discussão regular dentro da comunidade médica, e em 2018, será reconhecida pela primeira vez como um transtorno mental, tal como foi recentemente anunciado pela Organização Mundial de Saúde, e que irá proceder à alteração da Classificação Internacional de Doenças (CID-11), que não é actualizada desde 1990.

No entanto, esta decisão ainda divide vários peritos no meio da psicologia e psiquiatria, e muitos aconselham à cautela quando é necessário diagnosticar o problema, já que por vezes, a margem entre o vício e o lazer pode ser consideravelmente ténue, e depende essencialmente do contexto.

O diagnóstico, em casos normais, irá decorrer e acompanhar os sintomas num período de 12 meses, e será analisado o grau de compulsão; a comparação de prioridades entre os videojogos e as actividades diárias e sociais que são consideradas vitais para a saúde mental; e também os efeitos negativos causados pela contínua exposição aos videojogos.

Há, contudo, quem se oponha a esta medida, não só pelo pânico e generalização que poderá chegar como consequência, mas pela própria incompreensão que resulta de um choque cada vez maior entre gerações, sendo hoje, ainda mais complexo ajuizar o que é, e o que não é um comportamento normal.

Author Nuno Mendes
Published
Categories Notícias
Views 1289